Mulheres no Serviço Militar: Veja como se alistar!

Sabe como as mulheres podem ingressar nas Forças Armadas do Brasil? Elas podem prestar serviço voluntário que caráter temporário, ou passar em concurso público e seguir carreira sólida na área. Confira como:

0

Para as pessoas do sexo masculino, ao completar 18 anos de idade, o alistamento no serviço militar é obrigatório. Os homens devem se colocar à disposição do Exército, Marinha ou Força Aérea brasileira para defender os interesses do território brasileiro. Já o alistamento de mulheres não é obrigatório, e a forma de ingressar é através de voluntariado e concursos.

Comparada a presença masculina nas Forças Armadas (FA), a participação feminina ainda é bem pequena sendo que, segundo dados do Governo brasileiro, o total de mulheres que prestam serviço militar é pouco mais de 22 mil, o que corresponde a somente 6% do número total do efetivo da FA. Na Marinha há 6.922 mulheres, o Exército conta com 6.009, e a Força Aérea Brasileira possui o maior contingente feminino em atividade, 9.299 mulheres .

Como acontece o alistamento de mulheres no Exército?  Serviço Voluntário e Temporário 

Para entrar para o serviço militar voluntário no Exército as interessadas precisam ter, assim como os homens, também 18 anos completos, ser brasileira nato ou naturalizada e medir, no mínimo, 1,55 metros de altura.

Essa forma de alistamento é temporária, sendo que a militar fica em torno de 12 meses à serviço do Exército, período que pode ser prorrogado até completar 8 anos de serviço.  

O alistamento para ser militar temporário acontece através do site oficial do Exército brasileiro que prevê provas que seguem editais próprios para cargos de ensino fundamental, médio e superior. Para saber sobre cada cargo oferecido e as exigências para a ocupação de cada um, acesse a página do Exército Brasileiro.

Você também pode ter mais informações sobre os processos seletivos no Serviço Militar Regional  do Exército (SSMR) mais próximo de onde mora. Confira  as localidades e contatos: 

1ª Região Militar – Rio de Janeiro – RJ 

Fone: (21) 2519-5565

Site: www.1rm.eb.mil.br

2ª Região Militar – São Paulo – SP 

Fone: (11) 3888-5200

Site:http://www.2rm.eb.mil.br

3ª Região Militar – Porto Alegre – RS 

Fone: (51) 3220-6416 / 6352

Site: www.3rm.eb.mil.br

4ª Região Militar – Belo Horizonte – MG 

Fone: (31) 3508-9544

Site: www.4rm.eb.mil.br

5ª Região Militar – Curitiba – PR 

fone: (41) 3316-4800

Site: www.5rm5de.eb.mil.br

6ª Região Militar – Salvador – BA 

Fone: (71) 3320-1823 / 1824

Site: www.6rm.eb.mil.br

7ª Região Militar – Recife – PE 

Fone: (81) 2129-6290 / 6284 / 6219

Site: www.7rm.eb.mil.br

8ª Região Militar – Belém – PA:

Fone: (91) 3211-3679 / 3680

Site: www.8rm.eb.mil.br

9ª Região Militar – Campo Grande – MS 

Fone: (67) 3368-4974 / 4301

Site: www.9rm.eb.mil.br

10ª Região Militar – Fortaleza – CE 

Fone: (85) 3255-1716 / 1718

Site: www.10rm.eb.mil.br

11ª Região Militar – Brasília – DF

Fone: (61) 2035-2231

Site: www.11rm.eb.mil.br

12ª Região Militar – Manaus – AM 

Fone: (92) 3659-1242

Site: www.12rm.eb.mil.br

Concursos Públicos para o Exército

Para as mulheres que pensam em seguir carreira no Exército, devem se preparar para provas de concursos públicos das seguintes instituições:

1 – EsSEx

A Escola de Saúde do Exército é uma instituição de ensino militar situada no Rio de Janeiro e prepara homens e mulheres para atuar na área da saúde. Cada curso de formação de oficiais tem duração de 37 semanas. Médicas, farmacêuticas e dentistas podem participar do concurso, desde que tenham no máximo 36 anos.

