Home / Disciplinas / Biologia / Ruminantes

Ruminantes

Já viram como vacas parecem que estão mascando chiclete às vezes? Esse é o ato de ruminar, vamos saber mais sobre ele.

Ruminantes

Os ruminantes consistem em um grupo de animais que executam o ato de ruminar. Bem óbvio não é? Mas é a verdade. Ruminantes são mamíferos herbívoros com um estômago especializado para amplificar a absorção da  extraída das plantas. Para tanto, os ruminantes não precisam mastigar tanto o alimento da primeira vez, visto que as paredes celulares são rompidas quimicamente no estômago.

vaca ruminando
Essa cena é bem comum quando se vê uma vaca, mastigando sem estar pastando, isso é ruminar.

Para isso, a principal diferença entre os ruminantes e os outros herbívoros é o estômago. Nos ruminantes, este é subdividido em quatro cavidades, as três primeiras constituem um trato digestório não absorvente e a última é onde de fato a digestão ocorre. As quatro cavidades são: rúmen, retículo, omaso e abomaso.

estômago de ruminante
Um típico estômago de ruminante evidenciando as quatro cavidades existentes

Os ruminantes, em geral, possuem uma língua muito musculosa e áspera, que auxilia como um membro para “pegar” e levar o alimento à boca, onde ele o corta com poderosos dentes incisivos.

Após ingerir o alimento pela primeira vez e esse chegar ao estômago, ele é inicialmente retido nas duas câmaras iniciais, o rúmen e o retículo. Nessas câmaras, os microorganismos ali existentes quebram a celulose e é no rúmen que os primeiros compostos químicos da comida (como lipídios, açucares e proteínas) são digeridos, através da ação de microorganismos.

Do rúmen o alimento vai para o retículo onde ocorre a formação de pequenos bolos alimentares. Após isso esses bolos alimentares menores são regurgitados (volta para a boca) e remastigados.

O animal então mastiga pacientemente o bolo alimentar, e este só irá para a terceira e quarta câmara (omaso e abomaso), quando suas partículas estiverem bem pequenas. No omaso, toda água remanescente nos bolos alimentares é absorvida. Após isso o bolo é direcionado para o abomaso.

A maior parte da celulose é absorvida antes que chegue ao abomaso e à partir desse ponto a disgestão é similar aos demais mamíferos, onde o alimento será digerido por enzimas produzidas por glândulas existentes na parede do abomaso. Durante a digestão, mais microrganismos são produzidos e o excesso dos mesmos é direcionado para o abomaso onde são também digeridos.

Pelo fato de consumirem basicamente vegetais, a estratégia de ruminar foi desenvolvida por esses animais afim de potencializar a absorção de alimentos, visto que a célula vegetal é mais difícil de ser  “quebrada” que a animal, sendo assim esses animais podem amplificar a absorção de nutrientes dessa fonte alimentar.

Paulo Ribeiro
Biólogo, Mestre em Zoologia Aplicada