MEC anuncia 40 mil vagas em curso gratuito para professores da alfabetização

Intuito é de que a nova formação reflita em uma alfabetização de qualidade dos estudantes brasileiros.


O Ministério da Educação (MEC) anunciou o lançamento de um curso gratuito e totalmente a distância para professores da alfabetização. O programa, que conta com 40 mil vagas, terá duração total de 160 horas e início a partir de 11 de janeiro.

Nomeado de Alfabetização Baseada na Ciência (ABC), o curso será ministrado no Ambiente Virtual de Aprendizagem do MEC (Avamec). Por lá, os professores inscritos poderão baixar os materiais de leitura, assistir a vídeos e organizar as tarefas de estudo.

Sobre o curso ABC

Em nota, o MEC deu mais detalhes do curso. Sobre o conteúdo, haverá aulas com noções fundamentais de literacia emergente – antes da instrução formal – da aprendizagem da leitura e escrita, além das dificuldades desse processo. Informações relacionadas ao processo de alfabetização também farão parte do programa.

“O curso é composto por um manual teórico, de 24 capítulos, elaborado pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, e um Programa de Intervenção Prático, desenvolvido pelo Centro de Investigação e Intervenção na Leitura do Instituto Politécnico do Porto. A Universidade Aberta de Portugal ficou responsável por gravar as videoaulas e produzir as legendas para o português do Brasil”, declarou o MEC em nota.

A parceria entre com as instituições portuguesas com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) acontece desde fevereiro. A implementação do curso a distância surge como uma solução durante o período de isolamento social em razão da pandemia de coronavírus.

Capacitação em Portugal

Além do curso virtual, a Capes deverá abrir novos editais para que professores brasileiros possam participar de capacitação presencial em Portugal. Para isso, a instituição prevê um investimento de R$ 6,3 milhões nos próximos dois anos.

Segundo o ministro da Educação, Milton Ribeiro, o intuito é de que a nova formação dos professores reflita em uma alfabetização de qualidade dos estudantes brasileiros. “A iniciativa do MEC é lançar as sementes para que num futuro próximo, talvez não tão próximo, mas a médio prazo, as nossas universidades estejam recebendo jovens no mínimo alfabetizados”, declarou o ministro.

Leia ainda: Volta às aulas: MEC recua e adia para março retomada presencial em universidades

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More