Home / Disciplinas / Biologia / Termorregulação

Termorregulação

A produção de energia por tecidos vivos é chamada de termogênese e a taxa de metabolismo corporal é diretamente proporcional a quantidade de calor produzida.

Termorregulação

Cada ser vivo possui uma temperatura ideal para o funcionamento do seu organismo. A produção de energia por tecidos vivos é chamada de termogênese e a taxa de metabolismo corporal é diretamente proporcional a quantidade de calor produzida. Sabe-se que de 40 a 60% da energia resultante da quebra de ATP (adenosina trifosfato) é dissipada em forma de calor.

A taxa de metabolismo corporal pode variar ao longo dia, em uma situação de repouso o corpo tende a ter uma taxa mínima de metabolismo, diferentemente de quando está realizando exercícios físicos, como por exemplo, no caso do ser humano.

Essa taxa mínima é conhecida como taxa de metabolismo basal que pode ser entendido como a quantidade de calor produzida em repouso em um ambiente térmico neutro onde nenhuma transferência de calor ocorra entre o organismo e o ambiente.

A regulação da temperatura corporal pode ser feita de duas formas: homeotérmica ou heterotérmica. Essa nomenclatura também pode ser usada, atualmente, como endotérmica ou ectotérmica, respectivamente.

Os animais endotérmicos são conhecidos como “animais de sangue quente” pois sua temperatura corporal permanece praticamente invariável, mesmo se houver variação de temperatura no ambiente. Nessa categoria estão incluídos animais como as aves e os mamíferos. Já os animais ectotérmicos são conhecidos como “animais de sangue frio” e a sua temperatura corporal varia de acordo com a temperatura do ambiente. Nesse grupo incluem-se os peixes, os anfíbios, os répteis e os invertebrados.

A manutenção da temperatura corporal dos endotérmicos depende na maior parte da produção metabólica de calor através da oxidação de alimentos. Para os ectotérmicos, a manutenção da temperatura corporal provém de fontes externas ao corpo do animal, por isso répteis podem permanecer horas com seus corpos expostos ao Sol. Dessa maneira, a origem da fonte de calor para manutenção da temperatura corporal do animal é a principal diferença entre os endotérmicos e os ectotérmicos.

Se analisarmos o consumo de oxigênio em relação à temperatura ambiental, nos ectotérmicos, o consumo de oxigênio aumenta à medida que cresce a temperatura ambiental. E nos endotérmicos o consumo cresce com a diminuição da temperatura ambiente, já que o corpo precisa aumentar o metabolismo para manter a temperatura corporal ideal constante.

Os ectotérmicos tem a vantagem de não precisar obrigatoriamente da disponibilidade de alimentos, como a endotermia, podendo esses animais viverem em ambientes pobres em alimentos, como os desertos. Podemos dizer que eles são energeticamente econômicos.

Animal ectotérmico garantindo sua manutenção corporal
Animal ectotérmico garantindo sua manutenção corporal

A grande vantagem dos endotérmicos é a alta taxa de atividade enzimática proporcionada pelas altas temperaturas corporais constantes. Todo calor produzido pelo metabolismo corporal dos endotérmicos é distribuído para a superfície do corpo pelos vasos sanguíneos, entretanto pouco calor se perde devido ao isolamento que o tecido adiposo proporciona ao corpo do animal. Isso permitiu a esses animais, conquistarem ambientes mais frios.

Concurso Animal endotérmico vivendo em ambiente com baixas temperaturas
Concurso Animal endotérmico vivendo em ambiente com baixas temperaturas

Denisele Neuza Aline Flores Borges
Bióloga/Doutoranda em Biologia Vegetal