Exercícios discursivos – Reino Plantae

Vamos fixar os conteúdos do Reino Plantae?

As plantas são indivíduos eucariontes, pluricelulares e autotróficos fotossintetizantes.

O Reino Plantae possui os ciclos de vida mais complexos de todos os organismos vivos.

Apesar de serem organismos sésseis, ou seja, sem mobilidade, as plantas têm muitas estratégias de dispersão de sementes e polinização cruzada, garantindo assim sua expansão territorial e variabilidade genética.

Teste seus conhecimentos resolvendo 10 exercícios discursivos sobre o Reino Plantae.

Exercícios discursivos – Reino Plantae

  1. Qual a fase dominante no ciclo das briófitas?
  2. Cite uma característica das pteridófitas que permitiu que esse grupo alcançasse um tamanho maior do que os musgos.
  3. Compare o ciclo da samambaia com o ciclo dos musgos. Em cada caso, indique a fase dominante, bem como o esporófito e o gametófito.
  4. Cite três características das angiospermas.
  5. O que é um ciclo haplodiplobiôntico? Quais as diferenças entre o esporófito e o gametófito?
  6. Baseados em que podemos dizer que as briófitas não se libertaram completamente da água?
  7. Descreva a fecundação dupla das angiospermas.
  8. Qual a origem da semente? Qual a origem do fruto?
  9. Quais as vantagens do fruto para a planta?
  10. Quantos e quais são os verticilos de uma flor?

Gabarito

  1. A fase dominante é o gametófito que é maior e de vida livre.
  2. A vascularização permitiu que esses indivíduos atingissem tamanhos maiores.
  3. O ciclo reprodutivo das samambaias é do tipo haplodiplobiôntico, os esporos são produzidos por meiose no interior dos esporângios e levados pelo vento até o substrato úmido, onde ele se fixa e forma o gametófito, que é independente e chamado de prótalo. O prótalo é muito pequeno e acaba ficando em contato com a água, permitindo a fecundação através dos anterozoides flagelados que nadam até a oosfera, dando origem ao esporófito que é a fase dominante do ciclo. Nas briófitas os indivíduos têm sexos separados e o anterozoide chega até a oosfera também por meio da água e então ocorre a fecundação formando um esporófito diploide que possui uma haste com uma cápsula na ponta e é a fase passageira do ciclo. Os esporos haploides são produzidos nessa cápsula, depois liberados e arrastados pelo vento, germinando a distância da planta-mãe. A germinação leva a formação de um novo gametófito que é a parte duradoura do ciclo.
  4. Plantas com flores, frutos e dupla fecundação.
  5. É o ciclo em que ocorre alternância de gerações. O esporófito é a fase diploide da planta, onde ela produz esporos por meiose. O gametófito é um indivíduo haploide que produz gametas.
  6. A briófitas são dependentes de água para a fecundação.
  7. A dupla fecundação é uma característica importante das angiospermas. Depois que o pólen é depositado sobre o estigma receptivo, ele germina e produz o tubo polínico que vai crescer em direção ao ovário. Ainda dentro do tubo polínico a célula geradora se divide dando origem a dois núcleos espermáticos (gametas masculinos) que são liberados e um fecunda a oosfera (gameta feminino) gerando um zigoto diploide e o outro se une a dois núcleos polares e origina um tecido triploide chamado endosperma.
  8. As sementes são o desenvolvimento dos óvulos maduros e fecundados de gimnospermas e angiospermas. Os frutos são o desenvolvimento dos ovários depois da fecundação das angiospermas.
  9. Além de proteger a semente, os frutos atraem dispersores que ao se alimentarem deles, levam para longe as sementes, promovendo a conquista de novos ambientes.
  10. As flores têm quatro verticilos: o cálice (sépalas), a corola (pétalas), o androceu (estames), e o gineceu (carpelos).

Confira também:

ciclos de vida das plantasdupla fecundaçãoReino Plantae