Você sabe a diferença entre língua, idioma e dialeto?

Os três termos são muito utilizados e trazem diferenças entre si, mas, ainda, assim, causam certa confusão na hora de definir cada um.

Quando você preenche um currículo ou chega a uma entrevista de emprego, muitas vezes, é questionado(a) sobre quantos idiomas fala, certo? E, ainda, já deve ter ouvido falar nas novas regras gramaticais aplicadas a uma determinada língua ou sobre os diferentes dialetos falados em algum país.

Como pode perceber, os termos língua, idioma e dialeto são muito comuns em nosso cotidiano e, apesar de usados em situações semelhantes, guardam diferenças consideráveis entre si. Tanto que, quando se pergunta qual a distinção entre os três, muita gente se confunde para definir.

A verdade é que essa confusão é mais do que justificável porque, de fato, não há fronteiras muito bem delimitadas sobre o que é cada um. Porém, linguistas tentam diferenciar os conceitos a fim de facilitar o entendimento. Vejamos.

O que é língua?

Antes de qualquer coisa, a língua é o instrumento para comunicação pertencente àqueles que a falam para interação em sociedade. Trata-se de um sistema formado por regras e valores instituídos naquela comunidade linguística.

Sua maior expressão é o ato da fala, a forma de expressão que o povo usa para se comunicar. Sabemos que a fala é um instrumento dinâmico e vivo, portanto, passível de variações, as chamadas variações linguísticas. São os sotaques, jargões ou diferenciações da chamada “norma padrão”.

Aqui, vão algumas curiosidades:

  • uma das línguas mais difíceis é o basco, falado em regiões da Espanha. Como não há nenhuma relação com outras faladas no mundo, sua estrutura gramatical é singular e bastante complicada.
  • o único país, no mundo, que fala apenas um idioma é a Somália. Lá, os cidadãos são praticantes do somali.
  • a África tem mais de mil línguas em toda a sua extensão

O que é, então, o idioma?

O idioma é um termo utilizado para designar uma determinada nação em relação às demais. No fundo, está bastante relacionado a questões políticas porque, para que um idioma exista, é necessária a criação de um Estado Político.

Justamente por caracterizar um determinado povo, muitos ainda o consideram como sinônimo da “língua”. Porém, abrimos um parêntese para explicar que a língua tem caráter específico por englobar conjunto de códigos e palavras estruturadas sob regras determinadas.

O idioma, por sua vez, está vinculado à língua por, politicamente, designar uma nação. Sendo assim, está sempre articulado à língua oficial de determinado país. É importante lembrar, também, que os idiomas foram difundidos ao redor do mundo graças às migrações e colonizações.

Atualmente, os dez idiomas mais falados no mundo são chinês, híndi, inglês, russo, japonês, espanhol, alemão, português, indonésio e francês.

Mais curiosidades:

  • o russo não é falado, apenas, no país da Copa. Cerca de 137 milhões de pessoas residentes em 31 países o têm como primeiro idioma.
  • quase um bilhão de pessoas falam chinês e, mais ou menos, 200 milhões falam inglês
  • o latim foi o idioma mais falado em todo o mundo por bastante tempo. Muito disso deu-se por influência da Igreja Católica. No entanto, é cada vez menos praticado.

E que é o dialeto?

Os dialetos funcionam como versões da língua oficial quando há a adição de estruturas gramaticais e vocabulário distintos. Essas variações podem ser originadas por razões regionais ou sociais.

A primeira é o caso do champanhês, falado na França. No segundo caso temos exemplos das gírias e expressões profissionais. Em suma, são as maneiras de falar, linguagem própria de determinada região ou grupo social.

Quantos dialetos e idiomas tem no mundo? E no Brasil?

  • Atualmente, há cerca de 6.912 idiomas, 2.700 línguas e 7 mil dialetos em todo o mundo.
  • No Brasil, são consideradas como línguas oficiais a Portuguesa e Libras (Língua Brasileira de Sinais).
  • Porém, o Censo 2010 detectou 305 etnias indígenas no Brasil, contabilizando 274 línguas diferentes. Isso sem falar nos dialetos originados graças à imigração. É o caso do Hunsrückisch, alto dialeto alemão, e o talian, de origem italiana.
Comentários (1)
Adicionar Comentário
  • Jorge Venicio Paes da Sillveira

    Deve se considerar também os dialetos falados pelos ciganos das diversas etnias.