O que é o STEM? Veja como aplicar em sala de aula

Conheça o STEM, uma abordagem de aprendizado que estimula os alunos a prestarem mais atenção em sala de aula. Além disso, esse método é uma ótima alternativa para o estudante conseguir se destacar no mercado de trabalho.

0

Nem sempre é fácil conseguir prender a atenção dos alunos em sala de aula. Principalmente em matérias complicadas ou consideradas desnecessárias pelos próprios estudantes.

Para resolver isso, algumas abordagens podem ser praticadas em classe. O STEM, por exemplo, é uma ótima alternativa. Mas, você sabe o que é STEM?

O STEM (Science, Technology, Engineering and Math ou Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática) é uma forma de conseguir a atenção dos alunos, de maneira ampla e sem a observação constante em sala de aula.

Ainda mais, o STEM pode tornar o jovem em um adulto mais capacitado e consequentemente, com melhores oportunidades de trabalho. Confira agora essa alternativa que pode transformar o futuro de seus alunos no mercado de trabalho.

O que é o STEM?

O STEM é uma abordagem de ensino que consegue aplicar diversas áreas do conhecimento em apenas uma atividade. Isso de maneiras inusitadas e que permita ao aluno a proximidade de conhecer novos conceitos.

Além disso, o STEM é uma ótima estratégia para trabalhar a autonomia do aluno, pois ele acaba precisando resolver os problemas propostos pelo método sozinho. Com isso, ele realmente aprende a trabalhar com situações que estão presentes no dia a dia.

Quais as vantagens do STEM?

O STEM possui a vantagem de auxiliar os alunos que possuem maior dificuldade para aprender em sala de aula. Isso acontece pela dinamicidade presente nas atividades do método.

Além disso, o STEM possui outras vantagens. Confira a seguir:

Multidisciplinaridade: Através do STEM, o professor consegue transmitir diversas áreas do conhecimento em apenas um exercício.

Aplicação na prática: Com o STEM, o aluno consegue aprender e ainda entende como aplicar o que foi ensinado na prática. Isso principalmente por ser necessário criar soluções de problemas reais através de construções.

Melhor relação entre professor e aluno: As interações entre professores e alunos passa a ser diferente. Nos exercícios de STEM, o professor passa de apenas discente para mentor. Ele auxilia os alunos, mas não entrega a resposta. Com isso, é gerado autonomia dos alunos.

Vantagens no Mercado de Trabalho: Hoje em dia, o Mercado de Trabalho procura por pessoas com mentalidades diferentes. Por isso, além do diploma acadêmico, é necessário destaque no currículo. O STEM possui a vantagem de envolver o aluno em diferentes atividades, que promovem a criatividade, pensamento crítico, melhor comunicação e ainda facilidade com trabalho em equipe.

Como trabalhar o STEM em sala de aula?

Para a implementação do STEM nas escolas, não é necessário equipamentos ultramodernos. Apenas um pequeno investimento e a vontade de oferecer aos alunos um melhor método de aprendizado.

Poucos equipamentos são necessários para essa abordagem. Apenas materiais simples podem fazer com que os alunos consigam desenvolver e trabalhar a criatividade. Isso com o professor como mentor. Ou seja, sem dar respostas prontas.

O educador ensina alguns caminhos para o aluno chegar sozinho à conclusão. Isso o prepara para o mundo do mercado de trabalho, que é formado por diversos desafios. Por esse motivo, o professor deve estar preparado para saber como desenvolver as atividades.

Veja a seguir como trabalhar com o STEM em sala de aula:

1. Pense na integração dos conhecimentos: Lembre-se de que a multidisciplinaridade é uma das bases do STEM. Por isso, não foque em apenas uma matéria.

2. Problematize e motive os alunos: Os alunos só se interessarão pela atividade se verem que o desafio é instigante. Não dê respostas, mas caminhos para que os alunos consigam resolver os problemas sozinhos. Permita que eles testem e refaçam quantas vezes forem necessárias.

3. Estimule o trabalho em equipe: Lembre os estudantes de que é um trabalho em equipe. Peça para que eles dividam funções entre os integrantes dos grupos e se possível, ir fazendo rodízio das funções.

4. Foque em problemas reais: No contexto de cada atividade, traga algo do cotidiano. Confira se o exercício aplicado em sala de aula pode realmente ser útil para o dia a dia do estudante. Que com o STEM, ele consiga aplicar na prática soluções  relacionadas à realidade.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.