Como fazer um planejamento de aula?

Se você é professor de primeira viagem, confira as dicas que irão te ajudar a elaborar os seus primeiros planejamentos de aula.

0

Professor de primeira viagem, você sabe o que é um planejamento de aula? Provavelmente, o item estava entre as disciplinas estudadas durante sua Licenciatura, certo? Mas, você sabe como fazê-lo?

Se a resposta for negativa, não se desespere, pois, não é o único! A inexperiência pode deixar docentes iniciantes um pouco perdidos na hora de elaborar um plano de aula. Afinal, há a preocupação em repassar todo o conteúdo de forma eficiente aos alunos.

E essa preocupação é mais do que justificada. A importância do planejamento vai além de, simplesmente, orientar o que vai ser feito na sala de aula. Para elaborá-lo, diversos fatores devem ser levados em consideração, inclusive, a faixa etária dos estudantes.

Por isso, o Escola Educação trouxe um pequeno guia de como fazer um bom planejamento de aula. Mas, antes, vamos trabalhar alguns conceitos importantes sobre planos de aula e sua importância para o desenvolvimento escolar.

O que é o plano de aula?

A resposta é simples! O plano de aula é o instrumento no qual o docente especificará tudo o que será trabalhado em sala de aula. Com ele, o educador irá, aos poucos, aprimorar sua prática pedagógica em busca do melhor aprendizado dos alunos.

Porém, como já falamos, o plano de aula vai além disso. Trata-se de documento que trará os métodos a serem utilizados, processos de avaliação, cronograma de ensino, entre outras informações bem específicas.

Por que o plano de aula é importante?

A primeira coisa que vem à cabeça é quanto à organização da aula. Mais ainda, o plano é a ferramenta pela qual o professor guiará o aprendizado dos alunos, fará pesquisas sobre o conteúdo e verificará sua assimilação entre os estudantes.

Com tudo planejado, haverá maior preparo para eventuais intercorrências. O plano de aula é o grande diferencial entre aulas boas e ruins. Quanto melhor organizada, mais atividades produtivas será possível fazer, além de possibilitar maior aprendizado por parte dos alunos.

O que levar em conta para elaborar o planejamento de aula?

Se você ainda tem certas dúvidas quanto à elaboração do plano de aula, é interessante fazer-se alguns questionamentos que, de repente, irão guiá-lo. O que pretende com a aula? Quais suas intenções e objetivos a serem alcançados com os alunos?

É normal que a falta de experiência na área deixe professores iniciantes um pouco perdidos na hora de elaborar um bom plano de aula. Para que esse início não seja conturbado, trouxemos alguns pontos fundamentais.

O primeiro refere-se à contextualização do ambiente escolar, ou seja, como é a infraestrutura e as possibilidades da escola e quais serão as turmas. Por que isso é importante? Porque, assim, o professor poderá selecionar os assuntos abordados.

Conhecendo os alunos e suas especificidades, o professor saberá o que precisarão aprender ou fixar, que conteúdos trabalhar, habilidades a serem desenvolvidas e que estratégias deverão ser utilizadas.

As turmas do ensino regular são separadas em séries, de acordo com a idade dos alunos. Normalmente, inicia-se a educação básica com disciplinas de base utilizando termos simples e descrição de fatos mais resumidas.

Na medida em que o aluno vai evoluindo nas séries, este conteúdos são destrinchados e melhor explorados de acordo com seu nível de compreensão. Por isso, a importância do diagnóstico de cada turma para saber que conteúdos e métodos devem ser trabalhados.

Como elaborar o planejamento de aula

O planejamento deve ser pensado de forma global, levando em consideração de que uma série de conteúdos serão ministrados ao longo de todo o ano letivo. Por isso, antes de mais nada, é bom organizar um cronograma de aulas.

Ele deve ser elaborado de acordo com a quantidade de aulas que serão dadas, separadas por bimestres e escolhendo quais conteúdos serão tratados. Assim, o professor saberá que, a cada bimestre, poderá aplicar uma avaliação que verifique a assimilação do que foi dado.

No final do ano, as notas serão somadas para chegar ao resultado final correspondente a aprovação (ou não) na disciplina. Viu como o planejamento envolve, não apenas as aulas diárias, mas, todo o conteúdo a ser ministrado no ano e em cada série?

Ok, organizado o cronograma, é hora de trabalhar os planos individuais de aula. O primeiro passo para elaborar um plano é definir o tema, ou seja, o que será abordado com os alunos naquele dia. Por exemplo, na aula de Artes, trabalhar colagens para o Dia das Mães. Ou, em Matemática, trabalhar Conjuntos Numéricos.

Tente reservar um ou mais tópicos por dia, tentando calcular quanto tempo será necessário para tratar cada um (veremos isso logo adiante). Ao separá-los, pense nos objetivos ou seja, as metas que pretende alcançar.

Para estabelecê-los, procure responder, mentalmente, a essas perguntas. O que espero que meus alunos aprendam? O que preciso fazer e que habilidades devo desenvolver? O que eles já sabem e o que precisam complementar?

Leve em conta que objetivos e conteúdos devem ser, muito bem, articulados. Inclusive, há três tipos de conteúdos distintos que podem ser trabalhados em sala de aula. São eles conceituais, atitudinais e procedimentais.

O primeiro diz respeito ao conhecimento e diferenciação entre conceitos. O segundo se relaciona ao comportamento esperado. Por fim, o terceiro, compreende que o aluno deve aprender a fazer, ou seja, desenhar, ler, entre outras.

Muitas escolas utilizam apostilas, o que ajudando na organização, já que todos os conteúdos ali apresentados devem ser tratados. Porém, é interessante que o educador as complemente, mesclando teoria e prática e criando aulas dinâmicas.

Assim, estimulará a criatividade e, também, outros dons dos alunos por meio de aulas lúdicas e multidisciplinares. Voltando na questão do tempo de cada atividade, é necessário que o planejamento detalhe qual a duração de cada uma.

Isso é bom para que o professor avalie se não está aplicando conteúdos demais ou em quantidade insuficiente. Definidos conteúdos e duração de cada tópico, é hora de pensar nos recursos necessários para colocar em prática.

Datashow, vídeos, fotografias, sistemas de som, materiais de papelaria, jogos, e por aí vai. Isso dependerá, bastante, da própria infraestrutura escolar. Não se esqueça que o planejamento inclui, também, o dever de casa.

Aqui, vale aplicar a criatividade para que os alunos não deixem de fazê-lo. Incentive-os pedido coisas como criação de músicas, teatros, maquetes e projetos diversos. Tudo vai depender, claro, do tópico abordado.

Por fim, os métodos de avaliação! É com eles que o professor terá o feedback do que os alunos aprenderam e o que é preciso melhorar. Mas, além da avaliação dos alunos, essa etapa avalia, também, a própria conduta do professor.

E aí, tirou suas dúvidas sobre como fazer um bom planejamento de aula? Apesar de parecer muita coisa, com a prática, você verá o quão fácil e desenvolver um plano e tirará isso de letra!

Baixe a versão em Excel: Download Planejamento de Aula

Criado pelo Escola Educação.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.