Tudo que você precisa saber sobre o Peixe-boi-marinho

Conheça as características e modo de vida de um dos mamíferos aquáticos mais ameaçados do mundo.

0

Conhecido popularmente como “vaca-marinha“, pelo forrageamento em plantas aquáticas, o Peixe-boi-marinho (Trichechus manatus) é uma das quatro espécies vivas da ordem de mamíferos aquáticos Sirenia.

Existem duas subespécies deste peixe-boi: o peixe-boi da Flórida (Trichechus manatus latirostris) e o peixe-boi das Antilhas (Trichechus manatus manatus). Os dois compartilham muitas características em comum. Eles são na maioria das vezes de cor cinza, mas podem variar de preto a marrom claro.

Características

Sua pele enrugada é coberta esparsamente com pelos e às vezes é manchada com algas ou até mesmo cracas. Eles têm corpos grandes, pesados, com nadadeiras emparelhadas e uma cauda redonda em forma de remo. Seus rostos são enrugados e têm bigodes. O lábio superior é flexível e dividido, morfologicamente adaptado para passar comida para a boca.

Ao nascer, os filhotes têm entre 90 centímetros e 1,2 metros de comprimento e pesam entre 18 e 27 quilos. Quando atingem a idade adulta, os peixes-boi têm em média três metros de comprimento e pesam entre 800 e 540 quilos. Apesar do tamanho grande do peixe-boi-marinho, eles são muito ágeis na água.

Eles passam a maior parte do tempo submersos, mas voltam à superfície para respirar, geralmente permanecendo logo abaixo da superfície, com apenas o focinho acima da água. Eles podem permanecer debaixo d’água por até 12 minutos, mas a média é de 4,5 minutos.

Habitat

Os peixes-bois-marinhos preferem águas rasas e lentas de rios, estuários, baías de água salgada, canais e áreas costeiras. Eles podem se mover facilmente entre ambientes de água doce e água salgada, mas preferem água doce. Além disso, eles não tem predadores naturais.

Alimentação

As vacas-marinhas comem plantas aquáticas, como o capim-colchão, o capim-tartaruga, aguapé e outras plantas marinhas. Esses animais consomem entre 4 e 9 por cento do seu peso corporal por dia, o que equivale a cerca de 14 kgs de plantas por dia.

Os Peixes-boi-marinho gastam cerca de cinco a oito horas comendo todos os dias. Eles podem usar suas nadadeiras para desenterrar plantas e usar o lábio superior para manipular as folhas. Eles também ocasionalmente comem invertebrados e peixes .

Reprodução

Sem período de reprodução, os peixes-boi podem acasalar em qualquer época do ano. As fêmeas atingem a maturidade sexual entre os 3 e os 10 anos de idade e dão à luz a um ou dois filhotes a cada dois ou cinco anos. Eles são amamentados debaixo d’água por um mamilo atrás do membro anterior da mãe. Eles podem começar a comer as plantas imediatamente, mas continuarão a ficar com as mães e a amamentar por até dois anos.

Os peixes-boi-marinho se comunicam com o toque e com vocalizações. A mãe e o filhote se reconhecem através dessas vocalizações, que os ajudam a permanecer em contato. A expectativa de vida média desses mamíferos é de 30 anos na natureza.

Conservação

Os peixes-boi são considerados ameaçados de extinção e sua sobrevivência é vista como limitada devido a suas baixas taxas reprodutivas. Os peixes-boi foram historicamente caçados, mas agora estão protegidos por diversas leis ao redor do mundo, que proíbem a captura de todos os mamíferos marinhos.

Hoje, as maiores ameaças à sobrevivência do peixe-boi-marinho são colisões com barcos e perda de nascentes de água, que fornecem importantes habitats. Também são vulneráveis ​​ao emaranhamento em equipamentos de pesca, marés vermelhas e aos agentes poluentes.

Curiosidades

Os marinheiros, na época das grandes navegações, confundiam peixes-boi com sereias. O nome científico dos peixes-boi da ordem zoológica, Sirenia, vem da palavra “sereia”, uma criatura marinha da mitologia cujas belas canções atraíram marinheiros para naufrágios.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.