Quantas letras tem o alfabeto?

A partir de 2009, com a vigência do Acordo Ortográfico, muitas dúvidas surgiram em relação ao alfabeto. Por isso, confira aqui todas as mudanças.

0 392

O que é o Alfabeto?

De forma simplificada, o alfabeto é um conjunto de letras ordenadas utilizadas em determinada língua. Na teoria, é qualquer série ou sistema de sinais convencionados para representar letras, fonemas, palavras, mensagens etc.

A palavra alfabeto vem do grego alphabetos. Ela é formada pelas letras Alfa e Beta, que são as primeiras letras do alfabeto grego e correspondem às nossas letras A e B. Acredita – se que ele seja usado desde 900 a.C., a partir de quando os gregos passaram a usar o alfabeto fenício.

Na Língua Portuguesa, o alfabeto utilizado é o latino, que também é conhecido como romano. Este é o sistema mais utilizado em todo o mundo, principalmente em antigas colônias europeias.

No Brasil, durante muito tempo o alfabeto foi composto por 23 letras. Entretanto, em 2009, com a implementação do Acordo Ortográfico, as letras k, w e y foram oficialmente incorporadas, deixando-o, então, com 26 letras.

A elas, são atribuídos os seguintes usos:

  • Nomes próprios estrangeiros de pessoas e lugares, bem como seus derivados;
  • Símbolos, siglas, unidades de medida e monetárias;
  • Estrangeirismos de uso frequente (playground, download, show, steak).

Veja abaixo quais são as letras do alfabeto utilizado no Brasil. Lembrando que elas podem ser representadas pela forma maiúscula ou minúscula:

Maiúsculas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U W X Y Z

Minúsculas

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u w x y z

Ele pode ser dividido entre vogais e consoantes, que possuem a seguinte definição: vogal é todo fonema em cuja emissão o ar passa livremente pela boca, ou pelo nariz, sem nenhum bloqueio.

Já as consoantes são aquelas cujo fonema é pronunciado com o bloqueio do ar feita por dentes, língua ou lábios.

Vogais

a, e, i, o, u

Consoantes

b c d f g h j k l m n p q r s t w x y z

Vale frisar que o ç não pode ser considerado uma letra porque ele é a junção da letra c com a cedilha, que é um sinal diacrítico.

Este sinal tem por objetivo dar um novo valor fonético a uma letra, mudando a sua pronúncia habitual.

Mas e quanto a classificação das letras K, W e Y?

A partir de 2009, com o início da vigência do Acordo Ortográfico e o agrupamento das 23 letras fundamentais e as 3 utilizadas em casos especiais, em um único alfabeto, muitas dúvidas surgiram em relação a classificação das letras k, w e y.

De acordo com o professor de Linguística da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Carlos Alberto Faraco, (http://www.letras.ufscar.br/linguasagem/edicao09/artigos_ea_faraco.php), atualmente, não há nenhuma normatização em relação a classificação das mesmas.

Segundo a definição de vogais e consoantes acima, e em concordâncias com as ideias do professor, a letra k, que sempre tem som de consoante e a letra w, que pode ter tanto som de semivogal, quanto de consoante, são classificadas como consoante.

O caso do y é um pouco mais complexo, uma vez que ele pode representar uma semivogal, poucas vezes o ditongo /aj/ e raramente a vogal i. Conforme o artigo de
Carlos Alberto Faraco, não existe nenhuma referência de classificação para a letra.

Assim, o professor leva em em consideração que “em fonologia, uma semivogal é considerada um fonema consonântico, [por isso], talvez a melhor saída seja classificar o y como consoante”.

Confira algumas figuras de Alfabeto Ilustrado:

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.