Aneurisma cerebral

Continue lendo para conhecer essa doença que pode ser agravada pela hipertensão.

O aneurisma cerebral ocorre quando há uma dilatação da parede enfraquecida de uma artéria que irriga o cérebro, geralmente em regiões de bifurcação, onde elas são mais frágeis.

Essa dilatação causada pela pressão que o sangue exerce na parede ressecada pode crescer de forma lenta e progressiva, mas não causar sintomas graves em algumas pessoas, permitindo que elas consigam levar uma vida normal.

No entanto, nos casos mais graves elas podem se romper, gerando uma hemorragia cerebral. É importante lembrar que os aneurismas podem acontecer em qualquer órgão que seja irrigado por uma artéria.

Os episódios de ruptura do aneurisma geralmente ocorrem em pessoas com mais de 50 anos e afeta mais mulheres que homens.

Apenas 2/3 dos pacientes que apresentam ruptura sobrevivem, e muitos deles podem permanecer com sequelas importantes que podem comprometer a qualidade de vida.

Causas de aneurisma cerebral

Uma das principais causas de aneurisma cerebral é o ressecamento das paredes das artérias, que ocorre, na maioria das vezes, por hipertensão sem tratamento adequado.

Em alguns casos a pessoa pode nascer com uma maior predisposição a ter artérias frágeis, mas os aneurismas congênitos são raros.

Algumas doenças associadas, como as síndromes de Marfan e de Ehlers-Danlos, podem aumentar a predisposição da dissecção da aorta, dando origem a aneurismas cerebrais.

Fatores que aumentam a predisposição do aneurisma cerebral:

  • Predisposição familiar;
  • Hipertensão;
  • Dislipidemia;
  • Diabetes;
  • Tabagismo;
  • Uso de álcool em excesso;
  • Mulheres em meia-idade.

Sintomas de aneurisma cerebral

Os aneurismas cerebrais pequenos costumam ser assintomáticos. O maior problema ocorre quando eles crescem e comprimem uma estrutura cerebral que pode afetar diversas áreas, de acordo com a região da dilatação.

A hemorragia é o principal sintoma dessa doença e, geralmente, ela é precedida por uma hipertensão descontrolada que pode gerar:

  • Dor de cabeça súbita;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Perda de consciência;
  • Desmaios.

Diagnóstico de aneurisma cerebral

O diagnóstico de aneurisma cerebral pode ocorrer através de manifestações clínicas e exames como angiotomografia e angioressonância magnética.

Quanto mais precocemente o aneurisma cerebral for detectado, mais os riscos de morte podem ser evitados, entretanto, isso raramente ocorre porque os exames de detecção não são incluídos em exames de rotina.

Tratamento de aneurisma cerebral

Depois de receber o diagnóstico do aneurisma cerebral a indicação pode ser tratamento medicamentoso ou cirúrgico, de acordo com as condições da dilatação.

Normalmente, os aneurismas com mais de 5 milímetros possuem indicações cirúrgicas, mas leva-se em conta que o risco cirúrgico para o paciente seja menor que a evolução natural do aneurisma.

O objetivo de uma cirurgia para conter o aneurisma é fechá-lo de modo a preservar a artéria para que ela continue nutrindo o cérebro.

A cirurgia pode ser feita de forma aberta por uma pequena abertura no crânio ou de forma endovascular, através de um cateter introduzido na virilha e guiado até a região do aneurisma.

Quando a cirurgia não é indicada, o controle da pressão arterial deve ser rigoroso e o paciente deve adotar hábitos saudáveis de vida, sem cometer exageros.

Prevenção do aneurisma cerebral

  • Manter a pressão arterial controlada;
  • Regular as taxas de colesterol e triglicérides;
  • Não fumar;
  • Evitar esforços físicos exagerados;
  • Estar atento a dores repentinas e fortes na cabeça;
  • Fazer acompanhamento caso haja casos de aneurisma na família.

Veja também:

Corpo Humano