5 Doenças do Sistema Circulatório Humano

O sistema circulatório é essencial para o nosso organismo. Ele realiza o transporte e distribuição de gás oxigênio, nutrientes e hormônios para as células

0

O nosso sistema cardiovascular (ou circulatório) é formado pelo coração, vasos sanguíneos e pelo sangue. Este sistema é de grande importância para o bom funcionamento de nosso organismo.

Isso porque é a partir da circulação do sangue que ocorre o transporte e distribuição de gás oxigênio, nutrientes e hormônios para as células. Além disso, é pelo sangue que são transportados os resíduos do metabolismo, para que sejam eliminados pelo nosso corpo.

Sendo assim, tendo em mente o papel que este sistema tem para nosso corpo é de se esperar que alguma falha, ou doença que ele apresente seja bastante preocupante para nossa saúde.

Desta forma, saiba agora cinco doenças que podem afetar nosso sistema circulatório humano, assim como seus sinais e como evitá-las.

Hipertensão

  • O que é

Também conhecida popularmente como ‘pressão alta’, a doença é uma condição clínica onde a pressão arterial apresenta níveis elevados. Isso levando em consideração valores maiores ou iguais a 140 / 90 mmHg.

Mas partindo do início, a pressão arterial nada mais é do que a contração feita pelo coração quando ele bombeia o sangue pelas artérias para o corpo. Este movimento cria uma pressão nas artérias.

Sendo assim, este movimento se chama pressão arterial sistólica. Além disso existe a pressão arterial diastólica, que indica a pressão nas artérias quando o coração está em estado de repouso. Ou seja, entre uma batida e outra.

  • Causas

Normalmente a hipertensão é causada pela resistência e endurecimento dos vasos sanguíneos. Desta forma, o coração precisa de uma maior força para bombear o sangue.

Este processo pode ser natural do corpo, porém existem fatures que podem agravar o estado. Tais como a obesidade, idade, sedentarismo, consumo de bebidas alcoólicas, excesso de sal dentre vários outros.

De mogo geral, no 90% dos casos de hipertensão é hereditário, ou seja, herdado pelos pais.

  • Tipos

Existem três tipos de pressão alta. No primeiro estágio a pressão fica acima de 130 por 90, e abaixo de 160 por 100.

Já no segundo estágio a pressão fica acima de 160 por 100, e abaixo de 180 por 100. Por fim temos o terceiro estágio, onde a pressão apresenta números acima de 180 por 110.

  • Pressão alta na gravidez

A pressão alta durante o período gestacional é bastante preocupante. Isso porque podem causar alterações no fluxo de sangue da placenta, afetando o feto e causando vários transtornos. Bem como também pode afetar a mãe, desenvolvendo quadro para a eclâmpsia.

  • Sintomas

A hipertensão é assintomática (não exibe sintomas). Entretanto, alguns sinais podem ser vistos com maiores cuidado, como dores no peito e na cabeça, tonturas, visão turva e zumbidos no ouvido.

Por não ter sintomas, para ter o diagnóstico precoce é preciso verificar constantemente a pressão arterial, e se necessário realizar exames específicos, e realizar acompanhamento médico.

  • Complicações

A doença pode causar uma série de complicações em nosso organismo, algumas inclusive podendo causar a morte, como infarto, Acidente Vascular Cerebral (AVC), doenças renais crônicas e várias outras.

Insuficiência cardíaca

  • O que é?

A função do coração é a de bombear sangue para todo o corpo, suprindo as necessidades dos órgãos. Sendo assim A insuficiência cardíaca é a doença na qual o coração deixa de conseguir exercer essa função.

  • Causas

A doença é secundário, ou seja, ela é causada por outras doenças que danifiquem o bom funcionamento do coração de bombear sangue.

Portanto, doenças como diabetes, hipertensão arterial, anemia e arritmia cardíaca podem causar a insuficiência. Bem como HIV/AIDS, doenças de chagas e várias outras.

  • Tipos

A doença pode ser dividida em dois principais tipos, a sistólica e o diastólica. Sendo assim, no primeiro tipo o músculo cardíaco não consegue mais fazer o bombeamento de sangue para fora do coração de forma adequada.

