Urso panda – Características, reprodução, alimentação, habitat, extinção

Os ursos pandas, ou pandas gigantes, são mamíferos que vivem nas regiões montanhosas do sudeste da China e se alimentam de bambu.

O urso panda é um dos animais mais conhecidos do mundo.

Além de fofos, os quais costumam ser associados aos ursinhos de pelúcia, o animal está presente nos desenhos e filmes, como é o caso do Kung Fu Panda.

Também denominados como pandas gigantes, a sua aparência é bem peculiar: os pelos brancos com manchas negras ao redor dos olhos, membros, orelhas e ombros.

Características

Com o nome científico Ailuropoda melanoleuca, os pandas gigantes são pertencentes à família Ursidae e à ordem Carnivora. Veja a seguir a classificação científica do animal:

  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Mammalia
  • Ordem: Carnivora
  • Família: Ursidae
  • Subfamília: Ailurinae
  • Gênero: Ailuropoda
  • Espécie: Ailuropoda melanoleuca

Os mamíferos são caracterizados pela presença de pelos e pela capacidade de produzir leite, o alimento para os filhotes.

A pelagem, inclusive, os faz ser notavelmente reconhecido. E em alguns casos, o padrão de pelagem os permite se camuflar, seja em locais com neve (pelo branco) e nas sombras (manchas pretas).

Agora, quanto a nomenclatura pandas gigantes, ela não é atribuída por acaso. A espécie adulta pode alcançar de 1,20 m a 1,50 m de altura, pesando entre 75 kg e 160 kg.

Porém, apesar dessas características ele não é um grande predador, podendo ser predado pelos leopardos, por exemplo.

Alimentação

Os ursos pandas, apesar de serem classificados como carnívoros, não possuem esse tipo de alimentação.

A sua dieta é toda baseada no consumo de bambu, estimando-se 40 kg de bambu consumidos diariamente.

Ao estar em contato com a natureza, os mamíferos também comem flores, peixes e animais pequenos. Já as espécies de cativeiros costumam beber leite, comer ovos, carne moída, maçãs, cenouras e um pão de vitaminas, para reposição dos nutrientes.

Habitat

Os pandas gigantes são animais que vivem em florestas de bambu, nas cavernas e no oco de árvores.

A priori, eram encontrados nas flores das regiões montanhosas do sudeste da China. Porém, com a progressiva destruição de seu habitat natural acabaram por se limitar a locais onde as florestas se mantiveram.

Reprodução

A espécie é conhecida por ser solitária, se encontrando apenas nos ciclos reprodutivos.

Entretanto, a sua estação reprodutiva é muito curta. A fêmea entra no cio apenas entre um a três dias por ano, e sempre na primavera.

Deve-se a isso a sua taxa reprodutiva ser tão baixa.

Porém, ao contrário do ciclo reprodutivo, a gestação das pandas fêmeas é considerada longa – entre 95 a 160 dias.

Normalmente a mãe dá a luz a apenas um filhote e, no caso de gêmeos, raramente os dois sobrevivem.

Os bebês pandas costumam nascer pesando entre 150 g e 200 g, e desmamam depois dos oito meses.

Eles ficam com a mãe nos primeiros meses, até um tempo aproximado de 18 meses, quando ela engravida novamente.

Extinção

A Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) cataloga os ursos pandas como vulneráveis.

Entretanto, em outro momento já foram tidos como ameaçados, mas com esforços, até mesmo de restauração de habitat, o status mudou.

Curiosidades

  • Os ursos pandas podem ficar mais de 14 horas por dia comendo. Isso porque possuem a eficiência digestiva baixa, o que exige a alimentação em grande quantidade.
  • Os ursos pandas podem evacuar mais de 100 vezes ao dia.
  • A mãe de um urso panda pode pesar quase 1000 vezes a mais que o peso do seu filhote.
  • Os filhotes de panda nascem cegos e quase sem pelos.
  • Na natureza, os pandas podem viver aproximadamente duas décadas. Já em cativeiro, a sua vida pode chegar a três décadas.
  • Os pandas machos não possuem interesse por sexo no verão e no outono.
  • A espécie é um dos mamíferos com crescimento mais elevado. No primeiro mês de nascido, podem alcançar até quase dois quilos.

Você pode gostar também de:

Pandas gigantesUrso panda