Home / Disciplinas / Biologia / Interações Intra e Interespecíficas

Interações Intra e Interespecíficas

Quais as diferenças? Quais os tipos? Como essas relações podem ser benéficas e/ou maléficas?

Interações intra e interespecíficas

Boa parte das espécies inseridas em uma comunidade biológica está de alguma forma relacionada e essas relações podem ser tanto maléficas para um dos lados, como benéficas para os dois. Em primeira instância, as relações se dividem em intra e interspecíficas e a diferença entre as duas é bem simples.

As relações intraespecíficas são entre os indivíduos da mesma espécie, ou seja, o que acontece entre uma população biológica, já as interações interespecíficas são as que ocorrem entre indivíduos de espécies diferentes, ou seja, entre a comunidade biológica.

Como dito, uma relação pode ser benéfica para ambos, benéfica para um, mas que seja neutra, ou seja, não gere benefício ou malefício para o outro. Quando a relação se encaixa em alguma dessas definições ela é considerada como harmônica. Quando ao menos uma das partes sai prejudicada ela é classificada como desarmônica.

Relações Interespecíficas

  • Harmônicas: Protocooperação, comensalismo, inquilinismo e mutualismo.
  • Desarmônicas: Amensalismo, competição, esclavagismo, herbivorismo, predatismo e parasitismo.

Relações Intraespecíficas

  • Harmônicas: Colônias e sociedades
  • Desarmônicas: Canibalismo e competição

São muitas, mas explicaremos cada uma delas:

Interespecíficas harmônicas:

Protocooperação: A protocooperação é uma relação não obrigatória em que ambos os lados saem beneficiados, ou seja, não há neutralidade e nem malefício para nenhum indivíduo. Um bom exemplo disso é a garça-vaqueira (Bulbucus ibis) e o gado doméstico (Bos taurus). A garça se alimenta dos carrapatos do gado, logo tem uma fonte alimentar e o gado se vê livre de seu parasita.

Garça-vaqueira próximo à vaca, procurando carrapatos
Garça-vaqueira próximo à vaca, procurando carrapatos

Comensalismo: O comensalismo é bem parecido com a protocooperação, com a diferença de que nessa relação somente uma das partes é beneficiada, mas a outra não sofre nenhum prejuízo, ou seja, a relação para ela é neutra. Um exemplo clássico é a rêmora e o tubarão, onde a rêmora se alimenta dos restos do tubarão, mas isso não gera vantagem nenhuma para o mesmo.

tubarão acompanhado pela rêmora
tubarão acompanhado pela rêmora

Inquilinismo: Assim como no comensalismo, no inquilinismo uma das partes é beneficiada e a outra não sofre prejuízo algum, a diferença é que a associação nesse caso é mais próxima, com o indivíduo beneficiado vivendo sobre o outro. O indivíduo então se torna um inquilino e o outro hospedeiro. Um bom exemplo são bromélias arborícolas, que precisam estar apoiadas nos galhos de outras árvores para se desenvolverem, mas não necessariamente causam prejuízo ás suas hospedeiras.

Bromélia inquilina de outra planta
Bromélia inquilina de outra planta

Mutualismo: Como o nome diz, essa relação envolve benefício mútuo, ou seja, é positiva para os dois lados, assim como na protocooperação. A diferença é que essa relação não é opcional, por isso ela é chamada também de simbiose obrigatória, pois ambos os indivíduos dependem dessa associação para sobrevivência.

Interespecíficas desarmônicas:

Amensalismo: O amensalismo ocorre quando uma espécie inibe a formação da outra em benefício próprio, geralmente secretando alguma substância que restringe o desenvolvimento de outra que possa vir a ser uma competidora em potencial. O eucalipto é um bom exemplo, suas folhas secretam substâncias no solo que impedem o desenvolvimento de outras plantas.

Uma mata de eucaliptos sem nenhuma outra planta
Uma mata de eucaliptos sem nenhuma outra planta

Esclavagismo: nessa relação uma das partes se aproveita da produção ou trabalhos e atividade que a outra espécie possa oferecer.

Herbivorismo e Predatismo: nessas duas relações há o consumo direto de uma espécies pela outra, ou seja, um indivíduo se alimenta de outro. Um exemplo de herbivorismo é o gado pastando, por exemplo, e de predatismo seria uma onça matar e comer um veado.

Parasitismo: No parasitismo uma espécie tira proveito da outra se alimentando dela, podendo causar doenças, mas raramente a morte. Um exemplo de parasitismo são as lombrigas (Ascaris lumbricoides) no corpo humano.

Intraespecíficas harmônicas:

Colônias: na colônia os indivíduos se fundem de forma que se tornam diferentes dos indivíduos solitários. Eles passam a funcionar como um único organismo.Exemplo: Corais

Um exemplo de colônia, os corais
Um exemplo de colônia, os corais

Sociedade: na sociedade há a divisão de trabalho entre os membros que são permanentemente unidos, porém não são fundidos como em uma colônia. Apesar de estarem anatomicamente separados os membros de uma sociedade não conseguem viver sozinhos. Exemplo: abelhas

Sociedade das Abelhas
A sociedade das abelhas é dividida em castas, cada casta tem uma função diferente para manter a sociedade organizada

Intraespecíficas desarmônicas:

Canibalismo: o canibalismo ocorre quando um indivíduo da mesma espécie se alimenta de outro.

Louva-deus se alimentando de outro
Louva-deus se alimentando de outro

Competição: a competição pode ser tanto intra quanto interespecífica, e nos dois casos ela é considerada uma relação desarmônica, devido ao fato de que um dos lados vai sair em prejuízo. A competição pode se dar por vários motivos como alimentação, reprodução e territorial.

Um exemplo de competição interespecífica é o caso de leões e hienas. Hienas são conhecidas por “roubar” presas abatidas por leões, logo os leões ficam sem o alimento obtido.

Leões também são animais extremamente territoriais, no entanto machos solitários podem “roubar” o território de outros se vencerem o dono da área em um combate, logo uma competição intraespecífica, visto que os dois são da mesma espécie.

 

Paulo Ribeiro
Biólogo, Mestre em Zoologia Aplicada