Comodidade digital torna as redes sociais um ambiente propício para a aplicação de golpes

Em tempos como esses, é extremamente importante ficar atento a todos os sinais de possíveis golpes. Confira aqui essa problemática.

Atualmente, em tempos de comodidade digital e a alta incidência de golpes, é importante estar atento às compras e ações realizadas na internet, tendo em vista os diversos golpistas espalhados “pelos quatro cantos” do Brasil.

Levando em consideração o cenário apresentado. Camila Praxedes, de 22 anos, foi viajar com a família para a Serra da Sipó, ponto turístico localizado em Minas Gerais. O objetivo da viagem era aproveitar o final de semana do Dia das Mães. A hospedagem já não era novidade, uma vez que Camila já havia se hospedado ali em outro momento, em 2019, o que fez com que ela, diante das boas experiências que obteve, voltasse ao local.

 

Todavia, na última ida ao lugar, Camila infelizmente sofreu um golpe por parte da Pousada Santa Vila. A empresa alega que a própria também foi vítima da ação criminosa, já que os bandidos teriam invadido as redes sociais do local e ofertado promoções atrativas e, ao mesmo tempo, enganosas. Além disso, a atendente de cobrança obteve um prejuízo de R$ 250,00, ou seja, a metade do valor concedido a ela no ato da reserva.

Tendo em mente situações como essa, a empresa líder em segurança cibernética “Avast” alerta a população quanto aos golpes realizados em reservas de hotel, pousadas e até mesmo aluguéis de temporada. Ademais, afirma que a comodidade virtual é uma grande facilitadora da continuidade desses golpes, já que boa parte dos consumidores realizam compras através da internet.

Por fim, diante desse e de milhares de outros relatos frustrantes, confira abaixo algumas dicas para se precaver e evitar cair em golpes como esse:

– Priorize fazer a reserva em estabelecimentos conhecidos, que tenham boa avaliação de outros clientes;
– Além de pesquisar pela reputação da empresa em sites como Reclame Aqui, também é útil conferir as redes sociais da marca;
– Também confira se o site tem selo de segurança e a sigla “https” ao lado do endereço, o que indica que ele usa criptografia;
– Ao conversar com as vítimas, os golpistas costumam cometer erros de português ou usar uma linguagem inadequada em contatos comerciais;
– Se possível, priorize o contato presencial ou por ligação telefônica.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More