Home / Disciplinas / Biologia / Homologia e Analogia

Homologia e Analogia

Você já parou para pensar em como animais tão diferentes como aves e morcegos voam? Suas asas são iguais ou diferentes?

Homologia e Analogia

Apesar da infinidade de espécies existentes no planeta, algumas possuem características bem similares, tanto anatômicas quanto comportamentais. Para as que são próximas evolutivamente (por exemplo humanos e chimpanzés) a comparação dessas caraterísticas é mais evidente, visto que compartilhamos a pouco tempo geológico, um ancestral comum.

O que é considerado um ancestral comum? O ancestral comum é a espécie similar de onde duas ou mais linhagens evolutivas derivam, por exemplo, tanto homem, chipanzé, gorila e macaco-prego são primatas e apesar de terem características bem diferentes, muitas são extremamente similares. Todos esses animais descendem de uma única linhagem de primatas pré-históricos.

Cladograma
Essa figura é um cladograma, utilizado para representar as relações evolutivas entre as espécies. O círculo vermelho mostra onde o ancestral comum das espécies A,B e C começou a diferenciar, logo vemos que as três originaram de uma espécie.

O que dizer no entanto de características similares em organismos tão diferentes? Morcegos, aves, insetos, são animais que possuem asas, mas será que essas asas tem a mesma origem evolutiva? E é aí que entram termos como homologia e analogia.

Você já deve ter ouvido falar ou lido em algum lugar sobre algum desses termos. Principalmente se o assunto em questão era evolução biológica, mas apesar de parecidos, eles descrevem situações bem diferentes. Vamos à conceituação.

Homologia

Em evolução, os caracteres são considerados homólogos quando, duas ou mais estruturas de organismos diferentes derivam da mesma estrutura ancestral. Um bom exemplo disso é a comparação entre a mão humana e a asa do morcego. Mas como assim?

Nós, humanos, assim como os morcegos, somos mamíferos, logo temos uma ancestralidade em comum. A asa do morcego e as nossas mãos são a mesma estrutura, porém com funções diferentes. A asa do morcego é uma mão modificada, com os dedos alongados e membranas interdigitais extensas que permitem o vôo. Veja na figura abaixo:

A mão do humano e a asa do morcego derivaram da mesma estrutura, no entanto hoje desempenham funções diferentes. Isso é considerado pela evolução como homologia.

mão do homem e a asa do morcego
A mão do homem e a asa do morcego derivam da mesma estrutura, mas tem funções diferentes. Fonte: Ciência Hoje

Analogia

Ao contrário da homologia, para os caracteres serem considerados análogos, eles devem ter a mesma função nos organismos em que se esteja comparando, no entanto a origem do caractere independe de ancestralidade comum ou qualquer outro fator.

Morcegos, assim como libélulas, voam. Usam como principal meio de locomoção suas asas, no entanto as asas de um morcego e de uma libélula têm origens evolutivas completamente diferentes. Logo são caracteres análogos. Os caracteres tem a mesma função, mas diferem quanto à sua origem.

asa de uma ave e de um inseto
Na analogia as estruturas tem a mesma função mas origens distintas, como a asa de uma ave e de um inseto.

Elucidando esses termos temos dois tipos de evolução, a convergente e a divergente. A evolução convergente ocorre em casos onde a analogia acontece, onde caracteres são selecionados para funções similares porém de origens diferentes (asas do morcego e da libélula)

Já a evolução divergente ocorre em casos de homologia, onde caracteres são selecionados para funções diferentes, mas partindo de uma característica comum de um ancestral (a mão humana e a asa do morcego).

Paulo Ribeiro
Biólogo, Mestre em Zoologia Aplicada