O G7 aplica sanção em bancos Russos e exclui seus bancos do sistema mundial

Buscando um forma de punir a Russia pelos ataques a Ucrânia, houve uma reunião do grupo dos sete países mais industrializados do mundo(G7) e foi decidido que os aliados ocidentais iriam cortar alguns bancos Russos do sistema de comunicação interbancária mundial, o Swift.

Buscando um forma de punir a Russia pelos ataques a Ucrânia, houve uma reunião do grupo dos sete países mais industrializados do mundo(G7) neste domingo(27) e foi decidido que os aliados ocidentais iriam cortar alguns bancos Russos do sistema de comunicação interbancária mundial, o Swift.

Não foram nomeados quais seriam os bancos russos que sofreriam tal sanção no comunicado publicado pelo presidente Francês, Emmanuel Macron, e acrescentou que seria formada uma equipe transatlântica para coordenar as sanções contra a Rússia.

O Swift, Sociedade de Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais, é um sistema coordenada que capacita os bancos internacionais a se comunicarem entre si de foram segura e também que realizem a transferência de recursos entre diferentes países, padronizando as informações financeiras.

Em um comunicado que foi divulgado pela Casa Branca, os países garantiram que tal sanção ‘’garantirá que esses bancos sejam desconectados do sistema financeiro internacional e prejudiquem sua capacidade de operar globalmente”.

O que é a Swift

Com sede administrativa em Bruxelas, na Bélgica, o sistema swift foi criado com a conexão entre Norte Americanos e Europeus, em 1973. Nos dias atuais, a Swift conta com 11 mil instituições financeiras que se conectam em mais de 200 países.

Esse sistema tem funcionamento processando mensagens em tempo real que da a capacidade aos bancos e empresas financeiras de informarem-se entre si sobre os pagamentos realizados e recebidos. Nos anos de 2021, mais de 42 milhões de mensagens foram trocadas diariamente.

O objetivo primário desse sistema e fornecer as instituições uma maneira de comunicação rápida e segura. Ou seja, e um serviço de mensagens seguro para instituições financeiras

Consequências da expulsão

Com a exclusão da Rússia da Swift, acaba sendo gerado um bloqueio de todos os bancos russos de realizar pagamentos em suas transações comerciais internacionais. Levando em consideração de que os Russos compõem uma nação que faz grande exportações de petróleo e gás natural para a União.

A questão mais problemática é que as empresas de outras nações acabam sofrendo a sanção juntos, pois também são impedidas de fazer negócios, isso gera um efeito cascata que atinge todo sistema financeiro.

Preocupações

Algumas nações estavam desconfiadas em aplicar a sanção que desligaria o acesso Russo à rede interbancária de transferência, pois as existia uma nuvem de preocupação sobre os governos sobre como seriam pagos as importações de energia russa e de que forma os credores seriam pagos.

“Swift é a arma nuclear financeira, é o que permitiria que as instituições financeiras russas fossem cortadas de outras instituições em todo o mundo”, explicou Bruno Le Maire, ministro das Finanças francês.

“Quando você tem uma arma nuclear nas mãos, pensa antes de usá-la, alguns Estados membros têm reservas, a França não é um deles”, acrescentou.

A expulsão da Rússia do Swift gerara um enorme impacto sobre as transações na Alemanha e também para as empresas alemãs, explicou o porta-voz do governo da Alemanha.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More