Filmes sobre Depressão

Confira uma relação de 5 filmes que abordam o assunto depressão.

0

Para você que está procurando um filme diferente para assistir no final de semana, aproveitar um feriado e já assistiu quase todos os gêneros de filmes, confira uma relação de filmes sobre depressão.

Anomalisa (2015)

1 Anomalisa (2015)

Essa animação de Charlie Kaufman (roteirista de Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, Quero Ser John Malkovich e Sinédoque, Nova York) explora a solidão, a incomunicabilidade e a busca por contato humano.

O espectador rapidamente se esquece de que está assistindo a um filme protagonizado por bonecos e sua atenção passa rapidamente à inventividade de Kaufman, que fornece insights de como uma deprimida vê o mundo.

A história sobre o escritor de livros de autoajuda voltado para o mercado de atendimento ao consumidor é simples, mas a forma é capaz de trazer reflexões.

Por exemplo, todas as vozes no filme (exceto por aquelas do casal principal) são a mesma (dubladas por Tom Noonan), todos os rostos são muito semelhantes, aos olhos do protagonista desinteressado.

Melancolia (2011)

2 Melancolia (2011)

Melancolia é um estudo de personagem que se passa nos momentos anteriores à colisão da Terra com um outro astro azul, chamado apropriadamente de Melancolia. As irmãs protagonistas se comportam diferentemente face ao fim da vida e produzem observações diferentes acerca do mesmo estado de espírito.

Enquanto uma das irmãs está sempre consciente de que sua depressão pesa sobre sua família, outra tenta de forma ansiosa e auto-destrutiva cuidar da família, mesmo que não possa fazer nada ante a catástrofe que se aproxima.

Com fotografia premiada, o diretor Lars von Trier, deixou clara suas impressões sobre a luta contra a depressão .

Babadook (2014)

3 Babadook (2014)

Uma alegoria para a depressão que uma mãe enfrenta ao tentar criar o filho após perder o marido em um acidente.

Com domínio impressionante do gênero do terror, Babadook é o tipo de filme que agrada a dois públicos, ou ao mesmo público em dois níveis: primeiro porque dá medo e conta uma boa história de forma eficiente, e em segundo nível porque é uma metáfora profunda sobre questões subjetivas.

A diretora e roteirista australiana Jennifer Kent produziu um filme de monstro em que o monstro é muito maior do que parece.

Interiors (1978)

4 Interiors (1978)

O primeiro filme de Woody Allen sem a presença do humor é uma homenagem a Ingmar Bergman, um de seus ídolos.

O suicídio, a convivência familiar conturbada, distúrbios de personalidade são alguns dos temas que pegaram de surpresa o espectador em 1978, acostumado com o Woody Allen de Dorminhoco e Bananas.

Com diálogos amargos e fotografia em penumbra, o cineasta cria um tom existencialista e de análise do comportamento humano.

As Horas (2003)

5 As Horas (2003)

O romance Sra. Dalloway, de Virginia Woolf liga três mulheres que vivem em épocas diferentes em enredo e tema. A própria escritora, enquanto escreve o livro, é a primeira protagonista, vivendo em 1923.

Ela lida com a monotonia da cidadezinha para onde tem de se mudar após enfrentar problemas psicológicos em Londres.

Em 1951, uma leitora de Virginia Woolf, a dona-de-casa Laura Brown, lida com a depressão e os conflitos na vida familiar. Já em 2001, Clarissa Vaughan, uma mulher refinada, lida com a perda de um amigo poeta.


você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.