Pronome

Na língua portuguesa existem dez classes gramaticais, também chamadas de classes morfológicas, ou ainda, classes de palavras. Entre elas, está o pronome, responsável por substituir ou acompanhar um substantivo (nome), definindo-lhe os limites de significação.

0

Você sabe o que é o pronome? Uma entre as dez classes gramaticais (ou classes de palavras) da língua portuguesa, o pronome é aquela palavrinha que acompanha um substantivo (nome) para qualificá-lo ou delimitá-lo, podendo ainda substituí-lo no discurso. O pronome está entre as seis classes chamadas de variáveis, isso porque ele admite variação quanto ao número, quanto ao gênero e quanto ao grau. Existem vários tipos de pronomes: pronomes pessoais, pronomes possessivos, pronomes demonstrativos, pronomes interrogativos, pronomes relativos e pronomes indefinidos. Além desta classificação principal, os pronomes também podem ser classificados em pronomes adjetivos e pronomes substantivos.

Saber utilizar os pronomes é indispensável para a coesão textual de um texto, afinal de contas, eles são exemplos de conectivos, isto é, estão entre os elementos que possibilitam o encadeamento lógico das ideias de um texto. Que tal conhecer um pouco melhor suas classificações? Veja cada uma delas e acompanhe os exemplos que o Escola Educação traz para você. Boa leitura e bons estudos!

Pronomes pessoais

Os pronomes pessoais subdividem-se em pronomes pessoais do caso reto, pronomes pessoais oblíquos e pronomes pessoais de tratamento.

Os pronomes pessoais do caso reto são responsáveis por substituir os substantivos e ainda indicar as pessoas do discurso, assumindo maioritariamente a função de sujeito da oração.

  • Eu encontrei com meus amigos na praça de alimentação do shopping.
  • Ela me disse que provavelmente viajará para a Disney durante as férias de julho.

Exemplos de pronomes pessoais do caso reto: eu, tu, ele, ela, nós, vós, eles, elas.

Os pronomes pessoais oblíquos podem ser tônicos ou átonos. Quando tônicos, serão precedidos de uma preposição e substituirão um substantivo que apresente função de objeto indireto. Quando átonos, não são precedidos de uma preposição, podendo substituir um substantivo que desempenhe função de objeto direto ou de objeto indireto.

  • Maria Clara disse que gosta de mim.
  • Havia perdido meu celular, mas encontrei-o na bancada da banheiro.

Exemplos de pronomes pessoais oblíquos tônicos: mim, comigo, ti, contigo, ele, ela, nós, conosco, vós, convosco, eles, elas.

Exemplos de pronomes pessoais oblíquos átonos: me, te, o, a, lhe, nos, vos, os, as, lhes.

Os pronomes de tratamento são formas mais polidas e reverentes que utilizamos para nos dirigir à pessoa com quem estamos falando ou de quem estamos falando.

  • Vossa Excelência confirmou que viajará para a Rússia para tratar de questões diplomáticas.
  • Sua Eminência estará presente no conclave?

Exemplos de pronomes de tratamento: você, senhor, senhora, senhorita, Vossa Senhoria, Vossa Excelência, Vossa Eminência, Vossa Santidade, Vossa Reverendíssima, Vossa Alteza, Vossa Majestade, Vossa Magnificência, Vossa Paternidade, Vossa Majestade Imperial, Vossa Onipotência
Pronomes possessivos

Os pronomes possessivos são aqueles que transmitem, principalmente, uma relação de posse, isto é, indicam que alguma coisa pertence a uma das pessoas do discurso.

  • Eu não sei onde coloquei meus livros da escola!
  • Você pode me emprestar sua mala para eu viajar?

Exemplos de pronomes possessivos: meu, minha, meus, minhas, teu, tua, teus, tuas, seu, sua, seus, suas, nosso, nossa, nossos, nossas, vosso, vossa, vossos, vossas, seu, sua, seus, suas.

Pronomes demonstrativos

Os pronomes demonstrativos servem para situar alguém ou alguma coisa no tempo, no espaço e no discurso, em relação às próprias pessoas do discurso: quem fala, com quem se fala, de quem se fala. Estes pronomes contraem-se com as preposições a, em e de.

  • De quem é aquela blusa que está caída no chão?
  • Leia esta matéria que saiu na revista.

Exemplos de pronomes demonstrativos: este, esta, estes, estas, isto, esse, essa, esses, essas, isso, aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo.

Outras palavras que atuam como pronomes demonstrativos: o, a, os, as, mesmo, mesma, mesmos, mesmas, próprio, própria, próprios, próprias, tal, tais, semelhante, semelhantes.

