Inep quer reduzir despesas com modernização de processos

O Inep já observa o impacto positivo do Programa de Modernização implantado pela nova gestão.

0

O Inep já observa o impacto positivo do Programa de Modernização implantado pela nova gestão. O custo dos exames e avaliações sob sua responsabilidade ficará, aproximadamente, R$ 42 milhões mais barato.

O valor é resultado de uma série de medidas relacionadas com a capacitação dos envolvidos na aplicação e com a impressão das provas e materiais administrativos. A economia é resultado do Programa de Redução de Custos e Otimização dos Recursos Logísticos, um dos seis pilares do Programa de Modernização do Inep.

Idealizador do Programa, o presidente do Inep, Marcus Vinicius Rodrigues, credita essa economia à criatividade e às negociações adotadas, desde janeiro, pela nova gestão do Instituto.

“Essa redução de custos, de R$ 42 milhões, pode ser ainda maior”, disse ele. “Ao longo do ano, com a contribuição de consultores contratados, pretendemos diminuir ainda mais os custos a partir da redução de despesas adicionais.

Todas as medidas de economia estão sendo adotadas de forma a manter a qualidade na impressão, distribuição, monitoramento, segurança e aplicação dos exames do Inep.”

Automóveis

O programa recorre a um modelo de tutoria, no qual consultores externos atuam em conjunto com as equipes internas, com as mudanças em curso. Um dos consultores é especialista em redução de custos e outro, em formação de preços.

“Essa é uma área relevante para a avaliação dos custos dos exames e avaliações aplicados pelo Inep. Traremos um dos maiores especialistas brasileiros em precificação, com experiência em formação de preços de grandes montadoras de automóveis.

Ele ajudará a avaliar os insumos contratados e os serviços oferecidos pelo Inep. Esse será um fator significativo na mudança de paradigmas nos preços atualmente praticados pelo Inep”, defende.

Uma das iniciativas já definidas é a mudança no procedimento de coleta do dado biométrico, item de segurança adotado pelo Enem desde 2016. Até 2018, a ficha para coleta do dado biométrico continha uma lâmina de grafite, individual.

A partir de 2019, o Inep adotará uma pequena esponja que permite a coleta da digital e pode ser utilizada mais de três mil vezes. Uma mudança na diagramação dos Cadernos de Questões do Enem garantirá um grande espaço em branco para apoio na elaboração de cálculos e da redação.

A medida eliminará a necessidade de impressão das folhas de rascunhos personalizadas, permitindo uma significativa economia com papel e impressão.

Capacitação

Outra frente de ação para redução dos custos é a capacitação de todos os colaboradores envolvidos com a aplicação. Só no Enem, são cerca de 500 mil pessoas em todo o Brasil. O formato adotado até 2018, com capacitações presenciais e a distância, foi revisado.

De acordo com Rodrigues, o volume de capacitações presenciais será reduzido e as capacitações no formato de Educação a Distância (EaD) serão ampliadas e melhoradas, com a estreia de uma moderna plataforma de EaD. A medida eliminará gastos com passagem aérea e terrestre, hospedagem, aluguel de salas e auditórios em diversas partes do país.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.