Você sabe por que soluçamos?

Por trás dessa condição, por vezes, irritante, existe toda uma explicação científica mas, há vários modos de fazê-la parar o quanto antes!


Tem coisa mais chata do que soluçar? O irritante “hic hic” aparece, sempre, nas horas mais impróprias e dá o maior trabalho para passar!

Mas, afinal, por que soluçamos? O fato é que, muitas vezes, o soluço aparece de forma benigna, por mais incômodo que seja. Mas, suas causas podem esconder, também, problemas de saúde!

Vamos saber um pouco mais a seguir!

O que causa o soluço?

Tudo começa com o diafragma, aquele músculo relacionado à respiração que separa tórax e abdômen. A expiração normal do ar acontece quando este músculo relaxa, enquanto a inspiração vem quando ele se contrai. Nesse processo, o ar passa pela glote, lembra? Esta se fecha para o alimento passar e se abre para a passagem do ar.

O diafragma está localizado logo acima do estômago, assim como um nervo chamado frênico. Todos estão muito relacionados à causa do soluço. Quando comemos muito ou tomamos bebidas quentes ou frias e, até, quando ingerimos quantidade excessiva de álcool, provocamos um inchaço no estômago.

Com isso, o órgão irrita o nervo frênico que, por sua vez, faz o diafragma se contrair, como um efeito em cadeia. A partir daí, a inspiração do ar tenta vir normalmente, mas, ao mesmo tempo, a glote se fecha. Ou seja, acontece um espasmo do diafragma originada uma “pane” no equilíbrio entre seu funcionamento e o da glote.

E por que vem aquele barulhinho tão característico do soluço? Ele vem das cordas vocais que se movimentam com a passagem do ar. Esta, por sua, vez, é prejudicada pelo fechamento abrupto da glote. Felizmente, por mais irritante que seja, o soluço funciona mais como um alarme e não faz nenhum mal à saúde.

Por que mudanças de temperatura provocam o soluço?

Já notou que, quando faz muito frio, às vezes, soluçamos? Ou, até mesmo, quando saímos de um ambiente muito quente para outro mais gelado. Por que isso acontece? A causa é a mesma de quando ingerimos bebidas de diferentes temperaturas. Essa diferença provoca o espasmo do diafragma, fazendo o soluço aparecer.

Como parar o soluço?

Assim como a frequência do soluço, são muitas as “simpatias” para fazer ele desaparecer. Tomar água curvado para frente ou movimentando os braços para cima, chupar fatia de limão, erguer os joelhos até o peito, e por aí vai. Algumas até têm fundamento e funcionam, mas, outras, dá pra deixar de lado. Vejamos por que.

A única maneira de fazer o soluço passar é relaxar o diafragma e aliviar a pressão do estômago. Assim, todo o sistema voltará a funcionar normalmente, evitando as contrações involuntárias. Por isso, algumas medidas caseiras são bastante eficientes e, também, mais simples, como por exemplo:

  • prender a respiração por alguns segundos
  • respirar dentro de um saco de papel
  • tomar um copo de água ou suco de uma vez
  • massagear a região do diafragma por um tempo

Sabe aquelas lendas, como passar susto, ficar de ponta cabeça ou sentir cócegas? Então, nada comprovado quanto à sua eficácia, por isso, nada dessas tentativas, ok?

Tem como evitar o soluço?

Tem! Algumas dicas são ótimas para evitar essa situação chata e constrangedora. Evite comer em excesso e depressa demais, dê preferência a alimentos de fácil digestão, procure não passar por situações de stress intenso ou locais de mudanças bruscas na temperatura e, também, tente não ingerir bebidas alcoólicas em excesso.

Os bebês são bastante propensos ao soluço porque seu sistema nervoso, ainda, é imaturo para se adequar ao funcionamento do diafragma. Existem algumas mamadeiras anti-soluços, o que pode ajudar. Caso a criança já esteja soluçando, é interessante fazer massagens em seu diafragma ou nas costas.

Causas mais graves do soluço

A priori, o soluço não faz mal à saúde, mas, pode indicar algum problema mais sério, principalmente, se for muito persistente. Por vezes, sinalizam quanto a algum distúrbio no sistema nervoso, esôfago, estômago, vesícula ou, até mesmo, uma pneumonia iniciada na base dos pulmões. Fatores emocionais, como o stress, podem provocar soluço persistente.

Crises que duram mais de 48h são chamadas de soluço persistente. Se duram mais de um mês, passam para soluço intratável. Nestes casos, quando sentir que o soluço perdura por mais tempo que o normal, o ideal é procurar orientação médica. Qualquer sinal que o corpo emite denuncia que alguma coisa, ali, não está funcionando muito bem!

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More