Comidas indígenas que você precisa conhecer

Uma das bases da culinária brasileira, as comidas de origem indígena possuem sabores muito particulares, que retratam uma parcela importante da nossa cultura.

0

A culinária é um traço importante, e único, da cultura de cada povo. Justamente por isso, ela é muito característica de cada lugar. Por isso, as comidas típicas indígenas brasileiras possuem variações, até mesmo entre uma tribo e outra.

Em comum, elas possuem o uso de ingredientes muitos simples e naturais, a exemplo da mandioca, milho, frutas, ervas e peixes. Ou seja, são aquele retirados diretamente da natureza.

Além disso, a comida, nas tribos indígenas, é preparada com diversas finalidades, como por exemplo oferendas aos deuses e espíritos, para as mulheres períodos pós-parto e para os homens que vão caçar. Há, ainda, os alimentos proibidos e os especiais para festas e determinadas épocas do ano.

Ainda que muitas comidas tenham sofrido influência dos portugueses e dos africanos, ou tenham sido modificadas ao longo do tempo, elas guardam em sua essência a originalidade de um povo que é responsável pela construção de boa parte daquilo que hoje compõem a cultura brasileira.

Beiju

Muito semelhante a tapioca que conhecemos, o beiju é uma prato do índios que viviam, inicialmente, na região onde hoje está o estado de Pernambuco. Enquanto a tapioca é feita do amido da mandioca, o beiju é feito a partir da massa da mandioca. Esta, ao ser espalhada em uma frigideira forma uma espécie de crepe seco. Entre os recheios mais comuns, estão o coco, a carne seca e o queijo coalho.

Imu Yanisa Kiyauriri

Este prato, com nome complicado, nada mais é do que uma espécie de mingau feito a base de tapioca. Além do produto da mandioca, ao prato, são acrescidos ainda, leite de coco, açúcar e água. É um prato quente, extremamente consumido no desjejum, tanto por adultos, quanto por crianças, em função de seu potencial energético.

Hihi

Outro prato que tem como base a mandioca, a hihi, por fora, lembra muito uma pamonha, porque é embrulhada por folhas, mas ao invés da palha do milho, esta é envolta na folha de bananeira. A bolacha é feita unicamente de mandioca. Depois de ralada, ela é espremida, embrulhada na folha já preparada e cozida em água fervente por duas vezes.

Canjica

Envolto em muitas controvérsias a respeito de sua origem, acredita-se que um dos pratos mais bem quistos das festas juninas tem origem indígena, mais especificamente, uma herança dos índios Tupinambás. A canjica é feita a partir de um milho branco, cozido e preparado junto com outros ingredientes, como leite, leite de coco e açúcar. Em algumas regiões brasileira, o prato recebe o nome de mungunzá.

Jiquitaia

Fonte: Blog Come-se

A jiquitaia é um prato tipicamente indígena, mais precisamente Baniwa. A iguaria é composta por uma mistura de pimentas, que são secas ao sol, e piladas junto com sal. Entretanto, algumas pessoas fazem o preparo utilizando soro de queijo. Neste preparo as pimentas frescas, o sal e o soro são colocados em um pote. O preparo é curtido durante alguns dias e fica pronto quando o vidro é aberto e não há mais gás oriundo da mistura.

Moqueca de peixe

Apesar de ter recebido importantes alterações dos portugueses e africanos que vieram para o Brasil, a moqueca é um prato tradicional indígena. Vem da língua tupi, pokeka, e quer dizer “assado de peixes”. É muito consumida junto com o pirão, que tem como base farinha de mandioca e caldo de peixe. A moqueca, salvas as variações de cada região, hoje é um cozido de peixe. Entretanto, originalmente era feita assada, em áreas cobertas de cinzas e em grelhas de varas.

Tacacá

Muito comum no norte do Brasil, o tacacá é um prato tipicamente indígena, também com base de mandioca. Em sua preparação há um caldo amarelado, que recebe o nome de tucupi. Este caldo quente é colocado sobre a goma de tapioca. É servido muito quente, em cuias, juntamente com o jambu (erva amazônica que provoca dormência na boca), pimenta e camarão seco. Pode sofrer muitas variações entre cada estado.

Txu’ü

Um ingrediente muito comum na culinária indígena, a banana é a base deste prato. O txu’ü é usado como acompanhamento de peixes ou para engrossar caldos e sopas. para prepará-lo, a banana verde é cozida até que solte da casca. Depois disso é amassada e o creme refogado em óleo, junto com olho o sal.

Pipoca

Um alimento tão comum nos nossos dias, nem imaginamos que a pipoca tem origem indígena. Popular no mundo inteiro, a pipoca tem origem na alimentação dos índios da américa. Quando os europeus chegaram aqui, descreveram-na como um salgado de milho. Inicialmente, as espigas de milho eram colocadas inteiras, diretamente sobre a fonte de calor. Somente com o passar do tempo é que os grãos foram colocados separadamente. Além de alimento, já foi usada também como adereço corporal e de cabelo.

Buré

Além da mandioca, outro ingrediente muito comum é milho. Ele é o ingrediente principal do buré, que além do milho, leva broto de abóbora, cebola e alho. O milho verde é retirado da espiga, batido e coado. Depois é refogado com os demais ingrediente e cozido até se tornar um creme espesso.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.