Varejistas pressionam para que Shopee seja tributada. Vai ficar mais caro comprar no site?

Está prevista a criação de uma Medida Provisória (MP) para aumentar a taxação de produtos vendidos através dos aplicativos cross-border.

Está prevista a criação de uma Medida Provisória (MP) para aumentar a taxação de produtos vendidos através dos aplicativos cross-border, isto é, a atividade comercial advinda de outras nações. Nessa situação, incluem-se plataformas populares, como a Shopee, AliExpress, Shein e Wish. A empresa XP fez a divulgação de um relatório sobre os possíveis impactos nas ações de varejo.

Leia também: Como fazer bom uso dos cupons da Shopee?

Os varejistas brasileiros pressionam o governo para taxar esses aplicativos e aumentar a fiscalização sobre os pedidos dessas plataformas para diminuir sua escalada de vendas e minorar sua competitividade no mercado brasileiro. Entretanto, o relatório reforça que a MP pode ter impactos negativos em um ano eleitoral.

Medida pode ser impopular em ano de eleições

Conforme as informações contidas no relatório, os principais desafios para conseguir implementar a medida, e que a tornarão impopular, são a redução da capacidade de compra dos consumidores médios brasileiros, assim como os desafios de fiscalizar através da Receita Federal, visto que a plataforma da Shopee, sozinha, foi responsável por mais de 140 milhões de envios no 4º trimestre, o que corresponde a, em média, 1,5 milhão por dia.

“Nosso time de política confirmou que de fato há alguma resistência à medida por conta do primeiro ponto, enquanto uma solução para o segundo seria tributar a compra direto no site. Do lado popular, a medida daria fôlego aos varejistas e indústrias brasileiras, o que poderia potencializar a geração de renda/emprego no país”, explica.

Varejistas da moda serão as mais beneficiadas

Se a MP avançar, os analistas da empresa veem que os principais beneficiados serão as lojas de varejo de moda. Para esses varejistas, a MP trará um impacto positivo para os seus negócios, visto que hoje, a Shein, que também trabalha com moda, consegue oferecer um preço baixo, enquanto as empresas brasileiras saem prejudicadas, pois não conseguem competir com esses valores devido à alta taxa de tributos no Brasil.

“Já no caso de Shopee, acreditamos que o possível aumento de tributação aumentaria o foco da companhia em acelerar a captação de vendedores locais, que já ultrapassam 2 milhões e representam mais de 85% das vendas do marketplace”, coloca.

O relatório mostra que a XP permanece em estado de cautela com as empresas de e-commerce, com um olhar mais construtivo para as Lojas Renner.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More