Bário

O bário é um elemento químico macio e prateado, classificado como metal alcalino-terroso.

0

O bário (símbolo químico Ba, número atômico 56) é um elemento químico macio e prateado, classificado como metal alcalino-terroso. Dada a sua reatividade com o ar, nunca é encontrado na sua forma pura na natureza.

Além disso, seu óxido reage com água e dióxido de carbono e não é encontrado como mineral. Os minerais naturais mais comuns do bário são sulfato de bário e carbonato de bário.

Para quê serve?

O bário e seus compostos têm uma variedade de aplicações. Por exemplo, o bário metálico é usado para remover traços de oxigênio dos tubos de vácuo. O sulfato de bário é útil para o diagnóstico por raios X.

O carbonato de bário é usado em venenos de rato e na fabricação de vidro, porcelana, tijolos e cimento. O óxido de bário é usado para revestir catodos em lâmpadas fluorescentes, e o hidróxido, uma base química, é usado para limpar vazamentos de ácido.

Os sais de bário (particularmente seu nitrato, cloreto e clorato) podem ser usados ​​em fogos de artifício para produzir cores verdes. Na indústria, o cloreto de bário é usado principalmente para purificar soluções de salmoura em plantas de cloro.

Deve-se notar, no entanto, que o bário e seus compostos hidrossolúveis são tóxicos.

História

O bário (da palavra grega barys, que significa “pesado”) foi identificado pela primeira vez em 1774 por Carl Scheele e extraído em 1808 por Sir Humphry Davy na Inglaterra.

Características

Como membro da família dos metais alcalino-terrosos, o bário encontra-se no grupo dois (antigo grupo 2A) da tabela periódica, entre o estrôncio e o rádio . Além disso, é colocado no período seis, entre césio e lantânio .

O bário é quimicamente semelhante ao cálcio, mas é mais reativo. Este metal oxida-se prontamente quando exposto ao ar e é altamente reativo com água ou álcool, produzindo gás hidrogênio. Ao queimar no ar ou oxigênio, produz não apenas óxido de bário (BaO), mas também peróxido de bário.

Para armazenar bário em sua forma pura, protegendo-o da oxidação pelo ar, ele deve ser mantido sob um fluido à base de petróleo (como o querosene) ou outro líquido livre de oxigênio adequado que exclua o ar.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.