A psicologia do comportamento compulsivo

Um comportamento compulsivo é uma ação que uma pessoa se sente “compelida” ou motivada a fazer repetidas vezes.

0

Um comportamento compulsivo é uma ação que uma pessoa se sente “compelida” ou motivada a fazer repetidas vezes. Embora essas ações compulsivas possam parecer irracionais ou sem sentido, e possam até resultar em consequências negativas, o indivíduo que sente a compulsão se sente incapaz de parar a si mesmo.

O comportamento compulsivo pode ser um ato físico, como lavar as mãos ou trancar a porta. Também pode ser uma atividade mental, como contar objetos ou memorizar listas telefônicas. Quando um comportamento inofensivo se torna tão desgastante que afeta negativamente a si mesmo ou aos outros, pode ser um sintoma de transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Compulsão vs. Vício

Uma compulsão é diferente de um vício. O primeiro é um desejo avassalador (ou senso de necessidade física) de fazer alguma coisa. Um vício é uma dependência física ou química de uma substância ou comportamento.

As pessoas com vícios avançados continuarão seu comportamento viciante, mesmo quando entenderem que isso é prejudicial para si e para os outros. Alcoolismo, abuso de drogas, tabagismo e jogos de azar talvez sejam os exemplos mais comuns de vícios.

Duas diferenças fundamentais entre compulsão e dependência são prazer e consciência.

Prazer

Comportamentos compulsivos, como aqueles envolvidos no transtorno obsessivo-compulsivo, raramente resultam em sentimentos de prazer. Os vícios normalmente o fazem. Por exemplo, pessoas que compulsivamente lavam as mãos não têm prazer em fazê-lo.

Por outro lado, as pessoas com vícios “querem” usar a substância ou se engajar no comportamento porque esperam aproveitá-la. Esse desejo por prazer ou alívio torna-se parte do ciclo de autoperpetuação do vício.

Conscientização

As pessoas com transtornos obsessivo-compulsivos são tipicamente conscientes de seus comportamentos e são incomodadas pelo conhecimento de que não têm razão lógica para fazê-las. Por outro lado, as pessoas com vícios muitas vezes desconhecem ou não se preocupam com as consequências negativas de suas ações.

Típicos do estágio de negação dos vícios, os indivíduos se recusam a admitir que seu comportamento é prejudicial. Em vez disso, eles estão “apenas se divertindo” ou tentando “se encaixar”. Muitas vezes, é necessária uma consequência devastadora para se conscientizarem da realidade de suas ações.

Compulsão vs. Hábito

Ao contrário das compulsões e dos vícios, que são exercidos de forma consciente e incontrolável, os hábitos são ações que se repetem regular e automaticamente. Por exemplo, embora possamos estar cientes de que estamos escovando nossos dentes, quase nunca nos perguntamos por que estamos fazendo isso.

Os hábitos se desenvolvem ao longo do tempo por meio de um processo natural chamado “habituação”. Ações repetitivas que devem ser conscientemente iniciadas eventualmente se tornam subconscientes e são realizadas habitualmente sem um pensamento específico.

Bons hábitos, como escovar os dentes, são comportamentos que são conscientemente e intencionalmente adicionados às nossas rotinas. Embora existam bons hábitos e hábitos ruins e insalubres, qualquer hábito pode se tornar uma compulsão ou mesmo um vício.

Em outras palavras, você realmente pode ter “uma coisa boa demais”. Por exemplo, o bom hábito de se exercitar regularmente pode se tornar uma compulsão ou vício doentio quando feito em excesso.

Hábitos comuns frequentemente se transformam em vícios quando resultam em dependência química, como nos casos de alcoolismo e tabagismo. O hábito de tomar um copo de cerveja com o jantar, por exemplo, torna-se um vício quando o desejo de beber se transforma em uma necessidade física ou emocional de beber.

Naturalmente, a principal diferença entre um comportamento compulsivo e um hábito é a capacidade de optar por fazê-lo ou não. Embora possamos optar por adicionar hábitos bons e saudáveis ​​às nossas rotinas, também podemos escolher quebrar velhos hábitos prejudiciais.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.