Conflitos da Guerra Fria

Confira os principais conflitos que ocorreram durante a Guerra Fria (1947-1991).

A Guerra Fria foi um conflito político-ideológico que ocorreu no século XX entre as duas grandes potências da época: Estados UnidosUnião Soviética.

Os anos de 1947 a 1991 foram marcados por uma polarização entre dois blocos. De um lado, o socialista, liderado pela União Soviética, e de outro, o bloco capitalista, comandado pelos Estados Unidos.

Ambos se desenvolveram largamente em várias áreas – econômica, tecnológica, científica e militar – visando conquistar a maior zona de influência possível.

É importante salientar que a Guerra Fria não provocou um conflito armado entre as duas nações. No entanto, o conflito de interesses gerou diversas guerras ao redor do mundo apoiadas e financiadas pelos Estados Unidos e União Soviética.

Um enfrentamento direto entre estas duas potências nunca ocorreu, pois ele poderia resultar na destruição do planeta.

Fases da Guerra Fria

Com o objetivo de facilitar o estudo sobre a temática, a Guerra Fria é dividida em três fases:

1 — Máxima tensão

Esta fase marcou o período de 1947 a 1953, quando a União Soviética e Estados Unidos conflitaram pelos territórios europeus por meio dos planos de auxílio financeiro aos países enfraquecidos economicamente pela Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Sendo assim, os EUA criaram o Plano Marshall, e a URSS, o Comecon. Além disso, os anos de 1950 a 1953 vivenciaram a Guerra da Coreia, conflito responsável por dividir o então país em Coreia do Sul (capitalista) e Coreia do Norte (socialista).

2 — Coexistência pacífica

Este período envolveu os anos de 1953 a 1977, quando houve conflitos em Cuba, Vietnã e África. É assim chamado, pois todos os enfrentamentos ocorridos não mostraram a intenção do uso de armas atômicas.

3 — Recrudescimento e fim da Guerra Fria

Esta fase compreendeu os últimos anos da Guerra Fria, 1977 a 1991, sendo marcada pela Guerra do Afeganistão. Este período se caracterizou pelo enfraquecimento do socialismo, que passa a não ter condições de competir com o capitalismo.

A URSS sofreu um desfalque financeiro que a fez ter que pedir empréstimos ao Ocidente. Além disso, os países da União Soviética começaram a se manifestar contra a subserviência ao Estado socialista.

É importante destacar que não há, na historiografia, um consenso quanto ao número de fases da Guerra Fria. Existem historiadores que defendem a existência de 4 fases e outros que identificam 5.

Principais conflitos da Guerra fria

Guerra da Coreia

A Guerra da Coreia (1950-1953) foi uma das consequências da Segunda Guerra Mundial. Ela remonta ao evento marcado pela invasão da Península Coreana por chineses e soviéticos, ao norte, e estadunidenses, ao sul. O paralelo 38 foi o limite entre os dois países: Coreia do Norte e Coreia do Sul.

Após a Segunda Guerra, os soviéticos afirmaram que os norte-americanos desrespeitaram o limite imposto, por isso, invadiram o sul. Tal ação fez com que a ONU permitisse o uso de uma força internacional liderada pelos Estados Unidos.

A Guerra do Vietnã foi usada pelas duas potências para mostrar seu poderio econômico, político, tecnológico e militar.

Os EUA afirmavam que sua intervenção era justificada pela Doutrina Truman, que determinava a ajuda do país às nações que lutassem contra o domínio comunista.

Guerra da Coreia

Guerra do Vietnã

A Guerra do Vietnã (1955-1975) também foi uma das consequências da Segunda Guerra Mundial. O Vietnã era ocupado pelos franceses. No entanto, os japoneses invadem o país e se apoderam do mesmo.

Após o conflito que envolveu estes dois países, os vietnamitas se revoltam contra a França e, em 1950, proclamam a República do Vietnã do Norte, influenciados pelo socialismo da URSS. Já a parte sul se manteria capitalista.

Em 1954, ocorreu a Conferência de Genebra com o objetivo de unificar o país que era dividido em Sul (capitalista) e Norte (socialista). Uma das causas da guerra foi a resistência da parte sul em adotar o comunismo.

O conflito teve seu início oficial quando a Conferência de Genebra não foi cumprida, pois as ideologias, capitalismo contra socialismo, sobressaíram.

Sendo assim, os EUA lutavam para impedir o avanço do comunismo no Vietnã do Sul, pois o principal objetivo dos norte-americanos era impedir a difusão do comunismo pelo mundo.

A Guerra do Vietnã durou vinte anos e se destacou por ser o maior enfrentamento armado do mundo após a Segunda Guerra Mundial. Os Estados Unidos perderam esta guerra que somou milhares de mortes e destruições.

Guerra do Vietnã

Guerra do Afeganistão

Até o final da década de 1970, o Afeganistão era uma monarquia em que viviam diversas tribos até que o príncipe Mohammed Daoud promove um golpe contra seu primo, o rei Zahir, em 1973.

Após detronar o rei, Daoud proclamou a república, tornando-se o primeiro presidente. Contudo, a corrupção continuou sendo uma realidade do país e ele foi assassinado, em 1978.

Quando os comunistas ascendem ao poder, o Afeganistão passa por diversas reformas, como o amplo acesso à escola. Entretanto, ao tentar promover uma reforma agrária e banir a religião o país, o comunismo perde a força.

Na Guerra do Afeganistão (1979-1988), diferentes facções lutam entre si pelo poder, até que a URSS oferece ajuda financeira e militar para manter o governo comunista.

Do lado oposto, os Estados Unidos se envolvem na questão, armando e treinando os opositores do regime comunista. Entre eles estavam Osama bin Laden, que se alia aos Estados Unidos e, décadas depois, se transforma em um dos principais inimigos do país.

A União Soviética retirou suas tropas em 1988. No entanto, as guerras civis seguiram até que o poder é tomado pelo Talibã.

Fim da Guerra Fria

O fim da Guerra Fria ocorreu a partir de um processo que durou dois anos, se considerarmos a Queda do Muro de Berlim (1989) e o final da URSS (1991).

A União Soviética passava por uma grave crise econômica que a impedia de dar auxílio financeiro aos países do bloco socialista.

Visando conseguir uma solução, a Alemanha Oriental (socialista) opta por realizar várias concessões, sendo que uma delas foi abrir a fronteira para a Alemanha Ocidental. Ao receberam a notícia, milhares de pessoas cercam o muro com o intuito de o derrubarem.

Queda do Muro de Berlim, em 9 de novembro 1989.

Ao mesmo tempo, a URSS adota as políticas de Mikhail Gobartchov, glasnot (abertura) e perestroika (construção).

Saiba mais em:

Guerra FriaHistória Contemporânea