Como ocorre a fecundação humana?

Conheça todo o processo de fertilização de embriões humanos!

A fecundação humana ocorre quando o espermatozoide encontra com o ovócito secundário no interior do corpo feminino.

Após a fertilização do óvulo, o processo de desenvolvimento do embrião é iniciado e ocorre a gravidez. Todas essas etapas, juntas, constituem a concepção da vida humana.

Vejamos abaixo quais são e como ocorrem as etapas da fecundação humana.

Encontro dos gametas

Milhares de espermatozoides são lançados dentro do corpo feminino durante a relação sexual entre um homem e uma mulher.

Muitos morrem no canal vaginal, que é bastante ácido, os que sobrevivem iniciam uma corrida para chegar até o ovócito secundário, pois somente um conseguirá fertilizá-lo.

Fecundação humana – Gametas

Todos os meses um ovócito secundário é liberado e a mulher fica no seu período fértil. Nesse momento são produzidas substâncias químicas que atraem os espermatozoides.

O sêmen, onde os espermatozoides estão imersos, também possui substâncias químicas que provocam contração da musculatura uterina para ajudar a movimentação dos espermatozoides.

Os espermatozoides são células flageladas e nadam até as tubas uterinas, onde encontram o ovócito secundário. Quando encostam nas camadas externas do ovócito, o acrossomo dos espermatozoides libera uma enzima digestiva que dispersa as células foliculares.

No momento que o primeiro espermatozoide consegue atingir a membrana vitelínica do ovócito, ou seja, a membrana mais interna, ocorre uma reação química na membrana que impede a entrada de todos os outros espermatozoides.

Fertilização

A fertilização ocorre no momento da fusão de membranas dos dois gametas, dentro das tubas uterinas do corpo da mulher.

Para evitar a entrada dos outros espermatozoides são secretados grânulos corticais que fazem uma barreira na membrana do ovócito.

Com a entrada do espermatozoide, a meiose do ovócito é completada e ele se torna óvulo, os núcleos das duas células se fundem num processo chamado cariogamia. Essa fusão dá origem à célula-ovo ou zigoto que é a primeira célula do novo indivíduo.

A fertilização geralmente acontece nas primeiras 24h depois que os espermatozoides são lançados no corpo feminino.

Fecundação humana

Clivagens do zigoto

O desenvolvimento do zigoto começa com sucessivas clivagens, ou seja, diversas divisões mitóticas que irão formar o indivíduo pluricelular.

As clivagens do zigoto marcam o início do desenvolvimento embrionário. Na primeira divisão são formadas 2 células, na segunda divisão, 4 células e, na terceira divisão, 8 células.

Durante essas três divisões o zigoto aumenta apenas o número de células, sem mudar seu tamanho. Quando o zigoto atinge 16 células ele passa a ser chamado de mórula, com 32 células é chamado de blástula e acontece entre o 4º e 7º dia após a fecundação.

Fecundação humana – Desenvolvimento embrionário humano

Nidação

O blastocisto de 32 células começa a migrar das tubas uterinas para se fixar no endométrio que se localiza nas paredes internas do útero, esse processo se chama nidação e acontece por volta de 1 semana após a fecundação.

Depois da nidação, a gravidez é iniciada e, se ela não acontecer, o blastocisto é eliminado junto a próxima menstruação da mulher.

Fertilização artificial

A fecundação pode acontecer de forma artificial, num processo chamado de fertilização in vitro. Nesse caso, os óvulos são fertilizados em laboratório, fora do corpo e depois são introduzidos no útero para que a nidação aconteça e o desenvolvimento embrionário comece.

Se o embrião não conseguir se fixar no endométrio, ele não se desenvolve e a fertilização não é bem-sucedida, por isso, é comum que o processo de fertilização in vitro tenha que ser repetido.

Fecundação humana – Fertilização in vitro
Fecundação humana – Fertilização in vitro

Gêmeos univitelinos e bivitelinos

Você já percebeu que existem irmãos gêmeos que são idênticos e gêmeos que não se parecem? Isso acontece porque existem duas maneiras de uma gravidez múltipla acontecer.

Depois da fertilização, acontecem as clivagens e, em alguns casos, o zigoto pode se dividir em duas células distintas e continuar o desenvolvimento embrionário normalmente.

Esse tipo de divisão do zigoto dá origem aos gêmeos univitelinos, ou seja, gêmeos que vieram de um único zigoto. Nesse caso, os dois bebês são do mesmo sexo, idênticos fisicamente e possuem, inclusive, o mesmo DNA.

Já os gêmeos bivitelinos são formados quando o corpo da mulher passa por alguma desorganização hormonal e, em vez de liberar apenas um ovócito secundário, libera dois.

Esses dois ovócitos secundários podem ser fecundados após a relação sexual e formar dois embriões que se desenvolvem ao mesmo tempo, ou seja, os gêmeos bivitelinos são irmãos que foram gerados juntos, mas poderiam ter nascido separadamente.

Os gêmeos bivitelinos não precisam necessariamente ser do mesmo sexo, nem sempre se parecem fisicamente e possuem DNA diferentes.

Fecundação humana – Desenvolvimento embrionário humano – Gravidez múltipla

Veja também:

como nascem os bebêscomo são formados os bebêsfecundação humanafertilização in vitroformação de embriõesGêmeos bivitelinos univitelinos e idênticos