Futebol de 7 paralímpico – História, regras e classificação

O esporte esteve presente nas paralimpíadas durante vários anos, cumprindo papel fundamental na inclusão de atletas com paralisia cerebral.

0

O gosto dos brasileiros por futebol é conhecido por muita gente, sendo um traço particular da nossa cultura. Mas o que pouca gente sabe é que mesmo sendo um esporte de velocidade e contato, ele também pode ser praticado por jogadores com paralisia cerebral.

O futebol de 7, juntamente com o futebol de 5, que é voltado para cegos, possibilitam que atletas com deficiência pratiquem um esporte que é tão prestigiado pelas pessoas, em especial, os brasileiros.

Durante várias edições dos Jogos Paralímpicos a modalidade encantou os espectadores pelo alto nível dos competidores, que são extremamente talentosos e habilidosos com a bola nos pés. Porém, a partir da edição de 2020 ele está fora do programa dos Jogos, conforme decisão do Comitê Internacional.

É muito comum a associação do futebol de 7 à deficiência mental por conta da paralisia cerebral. Porém, ao contrário do imaginário das pessoas, ela é uma deficiência motora, e portanto, não há comprometimento intelectual de grande parte dos atletas.

História do futebol de 7

Atualmente fora do programa das Paralimpíadas, o esporte, que é uma adaptação da modalidade tradicional, foi criado na Escócia, mais precisamente na cidade de Edimburgo. O futebol de 7 surgiu em 1978, durante terceira edição dos Jogos Internacionais para Paralisados Cerebrais.

A partir daí o esporte foi sendo disseminado em outros países, até que em 1982, na Dinamarca, aconteceu o primeiro campeonato mundial. Mundialmente, a gestão fica a cargo da Associação Internacional de Esporte e Recreação para Paralisados Cerebrais (CP-ISRA).

Foi somente dois anos depois, em 1984, nos Jogos de Nova York, que o futebol de 7 passou a fazer parte das Paralimpíadas.

Apenas duas edições depois, em 1992, em Barcelona, na Espanha, é que o Brasil fez a sua estreia no esporte. Desde então o país conquistou apenas três medalhas na competição. Em 2016, durante os Jogos do Rio, jogando em casa, os brasileiros ficaram com o bronze. Hoje, a responsabilidade da gestão é da Associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE).

Embora o primeiro país campeão Paralímpico tenha sido a Bélgica, atualmente, um dos países que mais de destacam na modalidade é a Ucrânia. A nação com mais medalhas, porém, é a Holanda.

Em 2015, para a tristeza de muitos atletas e admiradores do esporte, foi anunciado que a partir dos Jogos de Tóquio, em 2020, ele não fará mais parte do programa da competição, sob a justificativa de não atingiram os critérios mínimos de alcance mundial do Comitê Paralímpico Internacional.

Segundo as regras, para estar nas Paralimpíadas, esportes coletivos devem ser praticados, no mínimo, em 24 países e em três regiões.

Regras futebol de 7

Apesar de ter algumas regras semelhantes ao futebol tradicional, o futebol de 7 guarda muitas especificidades em seu regulamento. Confira quais são as principais:

  • As partidas são disputadas exclusivamente por jogadores do sexo masculino com paralisia cerebral;
  • Os atletas são classificados de acordo com o grau de deficiência, que vai de 5 a 8, conforme o detalhamento abaixo;
  • Uma partida de futebol de 7 é dividida em dois tempos de 30 minutos cada, com um intervalo de 15 minutos entre eles;
  • Cada time conta com sete jogadores em campo, incluindo o goleiro. Além disso, cada um deles pode ter cinco reservas;
  • É obrigatória a presença de pelo menos um jogador das classes cinco ou seis, que são aquelas que possuem maior grau de comprometimento. Geralmente eles ficam na posição de goleiro;
  • Em cada equipe é permitido no máximo dois competidores de classe oito;
  • O campo mede no máximo 75m de comprimento por 55m de largura e pode ser de grama natural ou sintética;
  • A marca do pênalti fica posicionada a 9,20m do centro da linha do gol;
  • As traves medem 5 x 2 metros;
  • No futebol de 7 não há impedimentos;
  • Outra diferença em relação ao futebol tradicional, é que o arremesso lateral pode ser cobrado com as mãos, rolando-a pelo chão, como no boliche.

Classificação

Os jogadores de futebol de 7 são classificados de acordo com o grau de comprometimento físico. A classificação vai de 5 a 8, sendo que oito é o menor grau de comprometimento e cinco é o maior.

Atletas da classe 5, por serem os mais comprometidos, podem apresentar muitas dificuldades para correr, por isso, eles são os preferidos para ocupar a posição de goleiro.

Nas equipes, é obrigatória a presença de um jogador classe 5 ou 6 e a quantidade de jogadores classe 8 não pode passar de dois.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.