Home / Concursos & Empregos / Principais erros cometidos na elaboração de um currículo

Principais erros cometidos na elaboração de um currículo

Um dos maiores desafios na hora de começa a procurar um emprego é formular o seu currículo. A forma como você descreverá suas competências terá uma influência muito grande na sua contratação. Normalmente é através desse documento que recrutadores conhecem o seu objetivo profissional e ficam interessados em conhecer um pouco mais sobre suas habilidades de trabalho.

Embora pareça simples, formular um currículo exige muita atenção e cautela por parte do candidato. Um erro básico, um escorregão ou até mesmo pretensões mal esclarecidas podem te deixar de fora de um processo seletivo. Lembre-se que ele é considerado o seu cartão de visita no mercado de trabalho, por isso é tão importante cuidar bem dele.

De fato um documento bem feito não é sinônimo de que a vaga está garantida ou de que será empregado de cara, porém, ele será fundamental para a construção inicial da sua imagem. Para te ajudar nessa tarefa, selecionados algumas dicas listadas pela Universia. A mesma consultou vários especialistas em recrutamento e seleção que pontuaram algumas falhas que podem te atrapalhar no alcance de sua vaga. Confira abaixo:

Informações falsas

É preciso que o candidato lembre-se que a ética vem em primeiro lugar. Muitos candidatos se empolgam na hora de fazer o seu currículo com a expectativa de chamar atenção dos recrutadores, mas isso foge totalmente do que é considerado correto. Por mais que não percebam a mentira de inicio, logo terá complicações para mantê-la, principalmente no ato da entrevista pessoal. Além disso, pode ser possível que aconteça um teste prático e todas as suas fantasias vão por água abaixo. Isso pode te prejudicar a tal ponto de até mesmo ser eliminado do processo seletivo, sem chances de justificar o erro. Segundo Tania Casado, coordenadora do curso de especialização em Consultoria de Carreira da FIA (Fundação Instituto de Administração), é importante que use o currículo para realçar seus pontos fortes e não para inventar informações com objetivo de torná-lo mais atrativo.

Cometer erros de português ou digitação

Cometer erros de português ou digitação

Outro fator que pode comprometer a sua imagem através do seu currículo é o mau uso da Língua Portuguesa. A mesma é um requisito básico para qualquer processo seletivo e diz muito sobre seu compromisso com a multidisciplinaridade. Para tanto, direcione sua atenção para não cometer erros ortográficos, de concordância ou de digitação no currículo. Pode ser que seja eliminado sem ao menos ter a chance de se explicar. Diante disso, procure evitar a desatenção, pois a mesma pode ser entendida pelos recrutadores como despreparo. Conforme sugere Ana Rita Peres, gerente executiva da seccional de São Paulo da Associação Brasileira de Recursos Humanos, procure revisar o seu documento diversas vezes antes de passá-lo para frente. Caso seja necessário, peça alguém que entende do assunto para revisá-lo. O importante é não correr o risco de ser mal interpretado logo no primeiro contato.

Usar e-mail não profissional

Um erro comum de quem está à procura de um emprego, mas que não tem tanta experiência sobre o mercado de trabalho, é enviar seu currículo para recrutadores através do seu e-mail feito há anos, com o uso de caracteres pouco profissionais. Não há nada de errado em ser chamado por um apelido e até ter um e-mail com ele, desde que seja usado para outras tarefas menos importantes. Na hora de enviar um currículo é fundamental que o profissional tenha um endereço mais formal como, por exemplo, contendo o seu nome e sobrenome.

Ser extenso ou exagerado

Lembre-se sempre: quantidade não é qualidade. Por mais que você queira descrever todas as suas habilidades em um currículo, isso pode ser visto com algo cansativo para quem vai avaliá-lo. Conforme explica Marcelo Abrileri, presidente do Curriculum.com.br, site de recolocação e recrutamento on-line, o tempo que você tem para se apresentar ao selecionador é de, no máximo, dois minutos. Como o prazo é curto, é fundamental que seja conciso e objetivo. Procure acrescentar apenas informações que realmente são úteis e necessárias. Atente-se ainda para as características da vaga pela qual está concorrendo. Não é de interesse do recrutador saber se você fez um curso de culinária, caso a vaga seja para secretariado. Por essas e outras razões, tenha bom-senso.

