Críticas à regra de verificar a cor dos sutiãs de alunas das escolas japonesas

Entenda o motivo dessa norma japonesa e críticas a ela.

Certamente, você já ouviu falar que o Japão possui costumes e hábitos muito diferentes do Brasil, inclusive nas escolas, com normas rígidas e peculiares. Assim, um fato que vem chamando bastante atenção são as críticas à regra de verificar a cor dos sutiãs de alunas das escolas japonesas. Não entendeu muito bem? Então acompanhe a leitura deste artigo!

Leia mais: Curiosidades sobre o Japão – Veja 8 características da cultura japonesa

Regras de vestimentas nas escolas do Japão

As escolas do Japão normalmente exigem que os estudantes frequentem o espaço utilizando uniformes. Entretanto, uma das regras relacionadas às peças de vestuário é que as roupas íntimas sejam brancas.

Assim, as meninas sempre devem utilizar sutiãs brancos para evitar um contorno visível através do uniforme. Segundo as escolas, o objetivo é impedir distrações e não proporcionar um ambiente sexualizado.

Então, as professoras verificam a cor do sutiã das alunas de 12 a 15 anos de idade puxando a alça da peça íntima pela camisa. Embora nem todas as escolas adotem essa regra, cerca de metade delas ainda são adeptas à norma, que tem sido alvo de grandes críticas.

Conforme advogados do Japão, a prática de verificar a cor dos sutiãs das estudantes é uma violação dos direitos humanos. Ademais, esta não é a única regra peculiar do país. Outras envolvem também a proibição do uso de acessórios, celulares e até de alguns tipos de penteados.

Outras normas em vigor nas escolas do Japão

Nas escolas japonesas não é permitido utilizar cachecóis, colares, brincos, anéis, relógios e penteados moicanos. O único tipo de adorno liberado são elásticos de cabelo, desde que sejam de cor preta, marrom ou azul marinho.

Além disso, veda-se o uso de celulares enquanto estiverem na escola, com o propósito de não prejudicar a aprendizagem. Caso o(a) aluno(a) necessite manusear o telefone, é preciso ir para o estacionamento ou área externa da escola após o término ou intervalo das aulas.

Por fim, a Ordem dos Advogados do Japão elaborou um relatório para apresentar ao Conselho de Educação. No documento constam conselhos para que as escolas reflitam sobre o efeito de todas essas regras na educação dos seus alunos.

Agora que você sabe sobre as críticas à regra de verificar a cor dos sutiãs de alunas no Japão, acompanhe o blog do Escola Educação e tenha acesso a muitas curiosidades, materiais e diversas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More