Meristemas vegetais e tecidos de revestimento

Os tecidos vegetais podem ser: tecidos embrionários ou de formação que são conhecidos como meristemas e que dão origem a todos os outros tecidos do corpo da planta;

0

A morfologia do corpo de animais e plantas apresenta muitas diferenças na organização, isso deve-se ao fato das plantas terem um modo de vida autotrófico. Os tecidos vegetais podem ser: tecidos embrionários ou de formação que são conhecidos como meristemas e que dão origem a todos os outros tecidos do corpo da planta; e os tecidos permanentes ou diferenciados que possuem funções estabelecidas pelo local em que ele se encontra como revestir e proteger o órgão, fazer a assimilação e reserva de nutrientes, promover a sustentação do corpo da planta, a condução de seiva e a secreção de substâncias.

Meristemas

As células do meristema possuem características embrionárias, ou seja, elas ainda não são especializadas, possuem grande capacidade de divisão e podem dar origem a qualquer outro tipo de tecido da planta. Os meristemas podem ser divididos em dois grupos: os meristemas apicais ou primários e os meristemas laterais ou secundários.

Meristemas apicais ou primários

Os meristemas apicais promovem o crescimento em comprimento da planta (conhecido como crescimento primário), eles ficam localizados na ponta do caule e da raiz. Nas pontas dos caules, o meristema apical forma pequenos brotos, chamados de gemas apicais. Esses pequenos brotos também podem ser encontrados nas ramificações dos caules recebendo o nome de gemas laterais ou axiliares.

Veja também: Órgãos vegetativos em plantas: Raízes

Na ponta da raiz o meristema apical é protegido por uma camada de células chamada coifa ou também caliptra. A extremidade inferior do meristema apical da raiz faz a reposição das células da coifa à medida que elas se desgastam e precisam ser renovadas, por esse motivo, a parte inferior desse meristema é chamada de caliptrogênio.

O meristema apical é subdividido em três regiões que darão origem a tecidos com funções diferentes: a protoderme, o procâmbio e o meristema fundamental.

  • Protoderme: é essa parte do meristema que dá origem ao tecido que reveste e protege o vegetal, a epiderme.
  • Procâmbio: ele dará origem aos tecidos condutores de seiva orgânica e inorgânica presentes no interior do caule da raiz.
  • Meristema fundamental: é responsável pela produção dos outros tecidos da planta que terão função de sustentação, preenchimento, armazenamento de substâncias, realização de fotossíntese, entre outras.
Meristemas apicais do caule e da raiz
Meristemas apicais do caule e da raiz

Meristemas laterais ou secundários

Ao contrário dos meristemas apicais que ficam localizados nas extremidades, os meristemas laterais podem ser encontrados no interior dos caules e das raízes de plantas gimnospermas (grupo que produz semente, mas não produz frutos) e de plantas angiospermas lenhosas (que possuem semente, flor e fruto). O meristema lateral é responsável pelo crescimento em espessura da planta, conhecido também como crescimento secundário. Podemos dividir esses meristemas em duas regiões: felogênio e câmbio.

  • Felogênio: esse meristema fica localizado na parte mais externa do caule e da raiz e, pode formar tanto células de preenchimento e reserva (conhecidas como feloderme) como células de proteção (chamadas de súber) que substituem a epiderme em plantas com crescimento secundário. O trio felogênio, feloderme e súber forma a periderme.
  • Câmbio: localizado mais internamente no caule e na raiz, produz novos vasos condutores à medida que a planta cresce em espessura.
Meristemas laterais no caule.
Meristemas laterais no caule.

Tecidos de revestimento e proteção

Os tecidos que revestem o vegetal conferem a ele proteção mecânica além de evitar a desidratação da planta. Existem dois tipos de tecidos de revestimento e proteção: a epiderme e o súber.

  • Epiderme: é um tecido de origem primária, presente em folhas e nas partes jovens do caule e da raiz. A epiderme é uma camada formada por células vivas e sem clorofila que, em folhas e caules jovens são recobertas por uma cutícula formada de cutina, uma substância impermeável que impede a evaporação excessiva de água. Na raiz, a epiderme forma prolongamentos conhecidos como pelos absorventes que aumentam a superfície de contato do órgão com sais minerais e água, facilitando a captura. A epiderme da raiz não possui cutícula.
  • Súber: é um tecido de origem secundária, reveste a parte mais antiga dos caules e da raiz. Formado por várias camadas de células mortas e ocas, revestidas de suberina, uma substância impermeável. O súber possui valor comercial, é dele que se produz a cortiça.

Denisele Neuza Aline Flores Borges
Bióloga e Mestre em Botânica

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.