Home / Disciplinas / História / As Cruzadas

As Cruzadas

As Cruzadas foram expedições militares ocorridas durante a Idade Média motivada por causas religiosas, políticas e econômicas. O estopim para o início da “Guerra Santa” se deu no momento em que muçulmanos dominaram Jerusalém impedindo o acesso de cristãos à região considerada Terra Santa, onde Jesus nasceu fez suas pregações e foi crucificado. A convocação para a guerra foi uma determinação do papa Urbano II no final do século XI. Apesar de não ter alcançado os objetivos religiosos, as Cruzadas contribuíram para intensas transformações na sociedade europeia do período medieval.

Cruzadas

O início das Cruzadas ocorreu no final do século XI chegando ao fim no século XIV. As expedições militares tinham como objetivo recuperar o livre acesso a Palestina, região em que estão concentrados vários lugares considerados sagrados pelos cristãos. A Terra Santa é o berço do cristianismo, lugar em que Jesus nasceu e prosseguiu arrebanhando multidões através de suas pregações, lugar também onde Cristo foi crucificado e ressuscitou. A invasão desse local sagrado pelos turcos seljúcidas representou uma heresia, já que os cristãos ficaram impedidos de peregrinar pelos locais sagrados de sua religião. Impedir o avanço do islamismo se tornaria uma das principais missões dos participantes das Cruzadas.

A Convocação do Papa Urbano II

As expedições militares conhecidas como Cruzadas refletem bem a religiosidade impregnada na sociedade medieval. A igreja como a instituição mais poderosa do período se sentiu afrontada quando muçulmanos dominaram a região sagrada do cristianismo. Jerusalém está para os cristãos como Meca está para os muçulmanos. No ano de 1095, o papa Urbano II convocou os cristãos para reconquistar a Terra Santa que havia sido dominada pelos turcos em 1076.

Membros de todas as classes sociais aceitaram a convocação do líder supremo da Igreja Católica. Nobres, servos, reis, camponeses, desocupados, pessoas comuns partiram para sua missão com a promessa de que em troca desse sacrifício, todos os seus pecados seriam perdoados. Juntamente com o perdão, os cruzados conquistariam também um lugar garantido no paraíso celeste.

Os participantes dessas expedições passaram a ser chamados de “cruzados”, em suas roupas havia uma grande cruz estampada na altura do ombro. A cruz fazia uma referência ao sacrifício e vitória de Jesus Cristo. Apesar do forte caráter religioso que caracterizou o movimento, as Cruzadas também continham causas econômicas e políticas.

Causas

Com a cidade santa do cristianismo tomada pelos muçulmanos, as transações comerciais com o Oriente ficaram prejudicadas. Comerciantes europeus estavam empenhados em recuperar as rotas de comércio com os mercadores orientais, estabelecendo também entrepostos comerciais na região, para isso precisavam voltar a ter o domínio do Mar Mediterrâneo.

Com a diminuição das guerras no período medieval, ocorreu um intenso aumento populacional. Esse crescimento demográfico não foi acompanhado pela melhora na infraestrutura das vilas, o inchaço populacional obrigava uma parcela da população a se abrigar em moradias precárias sem o mínimo de conforto e segurança.

A crescente taxa de natalidade juntamente com a queda dos índices de mortalidade, gerava a necessidade da expansão da agricultura, mas não foi o que aconteceu. A escassez de alimentos e as péssimas condições de vida proporcionou o crescimento de um grupo de excluídos sociais, sem nenhuma perspectiva de inclusão na sociedade medieval. Como a igreja prometeu premiar com alguns bens os participantes da guerra santa, os marginalizados resolveram-se alistar no exército formado pelo clero.

Além de desejar a expansão de seus domínios, a igreja e os comerciantes europeus estavam interessados em dominar o comércio de especiarias orientais. Esses produtos tinham um alto valor comercial na Europa.

A Igreja incentivou as expedições militares de reconquista com a intenção de canalizar toda a força e violência dos guerreiros medievais na reocupação de Jerusalém e expulsão dos muçulmanos. Enquanto as guerras se desenrolavam no oriente, a sociedade europeia desfrutava de uma relativa paz.

Os Resultados das Cruzadas

As cruzadas não se resumiram a uma única expedição, na verdade elas somam um total de oito investidas contra os muçulmanos.

  • Primeira cruzada: Jerusalém é reconquistada pelos cristãos.
  • Segunda cruzada: Com o auxílio de egípcios, os muçulmanos recuperam a Terra Santa.
  • Terceira Cruzada: Um acordo firmado entre cristãos e muçulmanos garante aos cruzados o direito de posse do litoral sírio-palestino.
  • Quarta Cruzada: Os cruzados conquistam a cidade de Constantinopla, a capital oriental do cristianismo. Nesse momento os cristãos lideram ações de saque a templos religiosos, tomando posse de objetos sagrados e valiosos.
  • Quinta Cruzada: Os cristãos são derrotados nas cidades do Cairo e de Damieta, no Egito.
    Sexta Cruzada: os cruzados reconquistam Jerusalém, mas a perdem em 1244.
  • Sétima Cruzada: Os muçulmanos derrotam novamente os cristãos.
  • Oitava Cruzada: Os últimos cruzados são vitimados por uma epidemia e os demais derrotados pelos muçulmanos.

A última cruzada representou a derrota definitiva dos cristãos, se por um lado as expedições militares não obtiveram sucesso, por outro contribuiu para importantes mudanças na sociedade medieval. O enfraquecimento do sistema feudal é um dos resultados das cruzadas, os senhores feudais endividaram-se para montar seus exércitos, além de perderem um grande número de servos que não voltaram da guerra. Mas esse enfraquecimento do feudalismo já era algo esperado, visto que o crescimento das cidades e a expansão populacional contribuíram para o desenvolvimento de novas práticas econômicas.

Segundo apontam pesquisas de historiadores, cerca de um milhão de pessoas (entre cristãos e muçulmanos) morreram em consequência dos violentos combates durante as Cruzadas.
O comércio pelo Mar Mediterrâneo voltou a dinamizar as relações econômicas com o oriente, principalmente entre as cidades italianas de Gênova e Veneza. Apesar de não ter alcançado os objetivos religiosos e de não ter conseguido conter o avanço do islamismo, as cruzadas deram início a transformações positivas no período medieval. Além dessa intensificação comercial, as expedições contribuíram para o intercâmbio cultural que estimulou o desenvolvimento literário e artístico, tal como o surgimento das primeiras universidades.

Lorena Castro Alves
Graduada em História e Pedagogia


  • Marcos Rhay Carmona

    Há um erro em seu texto.. Jesus não nasceu em Jerusalém, nasceu em Belém da Judeia. Jerusalém é considerada a terra santa pois foi onde ele foi morto e ressuscitou, cumprindo o projeto da salvação segundo as tradições cristã.

  • Pedro

    Antes de escrever sobre algum assunto, deveria ter as informações corretas antes de publicar. Este texto contém algumas informações erradas.