Adam Smith – Biografia, Curiosidades e Economia

Adam Smith é conhecido como o pai da economia moderna e seu legado ainda reflete em todos os países do globo.

1

Adam Smith nasceu em Kirkcaldy, na Escócia. Não há registro de seu nascimento, mas ele foi batizado em 16 de junho de 1723. Seu pai morreu pouco depois de ele nascer e Adam foi criado por sua mãe, Margaret. Adam era um jovem inteligente e na escola secundária estudou escrita, filosofia, matemática e latim.
Adam Smith
Adam Smith

Na idade de quatorze anos, Adam frequentou a Universidade de Glasgow e estudou filosofia, além de ser ensinado pelo famoso filósofo Francis Hutcheson. Depois de se formar, Adam frequentou a Universidade de Oxford, na Inglaterra.

Carreira

Depois de deixar Oxford, Adam Smith tornou-se professor na Universidade de Edimburgo. Foi em Edimburgo que ele conheceu o filósofo David Hume. Hume se tornaria um de seus melhores amigos e ao longo dos anos, Smith e Hume discutiram economia e filosofia. Durante esse tempo, Smith começou a formular as ideias que o tornariam famoso.

Autor e Tutor

Em 1759, Smith publicou “The Theory of Moral Sentiments”. Ele ganhou fama por este trabalho e lhe foi oferecido o trabalho de tutor para o jovem duque Henry Scott. Como tutor, Smith começou a viajar por toda a Europa. Ele conheceu muitas pessoas influentes, incluindo o economista francês François Quesnay e o diplomata americano Benjamin Franklin. As teorias de Smith sobre a economia continuaram a se desenvolver neste período.

A riqueza das nações

Em 1776, Adam Smith publicou “A Riqueza das Nações“. Este livro se tornou a base da economia moderna. Introduziu e explicou muitos conceitos econômicos que ainda são usados ​​hoje.

A ideia mais importante do livro é a ideia da economia de mercado livre. É aqui que ele propõe que a economia mais produtiva é aquela que é autorizada a se regular sem a intervenção do governo.

Teorias Econômicas

Adam Smith descreveu uma série de novas ideias econômicas em A Riqueza das Nações. Aqui estão alguns dos mais influentes:

Divisão do Trabalho – Smith descreve a importância da divisão do trabalho para produzir bens. Ao dividir o trabalho, as pessoas podem trabalhar com mais eficiência e se concentrar em tarefas específicas. Isso produz mais bens e um avanço mais rápido da tecnologia.

Produto Interno Bruto – No livro, Smith apresenta uma nova ideia de como a riqueza de uma nação deve ser medida. Ele explica que a riqueza de um país não está na quantidade de ouro e prata que possui, mas nos bens e serviços que a nação cria. Este fluxo de bens e serviços é o “produto interno bruto” (PIB) de uma nação. Hoje, o PIB é amplamente usado para determinar o sucesso da economia de uma nação.

Mão Invisível – Smith apresenta o conceito da “mão invisível” em seu livro. Essa mão invisível ajudará a regular a economia sem a necessidade de regulamentação governamental. As forças da mão invisível, como oferta e demanda, ajudarão a maximizar a eficiência da economia para produzir mais riquezas.

Morte e Legado

Adam Smith morreu em Edimburgo, na Escócia, em 1790. Hoje, ele é conhecido como o pai da economia moderna.

A Riqueza das Nações é um dos livros mais influentes da história e a maioria dos países em todo o mundo hoje opera uma economia mista que combina o livre mercado descrito por Adam Smith com alguma intervenção do governo.

Frases de Adam Smith

  • “A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.”
  • “A ambição universal do homem é colher o que nunca plantou.”
  • “O verdadeiro valor das coisas é o esforço e o problema de as adquirir.”
  • “A ciência é o grande antídoto do veneno do entusiasmo e da superstição.”
  • “O consumo é a única finalidade e o único propósito de toda produção.”

Curiosidades sobre Adam Smith

  • A ideia de deixar uma economia funcionar sem a intervenção do governo é às vezes chamada de economia de laissez-faire.
  • Smith tornou-se o primeiro escocês a aparecer em uma nota inglesa em 2007, quando apareceu na nova nota de 20 libras.
  • Smith foi sequestrado por ciganos quando tinha três anos de idade.
  • Smith era muito distraído e muitas vezes falava com ele mesmo.

você pode gostar também
  1. Nemuel Diz

    A matéria é muito informativa e bem explicada, gostaria apenas que vocês colocassem o(s) autor(s) da matéria e o ano de publicação em algum lugar na página, para que algum trabalho bibliográfico possa ser embasado em cima desse disponibilizado aqui no site. Pois sem essas informações fica complicado citá-los.
    Obrigado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.