Angiospermas

Agora vamos conhecer as plantas com flores e frutos!

As angiospermas são fanerógamas, espermatófitas e vasculares. A planta que vemos acima (ipê-amarelo) é um esporófito, o gametófito é extremamente reduzido e está nos tecidos do esporófito.

A grande maioria das plantas que usamos para alimentação ou ornamentação são angiospermas.

O grupo das angiospermas é o maior em número de espécies e possuem tamanho podendo variar de uma pequena erva até grandes árvores.

Esse também é o único grupo em que as plantas têm cinco órgãos, ou seja, além de raiz, caule e folhas, as angiospermas produzem flores e frutos.

As flores aparecem apenas no período reprodutivo, elas são um conjunto de folhas modificadas onde acontecerá a reprodução sexuada da planta. Os frutos são estruturas que derivam das flores com a função de proteger as sementes.

Estrutura da flor

As flores possuem quatro verticilos florais e duas estruturas de sustentação. Entretanto, nem todas as angiospermas possuem todos os verticilos e por isso são chamadas de flores incompletas.

As estruturas de sustentação são:

  • Pedúnculo: haste que sustenta e prende a flor ao caule;
  • Receptáculo: extremidade do pedúnculo, normalmente é dilatada para receber os verticilos.

Os verticilos florais são folhas modificadas, geralmente dispostas em círculos, da periferia para o centro temos:

    • Cálice: é o verticilo mais externo, quase sempre verde, serve como proteção para a flor, conhecido popularmente por sépalas;
    • Corola: verticilo que mais chama a atenção na maioria das flores, chamado popularmente de pétalas. Pode possuir cor, aroma, textura e produção de secreção adocicada para atrair polinizadores;
    • Androceu: composto por um conjunto de estames que dão origem ao gametófito masculino. Os estames tem uma haste chamada de filete conectada a uma extremidade dilatada chamada antera;
    • Gineceu: formado por folhas modificadas chamadas de carpelos ou pistilos, que produzem o gameta feminino. Tem uma base dilatada chamada de ovário, uma haste chamada filete e uma abertura chamada estigma.

Estrutura dos Frutos

Os frutos são o resultado do desenvolvimento do ovário após a fecundação e as sementes resultado do desenvolvimento dos óvulos que estavam dentro do ovário.

A principal função dos frutos é proteger as sementes. Eles permanecem fechados sobre elas, pelo menos até o momento de maturação, quando as sementes estão prontas para germinar e são liberadas em alguns frutos.

A parede do fruto é chamada de pericarpo e é composta por três partes:

    • Epicarpo: sua textura pode variar entre membranácea rugosa, é a camada mais externa do fruto conhecida como casca;
    • Mesocarpo: o mesocarpo geralmente é a parte comestível dos frutos, a camada do meio que pode ser colorida, suculenta e adocicada, além de fazer reservas em alguns casos;
    • Endocarpo: camada mais interna que recobre as sementes. Em geral mais rígida que as outras, podendo ser tão espesso e resistente que forma o que chamamos de caroço.

Por causa das características que os frutos apresentam eles também são importantes para a dispersão de sementes. A parte comestível de frutos carnosos atrai animais que carregam os frutos para se alimentarem, descartando as sementes longe da planta mãe.

Há também os frutos secos que quando maduros se abrem e liberam as sementes no solo, outro liberam as sementes de forma explosiva para que, assim, elas caiam distantes do caule da planta mãe.

Ciclo de vida e reprodução

A polinização das angiospermas pode acontecer de diversas maneiras seja por meio do vento, insetos, aves, humanos e etc.

Após serem polinizadas, o estigma entra em contato com o grão de pólen que começa a desenvolver o tubo polínico que vai crescer em direção ao ovário.

Dentro do tubo polínico, o núcleo da célula geradora se divide em duas células espermáticas haploides (os gametas masculino). Depois de chegar no ovário, o tubo penetra no óvulo e uma célula espermática se funde com a oosfera que dá origem ao embrião diploide e a outra com dois núcleos polares, originando um tecido triploide, o endosperma.

Essa é uma característica importante das angiospermas, a dupla fecundação.

Angiospermas - Ciclo de Vida
Angiospermas – Ciclo de vida

Classificação das angiospermas – Monocotiledôneas e eudicotiledôneas

As primeiras folhas das angiospermas, formadas ainda no embrião, são chamadas de cotilédones.

Essas plantas podem ter um ou dois cotilédones, sendo essa uma categoria importante de separação das angiospermas.

As plantas que têm apenas um cotilédone são chamadas de monocotiledôneas, elas possuem um cotilédone altamente especializado chamado de escutelo.

Já as que têm dois cotilédones são chamadas de eudicotiledôneas, onde os cotilédones são maiores, as vezes carnosos e com aparência de folhas.

Na imagem abaixo, confira exemplos de plantas monocotiledôneas e de plantas eudicotiledôneas:

Angiospermas - Monocotiledôneas e Eudicotiledôneas
Angiospermas – Monocotiledôneas e Eudicotiledôneas

Veja também:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More