Paciente Tem Peito em Chamas Durante Cirurgia, Veja e Entenda!

Imprevistos e complicações podem acontecer durante uma cirurgia. É preciso saber os procedimentos adequados para prosseguir.

0

Uma cirurgia é sempre um momento delicado e frágil de uma pessoa devido aos riscos que esse procedimento pode apresentar.

Para isso há médicos qualificados que atuam na operação para que ela ocorra da melhor maneira possível. Porém, por vezes, inevitavelmente podem haver complicações.

É o caso de uma cirurgia cardíaca de emergência feita em um homem nos anos 60. Sua complicação foi um tanto quanto inusitada. No momento em que o homem estava na mesa de cirurgia, seu peito, que estava aberto começou a pegar fogo. Felizmente, os médicos conseguiram apagar o incêndio e finalizar a operação com sucesso e sem mais complicações.

Confira também:

O ocorrido foi relatado no congresso internacional Euroanaesthesia. Trata-se de uma convenção anual da Sociedade Europeia de Anestesiologia.

Cirurgia

Segundo o relatório médico, o homem sofreu uma dissecção da aorta ascendente, que é uma ruptura potencialmente fatal na parede interna da artéria principal que bombeia sangue do coração para o resto do corpo. Por isso, teve que ser levado as pressas para cirurgia.

Sua doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) gerou complicações no procedimento. Por isso, para chegar no coração do homem os médicos tiveram que abrir o seu esterno, que é o osso que fica no meio do peito.

Feito isso, os profissionais viram que o pulmão direito do homem estava preso ao esterno. E além disso, pedaços do tecido pulmonar estavam danificados.
Normalmente, bolhas de ar se formam em pessoas que têm DPOC. E quando os médicos tentaram arrancar, com cuidado, o pulmão direito do esterno do homem, eles acabaram perfurando uma dessas bolhas. Com isso, houve um grande vazamento de ar.

Para evitar que o paciente sentisse algum desconforto, os médicos aplicaram mais anestesia e alteraram o fluxo de ar que o homem estava recebendo para 100%.

Dessa forma, assim que o fluxo do ar foi aumentado, uma faísca do eletrocautério (dispositivo que usa calor para queimar ou cortar um tecido) caiu na bolsa. E por causa do ar rico em oxigênio ao redor do peito do homem, acabou se criando o fogo. Por sorte, os médicos conseguiram apagá-lo rapidamente e não houve nenhum dano ao paciente.

Felizmente, a cirurgia foi controlada pelos médicos e continuou normalmente sem problemas, conseguindo fazer artéria do homem ser reparada com sucesso. Depois desse incidente, os médicos foram pesquisar outros casos parecidos. Foram achados seis casos, no qual todos envolviam bolsas secas.

Por mais que seja raro esse tipo de acontecimento é preciso estar atento, principalmente aos médicos, devem saber os procedimentos necessários nesse caso.

“Em particular, os cirurgiões e anestesistas precisam estar cientes de que incêndios podem ocorrer na cavidade torácica se um pulmão for danificado ou se houver um vazamento de ar por qualquer motivo, e que os pacientes com DPOC correm um risco maior” disse Ruth Shaylor.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.