Gametogênese

A gametogênese é o processo de formação de gametas para a reprodução sexuada.

A gametogênese é a produção de gametas que ocorre em indivíduos que se reproduzem de forma sexuada. O principal evento desse processo é a ocorrência de meiose para reduzir o número de cromossomos e formar células haploides.

Os gametas são as células sexuais que podem ser masculinas ou femininas. Nas plantas, os gametas masculinos são chamados de anterozoides e os femininos de oosferas.

Nos animais, os gametas masculinos são os espermatozoides e os femininos de óvulos. A gametogênese masculina é chamada de espermatogênese, a feminina, oogênese ou ovogênese.

Apesar de ter nomes diferentes em plantas e animais, os gametas são as células responsáveis por carregar as informações genéticas que serão repassadas para os descendentes em todos os seres vivos.

Onde ocorre a gametogênese?

A gametogênese ocorre nas gônadas que também são as responsáveis por produzir hormônios sexuais que determinam características masculinas e femininas para os indivíduos.

A espermatogênese dos homens ocorre nos testículos e a oogênese das mulheres ocorre nos ovários.

Tipos de gametogênese

São dois os tipos de gametogênese: espermatogênese e oogênese. Vamos conhecer cada um deles?

Gametogênese – Espermatogênese e ovogênese

Espermatogênese

A espermatogênese é o processo de formação dos espermatozoides dos homens. O processo se inicia com as células germinativas, que já existem desde a vida intrauterina, nos testículos embrionários.

No entanto, o desenvolvimento dessas células germinativas só ocorre quando os homens atingem a puberdade e começam a produzir hormônios sexuais andrógenos.

As células germinativas que estão armazenadas nos testículos dão origem as espermatogônias, que se multiplicam através de divisões mitóticas.

Espermatogônias

As espermatogônias podem ser do tipo A e do tipo B. As do tipo A produzem novas espermatogônias durante toda vida por mitose.

As espermatogônias do tipo B são originadas através das espermatogônias do tipo A e passam por meiose.

Espermatócitos

Os espermatócitos são formados durante a meiose das espermatogônias do tipo B. Na intérfase, as espermatogônias B aumentam de tamanho e duplicam o DNA, formando os espermatócitos primários (espermatócitos I).

Os espermatócitos I passam pela primeira divisão meiótica e originam os espermatócitos secundários (espermatócitos II), que irão passar pela segunda divisão meiótica e dar origem às espermátides.

Espermátides

Cada espermatócito I origina quatro espermátides haploides que possuem metade do número de cromossomos das células germinativas.

As espermátides amadurecem e passam por diversas transformações até completarem o desenvolvimento dos espermatozoides.

Espermatogênese

Oogênese

A oogênese é a produção de gametas femininos. Esse processo se inicia ainda no desenvolvimento embrionário, com a produção de ovogônias a partir da sétima semana de gestação de cada mulher.

As ovogônias são produzidas através das células germinativas e se multiplicam por mitose. Ainda durante o desenvolvimento embrionário, as ovogônias entram no processo de divisão meiótica, mas ela é paralisada antes do nascimento da mulher, na fase de prófase I.

Ovócitos primários (ovócitos I)

Quando a bebê mulher nasce, as células gaméticas que tiveram a meiose paralisada são denominadas de ovócitos I e se mantêm em repouso dentro de uma estrutura protetora chamada de folículos.

Os ovócitos I já possuem o material genético duplicado e ficam armazenados até o momento da ovulação. Isso implica dizer que, todas as mulheres já nascem com todas as células gaméticas que serão liberadas durante toda sua vida reprodutiva.

Os dois ovários juntos possuem cerca de dois milhões ovócitos I, mas apenas 400 a 500 mil irão completar o desenvolvimento até o ovócito II.

Ovulação

A ovulação ocorre todos os meses durante o ciclo menstrual feminino. Eles começam a ocorrer durante a puberdade e ocorrem durante toda a vida reprodutiva da mulher, até chegar à menopausa.

Em cada ciclo menstrual, um folículo é estimulado a continuar seu desenvolvimento pelo hormônio folículo-estimulante (FSH).

O ovócito I termina a meiose I e dá origem a um ovócito secundário (ovócito II) e um corpúsculo polar que irão iniciar a meiose II que só será completada se houver uma fecundação.

O folículo rompido dá origem ao corpo lúteo que produz hormônios progesterona e estrogênio que estimulam o desenvolvimento do endométrio para receber o possível embrião.

Se o ovócito II não for fecundado, ele e o corpo lúteo serão eliminados junto ao endométrio no processo que chamamos de menstruação.

Ovogênese

Diferenças entre espermatogênese e oogênese

Na espermatogênese, ao final da meiose, são formados 4 gametas maduros e a produção gamética começa na puberdade e dura toda a vida adulta.

Na ovogênese, a separação das células no final da meiose I e II são desiguais e formam os corpúsculos polares que são degenerados. As mulheres já nascem com todos os ovócitos I que se desenvolveram durante toda a sua vida reprodutiva.

Veja também:

desenvolvimento embrionárioespermatogêneseformação de espermatozoidesformação de óvulosgametogênese humanaoogêneseprodução de gametasreprodução humana