A América Pré-Colombiana

Quando Cristóvão Colombo chegou a América não imaginava que estava pisando em um novo continente.

0

O navegador genovês Cristóvão Colombo (1451-1506) chegou a América em 1492. Por muito tempo foi considerado o descobridor do novo continente, porém quando chegou aqui esse território já era a muito habitado por diversos povos, organizados em sociedades bem estruturadas. Seu objetivo não era o de descobri um “novo mundo”, mas sim chegar até as Índias e explorar as riquezas que ali encontrasse para isso recebeu o apoio da monarquia espanhola.

Os séculos XV e XVI entrariam para a História como o Período das Grandes Navegações, em que as nações europeias se lançariam em uma verdadeira aventura em busca de novos domínios, matérias-primas metais preciosos e tudo mais que fosse necessário para aumentar os seus lucros e poder. Nesse empreendimento receberam até o apoio da igreja católica que desejava conquistar novos fieis.

Portugal e Espanha se tornaram grandes potências marítimas, em comum compartilhavam o desejo de conquistar as Índias e participar do lucrativo comércio de especiarias (cravo, canela, açafrão, pimenta do reino, gengibre, noz moscada, cardamomo) no Oriente.

Os comerciantes genoveses e venezianos tinham o controle sobre o comércio dessas mercadorias, com a finalidade de comprar esses produtos com um custo menor e aumentar os seus lucros com a sua venda na Europa, espanhóis e portugueses iniciaram a busca por novas rotas para conquistar as Índias. Nesse contexto, novos territórios antes desconhecidos passam a ser invadidos pelos conquistadores europeus.

A América Pré-Colombiana
Quando Cristóvão Colombo chegou a América não imaginava que estava pisando em um novo continente.

A experiência obtida por Portugal na pesca do bacalhau e o seu investimento em estudos náuticos através da Escola de Sagres lhes renderia certa vantagem em relação aos navegadores espanhóis. Escolheram contornar a África como melhor caminho para chegar ao seu destino, em 1498 as caravelas portuguesas comandadas por Vasco da Gama conquistaram as Índias.

Os espanhóis escolheram navegar pelo oceano Atlântico, em 1492 acreditando ter chegados as Índias, Cristóvão Colombo aportou na ilha de Guanaani, que foi batizada de San Salvador, na América Central. A partir desse momento os espanhóis dariam início a um processo de conquista, dominação e massacre dos povos que aqui habitavam.

Colombo batizou os nativos americanos de índios, uma referência ao local que ele acreditava ter chegado. A partir da chegada dos espanhóis, os grupos que habitavam a América seriam submetidos a diversas situações que provocariam um decréscimo em suas populações (assassinatos em massa e doenças as quais os nativos não possuíam imunidade contribuíram para o extermínio de milhares de pessoas).

Considerando serem superiores, os europeus iniciariam um processo de aculturamento desses povos, estes foram obrigados a seguir o catolicismo e a receber ordens da coroa espanhola, o colonizador acreditava que para se tornar civilizados os nativos deveriam se submeter às leis e ao domínio do colonizador. A seguir vamos conhecer um pouco mais sobre as civilizações que aqui viviam antes da chegada de Cristóvão Colombo.

Entre os povos pré-colombianos, podemos destacar os incas, maias e astecas que possuíam uma complexa organização social, política e econômica.

INCAS

Maior império da América pré-colombiana (mais de dez milhões de pessoas) se estendeu da Colômbia ao Chile e teve seu centro em Cuzco, no Peru. Destacaram-se por serem exímios construtores, entre suas obras podem se destacar a construção de estradas, pontes, sistemas de irrigação, drenagens de pântanos.

Acreditavam que o seu imperador era a reencarnação de um deus. Todos os membros da sociedade deveriam pagar tributos ao rei. A riqueza de metais precioso do território inca despertou a cobiça do colonizador espanhol.

No século XVI, o conquistador Francisco Pizarro invadiu e dominou o império inca, apesar da superioridade de sua população, os incas sucumbiram ao seu domínio. Pizarro aproveitou-se de uma briga entre os irmãos Atahualpa e Huáscar, o imperador e da desorganização estabelecida no império devido a essa rebelião para conquistar seguidores e se apossar do trono.

MAIAS

Habitaram a região das atuais Guatemala, Honduras e Península de Yucatán (sul do atual México). O império maia era controlado por um estado teocrático, a sua fragilidade se deu devido à falta de uma unificação , o que facilitou a invasão e domínio por povos vizinhos. Destacaram-se na utilização de técnicas de irrigação do solo, construção de pirâmides desenvolveu a matemática a partir da invenção de casas decimais e do zero. Eram politeístas e a economia estava baseada na agricultura.

ASTECAS

Desenvolveram-se na região que hoje corresponde ao México. A sociedade asteca era rigidamente hierarquizada. Fundaram a famosa cidade de Tenochtitlán (atual Cidade do México). O poder era exercido por um imperador, entre os grupos sociais podemos destacar os nobres (com destaque para os sacerdotes e chefes militares) camponeses, artesãos e trabalhadores urbanos. Uma das principais características dos astecas era a sua habilidade em dominar povos vizinhos e a crueldade com a qual os tratavam. A agricultura era baseada na economia, desenvolveram sistemas de irrigação e drenagem de pântanos. Eram politeístas, tinham a prática de oferecer sacrifícios para satisfazer aos seus deuses.

Os astecas foram dominados pelo conquistador espanhol Hernán Cortez, que desembarcou nas costas do México em Fevereiro de 1519. Foram derrotados em 1521, a cidade de Tenochtitlán foi destruída, suas ruínas guardam um dos maiores patrimônios culturais referentes às sociedades pré-colombianas.

Lorena Castro Alves
Graduada em História e Pedagogia

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.