Home / Dicas / Os erros mais comuns na educação dos filhos

Os erros mais comuns na educação dos filhos

Os erros mais comuns na educação dos filhos

A educação é um grande desafio, principalmente para pais. Nos dias de hoje é normal ver a criança rebater e questionar o ensinamento dos pais e, muitas vezes, a única saída encontrada pelos mesmos é o castigo ou a negociação com o filho: se não fizer isso não ganha aquilo. Ensinar com ameaças é perigoso e, na maioria das vezes, não gera muitos resultados. Não existe uma forma certa ou errada de educar, porém, psicólogos afirmam que o diálogo é sempre a melhor alternativa. Mas para que haja esse diálogo é preciso haver um “terreno próprio” para que a discussão cresça de forma saudável, e para isso é preciso evitar alguns equívocos ao educar seus filhos. Seguem seis erros e dicas para você não errar na hora de dialogar com seu filho.

Erro 1: Não dar explicações

Regras são mais suportadas se forem compreendidas. Dizer não e ter o não como única explicação atrapalha o aprendizado. Os pais não têm necessariamente que dar satisfação para os filhos, porém, a criança deve entender o motivo pela qual ela não pode fazer algo, para que ela aprenda os perigos da vida e desenvolva o seu próprio senso crítico. Conforme ela vai aprendendo os motivos de fazer ou não algo, com o tempo ela por si não aceitará o errado com tanta facilidade dos demais, já que ela compreende o que não é certo de acordo com os pais. Já dizer o não por não, pode gerar problemas, pois tudo aquilo que ainda não foi instruído com o não, se torna um sinal de que pode ser feito.

Erro 2: Falar uma coisa e fazer outra

Não adianta apenas dizer. As crianças não aprendem com o que se diz, e sim copiam o que se vê. Falar para criança que não se deve fumar com cigarro na boca não é a melhor opção. Muito menos gritar com a criança dizendo para ela parar de dar birra. Lembre-se que a criança é como uma esponja, que irá absorver tudo o que os pais expressam dentro de casa, e quanto mais jovem mais ela irá te copiar e menos te ouvir.

Erro 3: desautorizar o pai (ou a mãe) na frente da criança

É comum ver a negociação entre a criança e os pais. Pedir algo para o pai e depois pedir a mesma coisa para a mãe é uma estratégia da criança que pode gerar uma má educação e muita confusão na sua cabeça. Antes de proibir ou permitir algo, os pais devem conversar longe da criança para que a informação passada seja a mesma, evitando que um libere o que o outro negou ou transpareça que a voz de um é mais alta que do outro.

Erro 4: Ceder à birra da criança

Não deixe a criança ficar no comando. Não importa se vai dar birra ou gritar. Exerça sua função como educador. Ceder uma birra demonstra que existe competição, e que nesse caso a criança foi vitoriosa. Assim, ela sempre irá buscar artifícios para se tornar superior aos pais. Não pode haver brechas na educação, a voz que comanda deve ser a dos pais, independente do que a criança faça.

O melhor a fazer é orientar a criança que a birra não adianta, sempre com muito diálogo. Uma hora ela irá perceber que a choradeira não trará resultado.

Erro 5: Fazer ameaças

É comum ver pais ameaçarem a retirar algo que a criança goste de fazer ou comer, caso a mesma não obedeça. Isso compra bom comportamento, mas não cria boa índole. A criança deve entender o que deve fazer, e não se sentir coagida ao fazer o correto. Isso gera pequenos traumas e barreiras no aprendizado. Da mesma forma é um equívoco comprar a criança, dando prêmios se fizer algo correto. A criança deve desenvolver um bom comportamento de forma natural, sem artifícios, sejam eles positivos ou negativos.

Erro 6: Contar pequenas mentiras

Contar que o bicho papão vai pegar ou usar de pequenas fantasias para que a criança obedeça não é uma boa forma de lidar com os pequenos. De acordo com a psicóloga Rosmairi Oliveira, de São Paulo, a criança pode perceber as pequenas mentiras. “Pais que mentem têm grande chances de criar filhos também mentirosos”, afirma. Com o passar do tempo, a criança pode contar pequenas mentiras, pois aprendeu que os fins justificam os meios.

Essas são algumas dicas para que você possa lidar melhor com os seus filhos. Lembre-se que a base da criança é fundamental para formar um cidadão de boa índole e evitar complicações no futuro.