Como ensinar os alunos a escrever bem

0

Quando o assunto é produção de texto, os alunos sempre se apavoram, por isso, selecionamos algumas dicas para ter uma base ao escrever qualquer texto, seja na escola, no vestibular, em uma entrevista de emprego ou em concursos.

Fique atento, escrever um bom texto é essencial, pois demonstra a sua capacidade de se expressar em diferentes ocasiões, portanto, é muito importante ter a leitura como um hábito para ampliar o vocabulário e o conhecimento.

O primeiro passo é ter em mãos o tema e o tipo de texto a ser escrito, para enquadrar o tema proposto em um determinado gênero textual. Após ter isso delimitado, é possível seguir uma certa estrutura para qualquer tipo de texto, seguindo a cronologia de começo, meio e fim:

  • Dê um título relacionado ao tema;
  • Apresente o tema em uma introdução, atribuindo um começo para a história;
  • Apresente o desenvolvimento das ideias, que nada mais é do que o meio do texto, onde estarão presentes a exploração dos argumentos e fatos;
  • E, por fim, apresente a conclusão, atribuindo um desfecho para o texto.

Ao desenvolver o texto, é importante que não fugir do tema proposto e se atentar às regras gramaticais de regência, concordância, acentuação, pontuação, seguindo a norma culta padrão, de modo que não deve ser utilizada uma linguagem coloquial e informal na grande maioria das redações.

É importante estar atento, também, a delimitação dos parágrafos e caligrafia, se o texto for escrito à mão, ou a formatação dos textos escritos nos editores de texto do computador.

Dica: É sempre bom ter um rascunho para evitar as rasuras e, caso necessário, a leitura em voz alta ajuda a revisar aquilo que foi escrito.

A coesão e a coerência são essenciais para dar sentido ao seu texto. Então, lembre-se: a coesão nada mais é do que a utilização correta das regras gramaticais e dos elementos de ligação do texto, como as conjunções; e a coerência é a organização lógica de texto que ajuda a não sair do tema nem se contradizer no desenvolvimento do texto.

E, por último, evite a repetição de palavras ao longo do texto, para que não fique cansativo, procurando sempre sinônimos para elas. Deste modo, é bom ter em mãos um dicionário quando possível, para verificar sinônimos e não utilizar palavras que desconhece.

Veja quais são os tipos textuais mais comuns e seus gêneros:

1 – Dissertativo:
Nesse tipo textual, é necessário expor o seu ponto de vista, normalmente de um tema polêmico, de modo que apresente uma tese e argumentos que a sustentem e, por fim, uma proposta de intervenção.

Exemplos de gêneros textuais: resenha, artigos científicos, monografias, dissertações de mestrado e tese de doutorado e a famosa redação do ENEM.

2 – Narrativo:
Nesse tipo textual, são narrados fatos por meio de histórias que envolvem personagens em um determinado tempo e espaço.

Exemplos: crônicas, fábulas, lendas, entre outros.

3 – Descritivo:
Nesse tipo textual são descritos fatos, objetos, lugares e personagens envolvidas.

Exemplos: notícias, blogs, diários e relatos pessoais, biografia e autobiografia, cardápios, currículos, entre outros.

Portanto, seja um bom leitor para tornar-se um bom escritor com novas ideias e muita criatividade para produzir um texto em qualquer gênero textual, obedecendo a gramática do português e sendo claro e conciso ao desenvolver a sua argumentação.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.