Você sabe a diferença entre língua, idioma e dialeto?

Os três termos são muito utilizados e trazem diferenças entre si, mas, ainda, assim, causam certa confusão na hora de definir cada um.

Quando você preenche um currículo ou chega a uma entrevista de emprego, muitas vezes, é questionado(a) sobre quantos idiomas fala, certo? E, ainda, já deve ter ouvido falar nas novas regras gramaticais aplicadas a uma determinada língua ou sobre os diferentes dialetos falados em algum país.

Como pode perceber, os termos língua, idioma e dialeto são muito comuns em nosso cotidiano e, apesar de usados em situações semelhantes, guardam diferenças consideráveis entre si. Tanto que, quando se pergunta qual a distinção entre os três, muita gente se confunde para definir.

A verdade é que essa confusão é mais do que justificável porque, de fato, não há fronteiras muito bem delimitadas sobre o que é cada um. Porém, linguistas tentam diferenciar os conceitos a fim de facilitar o entendimento. Vejamos.

O que é língua?

Antes de qualquer coisa, a língua é o instrumento para comunicação pertencente àqueles que a falam para interação em sociedade. Trata-se de um sistema formado por regras e valores instituídos naquela comunidade linguística.

Sua maior expressão é o ato da fala, a forma de expressão que o povo usa para se comunicar. Sabemos que a fala é um instrumento dinâmico e vivo, portanto, passível de variações, as chamadas variações linguísticas. São os sotaques, jargões ou diferenciações da chamada “norma padrão”.

Aqui, vão algumas curiosidades:

  • uma das línguas mais difíceis é o basco, falado em regiões da Espanha. Como não há nenhuma relação com outras faladas no mundo, sua estrutura gramatical é singular e bastante complicada.
  • o único país, no mundo, que fala apenas um idioma é a Somália. Lá, os cidadãos são praticantes do somali.
  • a África tem mais de mil línguas em toda a sua extensão

O que é, então, o idioma?

O idioma é um termo utilizado para designar uma determinada nação em relação às demais. No fundo, está bastante relacionado a questões políticas porque, para que um idioma exista, é necessária a criação de um Estado Político.

Justamente por caracterizar um determinado povo, muitos ainda o consideram como sinônimo da “língua”. Porém, abrimos um parêntese para explicar que a língua tem caráter específico por englobar conjunto de códigos e palavras estruturadas sob regras determinadas.

O idioma, por sua vez, está vinculado à língua por, politicamente, designar uma nação. Sendo assim, está sempre articulado à língua oficial de determinado país. É importante lembrar, também, que os idiomas foram difundidos ao redor do mundo graças às migrações e colonizações.

Atualmente, os dez idiomas mais falados no mundo são chinês, híndi, inglês, russo, japonês, espanhol, alemão, português, indonésio e francês.

Mais curiosidades:

  • o russo não é falado, apenas, no país da Copa. Cerca de 137 milhões de pessoas residentes em 31 países o têm como primeiro idioma.
  • quase um bilhão de pessoas falam chinês e, mais ou menos, 200 milhões falam inglês
  • o latim foi o idioma mais falado em todo o mundo por bastante tempo. Muito disso deu-se por influência da Igreja Católica. No entanto, é cada vez menos praticado.

E que é o dialeto?

Os dialetos funcionam como versões da língua oficial quando há a adição de estruturas gramaticais e vocabulário distintos. Essas variações podem ser originadas por razões regionais ou sociais.

A primeira é o caso do champanhês, falado na França. No segundo caso temos exemplos das gírias e expressões profissionais. Em suma, são as maneiras de falar, linguagem própria de determinada região ou grupo social.

Quantos dialetos e idiomas tem no mundo? E no Brasil?

  • Atualmente, há cerca de 6.912 idiomas, 2.700 línguas e 7 mil dialetos em todo o mundo.
  • No Brasil, são consideradas como línguas oficiais a Portuguesa e Libras (Língua Brasileira de Sinais).
  • Porém, o Censo 2010 detectou 305 etnias indígenas no Brasil, contabilizando 274 línguas diferentes. Isso sem falar nos dialetos originados graças à imigração. É o caso do Hunsrückisch, alto dialeto alemão, e o talian, de origem italiana.
você pode gostar também
  1. Jorge Venicio Paes da Sillveira Diz

    Deve se considerar também os dialetos falados pelos ciganos das diversas etnias.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More