Dúvidas da língua portuguesa: Mal ou Mau?

Tem dúvida na hora de saber qual usar se é o Mau ou o Mal, confira a explicação logo abaixo.

0

Mal ou mau? Quantas vezes você já se fez essa pergunta? Certamente essa está entre as dúvidas que mais atormentam os falantes da língua portuguesa, gerando muitos mal-entendidos por aí. Se você quer saber a resposta para esse questionamento, atenção à explicação que o Escola Educação traz para você.

Para começo de conversa, é importante dizer que as duas palavras existem na língua portuguesa, portanto, ambas estão corretas. Contudo, elas devem ser empregadas em situações distintas. A melhor maneira de saber quando utilizar cada uma delas é fazer a clássica oposição ente os antônimos, isto é: o adjetivo mau é antônimo de bom, enquanto o advérbio mal é antônimo de bem.

Que tal conhecer a origem dessas palavras que tantas dúvidas provocam? A palavra mau é um adjetivo e tem origem na palavra malu, do latim. Ela pode apresentar vários significados, como “o que não é de boa qualidade”, “o que traz infortúnio”, “faz maldades”, entre outros. Logo, mau é sinônimo de malvado, ordinário, inadequado, cruel etc.

Mau é antônimo de bom. Confira os exemplos abaixo:

Ele é um mau chefe.
Ele foi um mau amigo.

Já a palavra mal tem origem na palavra male, também do latim, e pode ser um advérbio, um substantivo ou ainda uma conjunção. Também apresenta diferentes significados: quando advérbio, faz referência a alguma coisa feita de maneira errada. Como substantivo, refere-se a uma desgraça, doença, enfermidade.

Quando empregada como conjunção temporal, tem sentido análogo de “assim que”, “logo que”. Mal, é antônimo de bem. Veja os exemplos:

Você realizou sua tarefa de maneira mal feita. (mal = advérbio)
Ele fez muito mal àquelas pessoas. (mal = substantivo)
Mal cheguei no trabalho e já havia mil coisas para fazer. (mal = conjunção temporal)

As palavras mau e mal são classificadas como palavras homófonas, ou seja, são palavras que são pronunciadas da mesma forma, mas que apresentam escritas diferentes. Agora que você já sabe a diferença entre elas, fique atento para não cometer novos deslizes ortográficos. Bons estudos!

Luana Alves
Graduada em Letras

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.