Confira 11 brincadeiras pensadas para turmas de creche e pré-escola

Importantes na melhora da coordenação motora e desenvolvimento dos sentidos, essas brincadeiras são ideais para crianças de 3 a 5 anos.

0

Em um mundo onde as crianças estão cada vez mais ligadas a brinquedos tecnológicos, as brincadeiras tradicionais ainda são as melhores alternativas de entretenimento.

Isso porque elas possibilitam, além de desenvolvimento cognitivo, os desenvolvimentos físico e afetivo. Ao interagir com os colegas, elas aprendem, entre outras coisas, sobre a importância de cooperar e compartilhar.

Essas brincadeiras promovem ainda atividades físicas, que são fundamentais no desenvolvimento da coordenação motora. E o mais importante, possibilitam muita diversão.

Turmas de creche e pré-escola são especialmente privilegiadas, uma vez que estão no auge do desenvolvimento. Para educadores que utilizam esse método em sala de aula, fizemos uma seleção especial.

Brincadeiras simples, de fácil execução e que vão bem em lugares pequenos. Confira todas elas e diversifique o dia a dia em sala de aula.

1 – Pega batatas

Para realizar esta brincadeira, será preciso ter folhas de papel e dois cestos médios. A execução é bastante simples. Antes de começar a brincadeira é preciso amassar algumas folhas de papel para serem as batatas. Os papéis mais maleáveis, como jornais e revistas, são os mais indicados.

Em seguida, o professor deve espalhar as batatas por diversos locais e separar a turma em dois grupos, entregando um cesto para cada. Ao sinal do educador, as crianças vão percorrer o local em busca das batatas, colocando-as no cesto da equipe. Vence o grupo que, ao final, tiver recolhido mais batatas.

2 – O mestre mandou

O educador irá escolher uma criança para ser o mestre, que irá ditar aos colegas alguma ordem simples, como “o mestre mandou pular de um pé só”. As outras crianças deverão cumprir a ordem. Permanece na brincadeira quem conseguir executar todas as tarefas.

3 – O dragão

Os alunos deverão ser posicionados em fila indiana, com as mãos na cintura do colega que estiver na frente. A primeira criança da fila será a cabeça do dragão. Seu objetivo será pegar o último da fila, que será a cauda.

Assim que autorizados pelo professor, as crianças começarão a correr e a fazer movimentos para evitar que a cabeça pegue a cauda. Assim que isso acontecer, o primeiro e o último aluno podem ser substituídos por alguém do meio. A brincadeira segue enquanto os pequenos demonstrarem interesse.

4 – Pirata trapalhão

Para executar a brincadeira é preciso ter algumas balas e guloseimas dentro de um saquinho para ser o tesouro. Escolha algum dos alunos para ser o pirata. Sem que os demais vejam, ele vai esconder um tesouro. Depois de terminar, ele vai gritar “vamos ajudar o pirata trapalhão?”.

A este sinal, as outras crianças vão começar a procurar. Depois de cinco minutos, caso ninguém encontre, o pirata pode começar a dar dicas do local. Quem encontrar o tesouro ganhará o brinde e será o próximo pirata.

5 – O carteiro

A brincadeira começa com todos ao alunos sentados em círculo. O professor começará dizendo “O carteiro mandou mandou uma carta só para quem está de cabelo preso.”

Quem estiver de cabelo preso deverá trocar de lugar, mas sem ir para o lugar ao lado. Quem não conseguir ocupar um novo lugar rapidamente, estará eliminado da brincadeira. As cartas continuarão a chegar, com comandos diversos (quem está de óculos, de tênis, etc.).

6 – Biscoitinho queimado

Para brincar, é preciso somente de um brinquedo. O professor deverá mostrá-lo a todas as crianças e em seguida entregá-lo para algum deles esconder, enquanto os outros ficarão de olhos fechados. O brinquedo será o “biscoitinho queimado”.

Assim que terminar de esconder, a criança deve gritar “Biscoitinho queimado!”. Será o sinal para os colegas saírem em busca do objeto oculto. Conforme eles forem se afastando, quem escondeu grita “Está Frio!”, ao contrário, quando se aproximarem, ele vai gritar “Está quente!”.

Quem encontrar um brinquedo primeiro ganha e será o próximo e escondê-lo.

7 – Boliche

Para executar a brincadeira será preciso uma bola e algumas garrafas plásticas, cheias até a metade, de água ou areia. O boliche é ideal para trabalhar a coordenação motora das crianças. O educador deverá posicionar as garrafas como no boliche tradicional, e as crianças, cada uma a sua vez, tentarão derrubar todos os pinos com a bola.

8 – Morto-vivo

Ideal para despertar a capacidade de concentração e a capacidade motora, esta é uma brincadeira bastante simples, que não usa nenhum material. O professor vai orientar os pequenos a ficarem um ao lado do outro.

Quando ele disser “morto” as crianças vão se agachar. Já quando ele disser “vivo”, todos podem se levantar. Quem errar estará fora, até que a brincadeira comece novamente. O interessante é ir alternando as palavras e a velocidade, para que a diversão seja ainda maior.

9 – O feiticeiro

Delimitado o perímetro da atividade, um dos alunos será escolhido como o feiticeiro. Assim que o professor autorizar, ele sairá correndo, com o objetivo de pegar os coleguinhas. Quando ele encostar em alguém, este deverá ficar parado com as pernas afastadas. Ele estará efeitiçado!

Enquanto o feiticeiro vai em busca de um novo colega, estes poderão se abaixar e passar por baixo das pernas de quem está parado, quebrando o feitiço. Depois de algum tempo, um novo feiticeiro será escolhido.

10 – A queda do chapéu

Será necessário um chapéu para executar a brincadeira. As crianças serão posicionadas em círculo e cada um receberá um número. Em seguida, o professor se colocará no meio delas, segurando um chapéu.

O chapéu será jogado para cima, enquanto o educador fala o número do aluno que deverá pegá-lo. Se ele conseguir pegar o chapéu irá para o centro do círculo, junto ao professor, se deixar cair, estará fora da brincadeira.

11 – Corre-cutia

Para brincar é preciso ter um objeto qualquer. O professor vai posicionar as crianças sentadas no chão, em formato de círculo. Uma delas ficará em pé, do lado de fora da roda. Ele será o fugitivo.

Enquanto as crianças cantam “corre cutia na casa da tia”, o fugitivo andará ao redor do círculo. Conforme orientações do educador, os alunos vão parar de cantar repentinamente.

Com isso, a criança que estiver de pé vai deixar o objeto atrás de um coleguinha, que deverá correr atrás do fugitivo enquanto este tenta se sentar no seu lugar. Se ele conseguir pegar o colega, poderá voltar ao seu posto. Caso contrário, será o próximo fugitivo.

Dica extra

Ao final da brincadeira, reúna os pequenos para falarem de suas experiências e descobertas com a atividade. Estimule-os a falar sobre o que eles mais gostaram e discuta conceitos importantes, como a importância do coletivo, do trabalho em equipe e ainda sobre perder e ganhar.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.