Pronomes interrogativos

Os Pronomes interrogativos sempre farão referência à 3ª pessoa gramatical e sempre serão utilizados para interrogar, isto é, para formular perguntas de modo direto ou indireto.

  • Quem disse isso a você?
  • Diga-me, por favor, a que horas você pretende me buscar no trabalho?

Exemplos de pronomes interrogativos: que, quem, qual, quais, quanto, quanta, quantos, quantas.

Pronomes relativos

Os pronomes relativos sempre estabelecem relação com o termo da oração que está expresso anteriormente, servindo de elo de subordinação das orações que iniciam. São importantes para o processo de construção da coesão de um texto.

  • Eu comprei o casaco vermelho que estava na vitrine da loja há dias.
  • O assunto ao qual me refiro não diz respeito a você.

Exemplos de pronomes relativos: que, quem, onde, o qual, a qual, os quais, as quais, cujo, cuja, cujos, cujas, quanto, quanta, quantos, quantas.

Pronomes indefinidos

Os pronomes indefinidos sempre fazem referência à 3ª pessoa gramatical, indicando que algo ou alguém é considerado de forma indeterminada e imprecisa.

  • O funcionário apresentou alguma justificativa por conta da falta de ontem?
  • Ninguém sabe quando será descoberta a cura para o câncer.

Exemplos de pronomes indefinidos: alguém, ninguém, outrem, tudo, nada, cada, algo, algum, algumas, nenhuns, nenhuma, todo, todos, outra, outras, muito, muita, pouco, poucos, certo, certa, vários, várias, tanto, tantos, quanta, quantas, qualquer, quaisquer, bastante, bastantes.

Pronomes adjetivos

Os pronomes adjetivos acompanham os substantivos e cumprem a função de um adjetivo, ou seja, desempenham na oração a função de determinar e modificar o substantivo.

  • Minha irmã mais velha é engenheira florestal.
  • Aqueles alunos e alunas do terceiro ano são indisciplinados.

Pronomes substantivos

Os pronomes substantivos substituem o substantivo numa frase.

  • Essa é minha.
  • Ela viu-o.

Veja agora dois exemplos que mostrarão para você a importância do pronome como elemento de coesão textual. O primeiro texto não utiliza adequadamente os conectivos, no caso, os pronomes. O segundo emprega-os adequadamente, o que evitou a repetição desnecessária de certos substantivos:

Texto 1

Para entrar neste livro quando se é jovem … e mais tarde

É importante conhecer o passado para compreender melhor o presente, para saber em que estamos dando continuidade a ele, em que estamos nos separando dele.

Os historiadores perceberam que compreendiam melhor o passado e podiam explicá-lo melhor, particularmente para as crianças e os jovens, quando o dividiam em sucessivas épocas, cada uma delas com suas características. Em relação à época que chamamos Idade Média, temos dois problemas: sua duração e seu significado, pois existe uma interpretação favorável e outra desfavorável desse período.

A Idade Média inspirou romances históricos aos escritores, entre os quais alguns tiveram grande sucesso, e filmes aos cineastas, desde que existe cinema, fascinando os espectadores, particularmente as crianças. Mais uma razão para tentar explicar a vocês o que foi a Idade Média e o que ela deve representar para nós.

LE GOFF, Jacques. A Idade Média Explicada a meus Filhos. Rio de Janeiro: Agir, 2007.

 

Texto 2 (corrigido)

Para entrar neste livro quando se é jovem … e mais tarde

É importante conhecer o passado para compreender melhor o presente, para saber em que estamos dando continuidade ao passado, em que estamos nos separando do passado.

Os historiadores perceberam que compreendiam melhor o passado e podiam explicar o passado melhor, particularmente para as crianças e os jovens, quando dividiam o passado em sucessivas épocas, cada uma das sucessivas épocas com características das épocas. Em relação à época que chamamos Idade Média, temos dois problemas: duração da Idade Média e significado da Idade Média, pois existe uma interpretação favorável e outra desfavorável do período Idade Média.

A Idade Média inspirou romances históricos aos escritores, entre os quais alguns tiveram grande sucesso, e filmes aos cineastas, desde que existe cinema, fascinando os espectadores, particularmente as crianças. Mais uma razão para tentar explicar a vocês o que foi a Idade Média e o que a Idade Média deve representar para nós.

LE GOFF, Jacques. A Idade Média Explicada a meus Filhos. Rio de Janeiro: Agir, 2007

Luana Alves
Graduada em Letras

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.