Apontar objetivos diferentes

Apontar objetivos diferentes

Ser objetivo é sinal de que você sabe aonde quer chegar e esse é um dos pontos mais importantes de um currículo. Eles servem para guiar os caminhos do candidato e até mesmo pode orientar os passos do recrutador. Geralmente a primeira informação que procuram saber é essa e logo em seguida verificam se o mesmo está alinhado com as funções do cargo ou até mesmo com a filosofia da empresa. Caso não estejam em sintonia, o selecionador opta por descartá-lo. É importante que o candidato esteja ciente que deve elaborá-lo de maneira pensada, estruturada, clara e convincente. Para tanto, é preciso que saiba claramente o que quer para a sua carreira profissional.  Haroldo Sato, especialista em marketing pessoal e diretor de Recursos Humanos da Fast Shop, sugere que inicie sempre com um verbo e nunca coloque a palavra ‘almejo’. Acrescenta ainda que duas ou três linhas são suficientes para descrever suas intenções profissionais.

Colocar documentos pessoais

Outro erro comum cometido por candidatos inexperientes é inserir documentos pessoas no currículo, como CPF, RG, número de carteira de trabalho, título de eleitor, dentre outros. No primeiro contato com recrutador, essas informações são consideradas desnecessárias. Além disso, é possível que os dados dos seus documentos pessoais caiam na mão de pessoas de má índole, o que pode causar diversos transtornos. Não sabe o que colocar no topo do currículo? Cíntia Holanda, consultora de Recursos Humanos da Catho, sugere que coloque apenas o nome completo, idade, nacionalidade, estado civil, endereço completo, telefone, número do celular e e-mail.  Se atente ainda a mantê-los atualizados, principalmente o telefone, de modo que selecionador tenha facilidade de entrar em contato com você. Outra sugestão é que não coloque a pretensão salarial no currículo, a não ser que seja solicitado. Deixe para falar sobre isso na entrevista pessoal.

Inserir fotos

É preferível que não insira fotos no currículo e se preocupe mais com o conteúdo do mesmo. Lembre-se que os recrutadores não estão em busca de conferir sua aparência e sim de avaliar o seu conhecimento e experiências profissionais. Alessandra Nogueira, gerente de recrutamento e seleção da Coca-Cola, explica que legalmente as empresas são proibidas de pedir que os candidatos coloquem seus retratos nesse documento, pois isso pode ser entendido como um ato discriminatório.  Mas caso ainda opte por colocar a foto, confira se a mesma é adequada e passará a imagem que deseja. Portanto, escolha algo mais formal.

Ser superficial

Outro erro cometido por muitos candidatos é ser superficial demais em suas informações. Como dito anteriormente, é irrelevante colocar dados que não são necessários de início, mas é fundamental que traga conteúdos importantes para que o recrutador o conheça. A pessoa responsável por ler o seu currículo não é obrigada a adivinhar dados. É sugerido que coloque informações como local de formação, locais de trabalho, datas de ingresso e saída, descrição de cargos e de atividades desempenhadas. Evite fazer o uso de abreviaturas e siglas, de modo que facilite o entendimento do recrutador. Tente realçar as realizações pessoais de maneira clara, organizada, lógica e simples. Sandra Schamas, palestrante e escritora do livro “Aumente a sua Empregabilidade”, afirma que a objetividade com precisão e bom senso passa credibilidade e pode ser interpretado como maturidade.

Priorizar a estética em demasia ou deixá-la de lado

Pode parecer que não tem importância, mas a estética do seu currículo diz muito sobre você. Lembre-se que a preocupação excessiva pode ser visto como compensação de uma falha, por outro lado, currículos sujos e amassados passam a impressão de desorganização. Tenha bom senso na hora de fazê-lo. De preferência escolha folhas brancas e fontes tradicionais, com Times New Roman e Arial. Apenas use Negritos, itálicos e sublinhados caso queria organizar as informações, pois em excesso pode deixar o documento muito carregado e pouco profissional. Pode até ser interessante fugir do padrão, de modo que aguce a curiosidade do recrutador, porém, procure identificar o perfil da empresa pela qual está interessado em trabalhar. Regina Silva, consultora de carreira e sócia-diretora do Instituto Gyraser, sugere que siga o modelo padrão caso a instituição tenha um perfil conservador. Se esse não for o caso, opte por explorar sua criatividade para se diferenciar no processo seletivo, mas sempre com moderação.