Rômulo e Remo

De acordo com a mitologia romana, Rômulo e Remo estão intimamente ligados à fundação de Roma.

Rômulo e Remo são dois irmãos gêmeos que, de acordo com a mitologia romana, se relacionam diretamente com as origens de Roma, o maior império da Antiguidade Clássica.

Segundo a lenda, por serem filhos da princesa Rea Sílvia, filha do rei Numitor, e de Marte, os irmãos despertavam inveja quanto ao futuro do trono, por isso, foram jogados em um rio para morrerem afogados.

Contudo, eles foram salvos por uma loba que os resgatou e passou a amamentá-los. Pouco tempo depois, um pastor chamado Fáustulo os encontrou sob os cuidados da loba e, com sua esposa, criou os gêmeos.

História de Rômulo e Remo

De acordo com o poeta Virgílio e com o historiador romano Tito Lívio, a fundação de Roma esteve associada à destruição da cidade de Troia pelos gregos, por volta de 1400 a.C.

Segundo ambos os pensadores, os romanos descendem do herói troiano, Eneias que fugiu para a Itália após a destruição de Troia e lá fundou a cidade de Lavínio.

Passado algum tempo, seu filho, Ascânio, fundou o reino de Alba Longa, que prosperou tanto que despertou a cobiça de Amúlio, irmão do então rei de Alba Longa, Numitor (descendente de Ascânio).

Visando tirar seu irmão do poder e ascender ao trono, Amúlio promoveu um golpe contra Numitor. Empossado no trono, ele aprisionou o antigo rei e sua filha, a princesa Rea Sílvia, condenando-a à castidade.

Tal medida foi tomada porque o nascimento de dois descendentes de Numitor poderia colocar o poder do novo rei em risco.

Entretanto, o plano do rei Amúlio não teve êxito, pois, seduzida pelo deus Marte, Rea acabou engravidando de gêmeos, o que gerou o nascimento de Rômulo e Remo.

Revoltado, Amúlio ordenou que os bebês fossem atirados no Rio Tibre para morrerem afogados. Contudo, o plano de morte não funcionou, já que os recém-nascidos foram encontrados às margens do rio por uma loba que os amamentou.

Passado pouco tempo, um camponês que caminhava pela região se deparou com as pequenas crianças sob os cuidados de uma loba e os pegou para criar.

Reconquista do trono

Já na vida adulta, Remo discutiu com alguns pastores que moravam próximo à sua propriedade e foi preso pelo rei Amúlio. Preocupado com a prisão de Remo, Fáustulo confessou a Rômulo que ele e o irmão eram herdeiros do trono de Alba Longa.

Movido pela raiva, Rômulo vai até o palácio, liberta seu irmão, mata o rei Amúlio e liberta seu avô, Numitor. De posse na Coroa, o rei Numitor permitiu que os irmãos fundassem uma nova cidade próxima ao Rio Tibre.

Morte de Remo

Remo ficou com a região do monte Aventino e Rômulo com as terras do monte Palatino. Depois que as regiões foram oficialmente direcionadas aos irmãos, Rômulo se dirigiu para a construção de uma fronteira que dividisse suas terras e as de seu irmão.

Durante a construção da muralha, Remo reagia à atitude de Rômulo com ironia, pois ele não ficou satisfeito com a região que havia ficado sob o seu domínio.

Assim, desconsiderando a divisão e debochando do irmão, Remo atravessou o território de Rômulo. Irritado com a reação de Remo, Rômulo o mata e enterra seu corpo no Monte Aventino.

Fundação de Roma

Após a discussão dos irmãos e a morte de Remo, Roma é fundada pelas mãos de Rômulo, em 21 de abril de 753 a.C. Como rei de Roma, sua primeira providência foi povoar a nova cidade.

Passado algum tempo, Rômulo guerreou contra o rei dos sabinos, Tito Tácio, que aceitou a unificação dos reinos e, por fim, os limites de Roma foram delimitados.

Saiba mais em:

Idade AntigaRoma antiga