Já a diastólica é caracterizada pela rigidez dos músculos do coração que não conseguem se encher de sangue facilmente.

Além disso, a doença pode afetar apenas um dos lados do coração. Nestes casos, são chamadas ou de insuficiência cardíaca direita ou insuficiência cardíaca esquerda.

  • Sintomas

De modo geral os sintomas da doença começam de forma lenta, sendo sentidos apenas com um maior exercício físico. Entretanto, a medida que a doença evolui os sinais começam a serem sentidos até em repouso.

Sendo assim, os sintomas mais comuns da doença são falta de ar ao realizar atividades físicas, tosse e palpitações. Bem como pulso irregular, ganho de peso, inchaço nos pés, tornozelos e abdômen, dentre vários outros sintomas.

É imprescindível o tratamento com um médico. Isso porque o tipo de tratamento indicado é individual, a depender do paciente e das causas da doença, seus sintomas e estágio.

  • Complicações

Como o coração não consegue mais realizar o bombeio de sangue pelo corpo, o sangue passa a retornar a outras áreas do organismo. Quando isso acontece, ele pode se acumular em órgãos como fígado, pulmão, ou até no trato gastrointestinal, e membros como braços e pernas.

Se o tratamento não for efetuado, o paciente pode evoluir para um quadro de insuficiência real. Desta forma, sendo preciso realizar diálise, e utilizar marcapassos e implantes de dispositivos para o controle das arritmias cardíacas.

Aterosclerose

  • O que é?

A doença é um tipo bastante específico de arteriosclerose. A enfermidade é caracterizada pelo excesso de placas de colesterol, gordura e outras substâncias presas nas paredes das artérias.

Esses acúmulos geram o estreitamento das artérias, impedindo o fluxo sanguíneo, gerando uma série de complicações para a saúde.

Além disso, essas gorduras podem se desprender das paredes das artérias, entrando na corrente sanguínea e se espalhando pelo corpo humano.

Quando isso ocorre, coágulos sanguíneos podem se formar em qualquer parte do organismo. Prejudicando assim o fluxo de sangue de outros órgãos.

  • Complicações

As complicações da doença vão variar de acordo com a artéria que ela atingiu. Entretanto, independente disso a aterosclerose pode causar graves problemas a saúde, como doença arterial coronariana, doença arterial periférica e doença arterial carótica.

  • Sintomas

A aterosclerose pode apresentar vários sinais em alguns casos, e nenhum sintoma em outros. Porém, de modo geral o indivíduo com a doença sente dores ou desconforto no peito, falta de ar e fadiga ao realizar atividade física.

As dores acontecem pois  coração não está mais recebendo o sangue e gás oxigênio suficientes para seu perfeito funcionamento. De modo geral, idosos, diabéticos e mulheres costumam a apresentar os sintomas com maior frequência.

  • Tratamento

O tratamento da aterosclerose é feito visando a estabilização dos níveis da doença. Sendo assim, a medicação utilizada vai depender da gravidade e sintomas que a doença está apresentando.

Além disso, existem ainda casos que é a intervenção cirúrgica se faz necessária. Nestes casos são realizados a cirurgia de revascularização e a angioplastia e colocação de stent.

  • Prevenção

De modo geral a doença pode ser alterado com a prática de atividades físicas, o uso moderado de álcool, uma boa nutrição dentre outros hábitos saudáveis.

Acidente Vascular Cerebral

  • O que é?

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a doença que mais mata no Brasil. O AVC acontece quando o fornecimento de sangue que vai para o cérebro é interrompido ou é reduzido de maneira drástica.

A doença também ocorre quando um vaso se rompe, causando assim uma hemorragia. Logo, o cérebro para de receber oxigênio e nutrientes.

  • Tipos

Existem dois tipos de AVC, são eles o hemorrágico e o isquêmico. Sendo assim, o hemorrágico por sua vez acontece quando um vasos se rompe de forma espontânea, estando ligado a quadros de pressão alta.

Por outro lado, existe o AVC isquêmico. Este tipo é causado pela redução do fluxo sanguíneo em alguma artéria do cérebro, o que por sua vez causa a falta de circulação no órgão.

