Home / Disciplinas / Biologia / Anosmia: O que é isso?

Anosmia: O que é isso?

Quando se fala em deficiência dos sentidos, logo se pensa em cegueira e surdez. Mas você sabia que existem pessoas que não têm a capacidade de sentir cheiros? É essa ausência da sensação olfatória, ou seja, a total incapacidade de sentir odores, que é conhecida como Anosmia. Essa condição pode ser temporária ou permanente.

Paladares da Língua
Paladares da Língua

Além de não sentir cheiros, o anósmico em geral tem o paladar comprometido. Isso acontece porque a língua só tem a capacidade de perceber cinco sabores: doce, salgado, azedo, amargo e unami (associado ao aji-no-moto). Assim sendo, a diferenciação entre dois alimentos salgados, por exemplo, necessita do auxílio do olfato para a assimilação das particularidades de cada um. Como exemplo, podemos citar que é muito comum que anósmicos não consigam distinguir o sabor entre os diferentes tipos de queijos ou entre um café amargo e um purgante.

Para que se possa sentir o cheiro de algo (um bolo, uma pipoca, um perfume de uma flor), é necessário que esse algo desprenda moléculas (odoríferos) que cheguem até o nariz. Quando respiramos, as partículas de cheiro que estão presentes no ar são absorvidas pelo nariz e chegam até o epitélio olfatório (uma mucosa localizada na parte interna superior do nariz que é recheada de neurônios).

olfato

Esse epitélio funciona como um grande receptor de informações. Os neurônios presentes nesse epitélio possuem projeções, os cílios, que servem para aumentar a área de sua superfície. Eles recebem a informação do cheiro e mandam estímulos para o cérebro, decodificando qual é o cheiro que estamos sentindo. Além desse sistema temos as proteínas de ligação de moléculas odoríferas, que ajudam a solubilizar moléculas hidrofóbicas e aumentam a concentração de moléculas odoríferas nos receptores celulares em até 10000 vezes. Qualquer distúrbio que intervenha nesse mecanismo induz a alterações na olfação, como, por exemplo, a anosmia.

A anosmia é apenas um dos distúrbios olfativos. Além dela, outros problemas olfativos são: a hiposmia (anosmia parcial), a agnosia (inabilidade para classsificar, identificar ou constatar uma sensação odorífera verbalmente), a cacosmia (sensação de odores desagradáveis que pode ser subjetiva quando só o indivíduo sente), a disosmia (distorção da percepção olfativa) e a hiperosmia (olfato ultra-sensível).

Quais são as causas da Anosmia?

  • Parcial: geralmente ocorre por irritação na membrana mucosa que reveste o interior do nariz, por exemplo, as decorrentes de gripes, rinites, irritações, resfriados ou sinusites.
  • Completa: pode ter origem genética ou ser causada por traumatismos cranianos, cirurgias no nariz, lesão do nervo olfativo, disfunção da tiroide, radioterapia e quimioterapia, intoxicação por chumbo, medicamentos voltados para pressão arterial elevada, exposições químicas a determinados inseticidas ou solventes, diabetes, doença de Huntington, obstrução das fossas nasais, tumores, problemas neurológicos como Alzheimer e síndromes congênitas.

O envelhecimento também favorece essa condição, o que faz com que pessoas com mais de 60 anos tenham maiores chances de desenvolver o problema. Além disso, o fumo é outro fator que pode favorecer o aparecimento desse distúrbio.

Anosmia tem cura?

Dependendo da causa, a anosmia pode ser revertida. O tratamento vai variar de acordo com a causa da mesma. É importante procurar otorrinolaringologista para o mesmo identifique a causa da condição, para saber se há um tratamento disponível para a melhora do quadro.

Caso a anosmia seja resultado de uma condição genética, até o momento não existe tratamento capaz de reverte-la. No entanto, recentemente, cientistas americanos conseguiram pela primeira vez restaurar o olfato de um camundongo com o uso de uma terapia genética. O método regenera estruturas celulares ciliadas, que existem no revestimento interno da traqueia e dos brônquios (os cílios funcionam como receptores que percebem o ambiente e são essenciais para o sentido olfativo). Esse tratamento pode vir a ajudar pessoas que nasceram com anosmia ou que perderam o olfato devido a traumas e acidentes.

Como tratar a Anosmia?

No caso de anosmia parcial, ocasionada por uma gripe ou resfriado, espera-se que haja uma melhora em poucos dias. Para tanto, pode-se fazer uso de medicamentos para amenização dos sintomas. Anosmias provocadas pela obstrução física das vias nasais podem necessitar de cirurgias para remoção do obstáculo.

É possível prevenir a Anosmia?

Levando em consideração que as causas são diversas, a prevenção diz respeito a cada uma delas. No entanto, evitar a exposição a fumos e outros poluentes é uma das principais recomendações.

Quais os perigos da Anosmia?

Muitas vezes chega-se a ressaltar “algumas vantagens” que os anósmicos teoricamente têm (não se incomodar com odores ruins, por exemplo). No entanto, essa condição pode causar problemas graves. Acidentes com gás, ingestão de comida estragada, não percepção do cheiro de fumaça em um incêndio, ou até mesmo distúrbios alimentares (como a perda de apetite) originados pela perda do paladar. No entanto, é possível aprender a conviver e se adaptar a essa condição.

Denisele Neuza Aline Flores Borges
Bióloga e Mestre em Botânica
Colaboração de Anderson Prates