Disprósio

O disprósio (símbolo químico Dy, número atômico 66) é um elemento de terras raras. Ele que possui um brilho prateado metálico e brilhante.

0

O disprósio (símbolo químico Dy, número atômico 66) é um elemento de terras raras. Ele que possui um brilho prateado metálico e brilhante.

Ocorrência

O disprósio nunca é encontrado como um elemento livre. É encontrado em muitos minerais, incluindo xenotima, fergusonita, gadolinita, euxenita, policrase, blomstrandina, monazita e bastnasita. Frequentemente ocorre com érbio, hólmio e outros elementos de terras raras.

História

O disprósio foi identificado pela primeira vez em Paris em 1886. O responsável foi o químico francês Paul Émile Lecoq de Boisbaudran. No entanto, o elemento em si não foi isolado em forma relativamente pura. Ocorreu somente depois do desenvolvimento das técnicas de troca iônica e redução metalográfica nos anos 50.

O nome disprósio é derivado da palavra grega δυσπροσιτος [dysprositos], que significa “difícil de obter”.

Características notáveis

O disprósio é um metal de transição interno (ou lantanídeo). Ele se encontra no período seis da tabela periódica, entre o térbio e hólmio. É relativamente estável no ar à temperatura ambiente. Dissolve prontamente em ácidos minerais diluídos ou concentrados com a emissão de hidrogênio.

É macio o suficiente para ser cortado com alicate de corte (mas não com uma faca). Pode ser usinado sem faíscas se o superaquecimento for evitado. As características do disprósio podem ser muito afetadas mesmo por pequenas quantidades de impurezas.

Aplicações

O disprósio é usado, em conjunto com o vanádio e outros elementos, na produção de materiais a laser. Sua alta seção transversal de absorção de nêutrons térmicos e ponto de fusão também sugere que é útil para hastes de controle nuclear.

O óxido de disprósio (também conhecido como disprosia), com compostos de cimento de níquel – que absorvem nêutrons prontamente sem inchaço ou contração sob bombardeio prolongado de nêutrons – é usado para o resfriamento de hastes em reatores nucleares.

Além disso, disprósio é usado para fabricação de discos compactos. Por ser altamente paramagnético, o disprósio tem sido usado como agente de contraste na ressonância magnética. Abaixo de 85K, o disprósio é ferromagnético, com alta suscetibilidade.

É frequentemente usado para a fabricação de nanomagnetos, particularmente em pesquisa. Sua utilidade, no entanto, é limitada por sua alta prontidão em oxidar.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.