  • Causas

As causas de um AVC podem ser diversas, e vão de acordo com o tipo da doença. Desta forma, nos casos de AVC hemorrágico, como dito acima, é comum o acidente acontecer devido a pressão alta descontrolada e a ruptura de um aneurisma.

Além disso, outras doenças podem causar um AVC, como arritmias, insuficiência cardíaca, hemofilia, e infarto agudo.

Já nos casos de AVC isquêmico as causas são dividas em quatro categorias. O AVC aterotrombótico, que é causado por doenças que causam aterosclerose.

Já o tipo cardioembólico da doença ocorre quando o êmbolo que causa a doença parte do coração. Já o AVC criptogênico é um tipo mais misterioso da doença, quando a sua causa não foi encontrada, mesmo após investigação médica.

Por fim, temos o AVC de outra etiologia, que está ligado a distúrbios e doenças de coagulação no sangue. Este tipo costuma afetar pessoas mais jovens.

  • Sintomas

É preciso saber bem reconhecer os sintomas da doença. Isso porque quanto mais rápido procurar ajuda médica, maiores são as chances de um tratamento sem demais complicações.

Sendo assim, o AVC pode apresentar sinais como dificuldade de falar, perda de visão, perda sensibilidade de um lado do corpo e distúrbio sensitivo. Bem como alterações motoras, paralisia em um lado do corpo, fraqueza de um lado, dentre outros.

  • Complicações

O Acidente Vascular Cerebral pode deixar uma série de sequelas no indivíduo, tiais como alterações comportamentais, déficit de memória, lesões no tronco cerebral e afasia.

Além disso, a doença ainda pode causar déficit motor e sensitivo, depressão, transtorno de estresse pós-traumático, negligência de um lado ou parte do corpo, e apraxia.

  • Tratamento

O tratamento é feito a partir das sequelas deixadas pela doença. E o rastro deixado pelo AVC vai depender da rapidez que a pessoa foi atendida, da idade, tipo da doença e presença de problemas de saúde.

Sendo assim, seu tratamento será voltado para estas complicações que a doença trouxe. As mais frequentes dela são a dificuldade na fala e a paralisação de parte do corpo.

  • Fatores de Risco

Existem ainda alguns fatores que podem possibilitar a ocorrência de um AVC, tais como obesidade, tabagismo, sedentarismo, uso excessivo de álcool e drogas, sobrepeso, hipertensão, dentre outros.

Além disso, manter hábitos saudáveis como praticar exercícios e se alimentar bem, podem ajudar evitar a doença.

Arritmia Cardíaca

  • O que é

A arritmia é a sensação de que os nossos batimentos cardíacos estão mais acelerados que o normal. Neste sentido, a pessoa sente um desconforto com seus batimentos no tórax, garganta ou pescoço.

  • Causas

Vários fatores podem causar a arritmia, tais como febre, baixos níveis de oxigênio no sangue, anemia, ansiedade, estresse, medo e até o uso de remédios para emagrecer.

  • Fatores de riscos

Existem ainda alguns fatores que podem auxiliar no desenvolvimento de arritmia cardíaca. São eles o uso de nicotina, cocaína, e de alguns medicamentos, em especial os ligados a doenças da tireoide, asma e pressão alta.

Além disso, o uso excessivo de cafeína também pode ser um fator de risco para a doença.

  • Sintomas

Os sintomas da arritmia cardíaca podem não aparecer inicialmente para algumas pessoas. Entretanto, algumas sentem sinais como falta de ar, desmaio, tontura, incômodo, peso ou dor no peito.

Bem como batimentos lentos, ou acelerados demais, palidez e sudorese. Em casos de perda de consciência e taquicardia deve-se procurar ajuda médica imediatamente.

  • Tratamento

O tratamento da doença vai variar de acordo com a causa da enfermidade. Mas independente de sua causa, se faz necessário o acompanhamento médico. Dependendo da gravidade, serão necessários também a utilização de medicamentos.

Além disso, a prática regular de exercícios, de controle de estresse e uma dieta balanceada ajudam no tratamento da doença. O sono também deve ser olhado com atenção. Isso porque problemas com o sono aumentam os riscos de arritmia.

Assim como o uso de cigarros deve ser cortado, juntamente com o alto número de colesterol. Já os usos de cafeína e álcool devem ser com moderação, sem exageros.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.