Home / Disciplinas / Geografia / Bioma Cerrado

Bioma Cerrado

Conhecido em inglês como brazilian savanah por suas características similares à savana africana, o cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, e um dos mais ameaçados.

Cerrado

Árvores pequenas, troncos retorcidos, cascas e folhas grossas. Quando se fala em características do Cerrado, essas são as primeiras características que vêm à mente de qualquer um, mas esse Bioma é muito mais do que arbustos e planaltos cobertos de gramíneas.

O Cerrado é o segundo maior Bioma em extensão territorial do Brasil, atrás apenas da Floresta Amazônica. Ele está presente nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, sendo que o Centro-Oeste é a região com maior porcentagem de sua cobertura compreendida pelo Bioma.

FAUNA E FLORA PECULIARES

Por ser um ambiente com características bastante peculiares, o Cerrado comporta várias espécies igualmente singulares, tendo entre as mais famosas o lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) e o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla).

O cerrado conta com várias espécies endêmicas, ou seja, só ocorrem no Cerrado e em nenhum outro Bioma, como por exemplo o galito (Alectrurus tricolor) e o papagaio-galego (Aliopsitta xanthops).

FLORA

A flora do Cerrado é uma de suas características mais marcante e responsável pelas plantas das quais nos lembramos de quando falamos de características do Cerrado.

Apesar de lembrarmos de características como árvores pequenas, com tronco retorcido e casca gorssa, o cerrado possui várias formações vegetacionais diferentes, que vão desde campos limpos, onde só existem gramíneas e raramente pequenos arbustos até formações florestais bem peculiares como as veredas e seus frondosos buritis.

Dentre as plantas mais conhecidas estão o pequi (Caryocar brasiliensis) e o barbatimão (Striphnodendron adstringens).

FOGO NO CERRADO

O Cerrado possui uma relação bem peculiar com um fator que em outros lugares seria estritamente destrutivo, o fogo. Apesar de ser considerado um fator negativo, o fogo é algo tão frequente no Cerrado que algumas de suas características adaptativas foram selecionadas para tolerar e até se aproveitar do fogo.

Como mencionado antes as plantas possuem fortes adaptações que as protegem e evita que morram durante as queimadas, como cascas e folhas grossas. No entanto, algumas plantas se beneficiam. Algumas plantas, em sua semente, possuem um recurso que as protege, um invólucro que só é quebrado com o fogo.

Esse invólucro protege o embrião da planta durante meses até que o fogo quebre essa dormência e o embrião encontre condições para germinar. O fogo também é responsável pelo surgimento de várias plantas de um modo um pouco mais indireto.

O acúmulo crescente de biomassa vegetal no Cerrado pode impedir que outras plantas cresçam ou até germinem, por sufocamento. Folhas secas e gramíneas se acumulam tanto que cobrem o solo, impedindo as plantas menores de ter acesso ao sol. Sendo assim, o fogo reduz consideravelmente essa biomassa provendo espaço para que plantas jovens se desenvolvam melhor.

No entanto estamos falando de fogo causado por causas naturais, que pode ser prejudicial em igual ou como na maior parte das vezes maior quantidade do que é benéfico. Incêndio causado pelo homem é sempre um fator negativo.

UM HOTSPOT NO BRASIL CENTRAL

O Cerrado, junto com a Mata Atlântica, são classificados como hotspots da biodiversidade devido ao alto número de espécies endêmicas (tanto animais quanto plantas) e o grau elevado de perturbações antrópicas que temos causado a ele.

O Cerrado hoje é um dos biomas mais ameaçados do Brasil. A cultura de exploração destrói vertiginosamente áreas e áreas de Cerrado a cada ano, e se nada for feito, em alguns anos as savanas brasileiras serão uma simples lembrança, em contraste com as gloriosas e tão admiradas por nós, savanas africanas.

Paulo Ribeiro
Biólogo, Mestre em Zoologia Aplicada