2 – EsFCEx

A Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx) está Localizada em Salvador e admite mulheres das áreas de Administração, Direito, Veterinária, Estatística, Informática, Enfermagem e Magistério.

3 – IME

O Instituto Militar de Engenharia (IME), que também fica  no Rio de Janeiro, é uma boa opção para as mulheres que desejam atuar no Exército Brasileiro trabalhando na área de Engenharia. Na instituição é possível escolher entre 10 especialidades. Cada curso tem duração de 5 anos. Para participar do concurso e ter uma chance de ingresso, é precisa ter entre 16 e 22 anos.

4 – EsSLog

A Escola de Sargentos de Logística (EsSLog) fica no Rio de Janeiro. O seu propósito é formar sargentos, de ambos os sexos, para atuar em diferentes áreas. Mulheres são aceitas nas especialidades de Intendência, Topografia, Material Bélico, Manutenção de Comunicações, Aviação e Música.

Trabalho temporário na FAB

Assim como acontece com o Exército Brasileiro, a Força Aérea Brasileira (FAB) também abre oportunidades para militares temporários.

No exame de admissão aberto para médicos, veterinários, engenheiros, administradores, contadores e tantos outros profissionais de ensino superior, estes devem passar por provas e exames de condicionamento físico e psicológico, sendo que os aprovados são recrutados para prestar serviço em diferentes regiões do Brasil.

Também há oportunidades para nível médio, para preencher cargos como cozinheiro, arrumador e motorista-bombeiro.

Na FAB, ainda somente uma pequena parte feminina pilota aeronaves, a maioria desenvolve atividades administrativas e de saúde. Também há aquelas que prestam serviços operacionais e de apoio.

Concurso Público para a FAB

O principal concurso para a formação de militares de carreira na Aeronáutica é o exame da Academia da Força Aérea (AFA). O processo de avaliação envolve treinamento de quatro anos, em que os alunos passam por preparo físico e instruções militares. Para ingresso, a idade máxima é de 23 anos.  

Trabalho temporário na Marinha Brasileira

A Marinha do Brasil realiza todos os os anos um processo seletivo para oficiais temporários. Para entrar na disputa por uma vaga, é necessário ter idade entre 18 e 45 anos e ensino superior. O tempo máximo de prestação de serviço temporário, como acontece no Exército é também de 8 anos.

Concursos da Marinha

Na Marinha,  o ingresso para seguir carreira na área militar depende de concursos públicos.  Na instituição, o efetivo feminino geralmente ocupa as patentes de capitão-de-fragata, capitão-de-corveta e capitão-de-mar-e-guerra.

As mulheres não podem entrar na Escola de Aprendizes Marinheiros, porque o Corpo de Praças da Armada aceita apenas homens.

Contudo, como estudantes de graduação como ingressar como aspirante e participar de um curso com duração de 4 anos, em regime de internato. Alunos de ambos os sexos realizam treinamento físico e de formação militar-naval, e durante as férias, participam de estágio de sobrevivência no mar ou na selva.

Os cursos da Marinha, que aceitam mulheres, são realizados na Escola Naval do Rio de Janeiro (RJ). Outra opção  é o Corpo Auxiliar de Praças (CAP), de nível técnico que preenche oportunidades nas áreas de informática, saúde, administração e manutenção. Os cursos acontecem na Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA), também na capital. 

Muitas mulheres ingressam no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), no Rio de Janeiro (RJ), para seguir carreira militar. Desde 2018, elas já podem fazer parte do Corpo da Armada (CA) e do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN). Mulheres também são aceitas no Corpo de Intendentes da Marinha (CIM).

No Corpo da Armada, é possível se especializar em Mecânica, Eletrônica e Sistemas de Armas. Já o Corpo de Fuzileiros Navais prepara oficiais para defender o território brasileiro  em operações por terra, embora também existam atividades em alto mar.

O Corpo de Intendentes da Marinha oferece oportunidades no departamento administrativo, logístico, financeiro e de controle interno. 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.