6 Animais em perigo de extinção na Europa

Saiba mais sobre os animais que podem desaparecer na Europa.

No mundo, há uma imensa biodiversidade, tendo milhares de espécies de animais de todo tipo. Assim, cada região possui uma fauna própria, capazes de viver nos nichos ali presentes. Na Europa, com uma área de mais de 10 milhões de km², divididos em 50 países, há habitats de animais muito conhecidos, como ursos e lobos.

Contudo, com o avanço da humanidade em desequilíbrio com a natureza, muitos animais já foram extintos e outros estão em perigo de extinção. De acordo com o parlamento europeu, dos oito milhões de animais existentes no mundo, um milhão já está em risco de extinção.

De um total de 15060 espécies analisadas, 1677 foram identificadas como em perigo, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). Dito isso, veja 6 animais em perigo de extinção na Europa.

Lobo-ibérico

Lobo-ibérico

Não se sabe ao certo a população de lobo-ibérico presente em Portugal, porém, estudos compilados entre 2003 e 2014 contabilizaram a existência de cerca de 47 alcateias. Seu declínio populacional é causado por uma história de perseguição direta, assim como a diminuição de suas presas naturais.

Em 1988, o lobo-ibérico passou a ser protegido por lei em Portugal e hoje a espécie está estável, apesar de ter uma população limitada.

Lince-ibérico

Lince-ibérico

O lince-ibérico é caracterizado como animal em perigo de extinção desde 2015, após anos na categoria mais vulnerável da UICN, a criticamente em perigo. Estudos apontam que o animal é habitante na Península Ibérica há aproximadamente 27 mil anos, tendo cerca de 440 indivíduos contabilizados atualmente.

O desaparecimento do lince-ibérico é em decorrência principalmente do declínio das populações de coelho-bravo, base da sua alimentação, agravado pela perda de habitat e a sua contínua desfragmentação (fruto da construção humana) e pela perseguição direta.

Saramugo

Saramugo

O saramugo é um peixe pequeno em situação crítica de extinção. Habitante de uma das regiões mais importantes para a biodiversidade de peixes de água doce da Europa, a Península Ibérica, vem desaparecendo da Bacia do Rio Guadiana, no Alentejo, nos últimos 40 anos.

Além da predação de peixes exóticos invasores, a poluição, a construção de grandes barragens e a exploração de recursos hídricos também são fatores importantes na extinção desse peixe.

Hamster-europeu

Hamster-europeu

O hamster-europeu é uma espécie selvagem presente na Europa que sofreu uma redução drástica de população, antes encontrada em campos gramados. Por exemplo, na França, houve uma diminuição de 94% da população no hamster.

Mudanças climáticas, agricultura e poluição luminosa são os fatores mais influentes na extinção desse animal, que está previsto para desaparecer nos próximos 30 anos.

Pardela-do-mediterrâneo

Pardela-do-mediterrâneo

A ave é uma considerada criticamente em perigo de extinção no continente europeu. De tamanho médio, ela se alimenta de pequenos peixes e estão em extinção principalmente em função da restrita área de reprodução.

Essa ave se reproduz nas costas ou em pequenas ilhas e acabam morrendo presas em iscas de barcos pesqueiros quando estão em busca de alimentos. Já as áreas de reprodução são ameaçadas por mamíferos introduzidos nos locais.

Microtus bavaricus

Microtus bavaricus

A ratazana de pinheiro da Baviera é um roedor que habita Alpes austríacos, italianos e bávaros da Europa.

Nenhum indivíduo dessa espécie foi identificado desde 1980, o que levou cientistas a caracterizarem o animal como extinto. Porém, em 2000, na fronteira entre a Áustria e a Alemanha, uma ratazana foi encontrada em uma armadilha. Atualmente, há 23 exemplos da espécie em museus.

Leia também:

Reino Animalia