Conjunção

As conjunções possuem função estritamente gramatical: são empregadas para o estabelecimento da relação entre duas orações, ou ainda para estabelecer a relação dos termos que se assemelham gramaticalmente dentro da mesma oração. As conjunções podem ser de dois tipos principais: conjunções coordenativas ou conjunções subordinativas.

0

As conjunções possuem função estritamente gramatical: são empregadas para o estabelecimento da relação entre duas orações, ou ainda para estabelecer a relação dos termos que se assemelham gramaticalmente dentro da mesma oração. As conjunções podem ser de dois tipos principais: conjunções coordenativas ou conjunções subordinativas.

Como você já deve saber, segundo um estudo morfológico da língua portuguesa, as palavras de nosso idioma foram agrupadas e classificadas em dez diferentes classes de palavras ou classes gramaticais. São elas: substantivo, artigo, adjetivo, pronome, numeral, verbo, advérbio, preposição, conjunção e interjeição.

As conjunções, nosso assunto de hoje, são palavras empregadas no texto como elementos de ligação entre duas orações ou entre termos semelhantes de uma oração. Elas são responsáveis pelo estabelecimento das relações de coordenação ou de subordinação, atuando também para a construção da coesão textual, fator indispensável nos textos escritos. As conjunções são palavras invariáveis, ou seja, não sofrem flexão quanto ao gênero (masculino e feminino), número (singular e plural) e grau (aumentativo e diminutivo).

Para que você entenda melhor essa classe de palavras, bem como entenda a função que ela exerce dentro de uma oração, o Escola Educação traz agora uma explicação detalhada sobre o assunto para você. Sempre que houver dúvidas, basta nos consultar! Boa leitura e bons estudos!

Conjunções

Exemplo de conjunção ligando orações:

Brinquei muito e fiquei cansada.

Exemplo de conjunção ligando termos semelhantes de uma oração:

Encontrei com sua mãe e com seu irmão no shopping.

Além de conjunções, existem também locuções conjuntivas, ou seja, um conjunto de duas ou mais palavras que, juntas, atuam como uma conjunção, ligando orações. A maior parte das locuções conjuntivas terminam em que.

Exemplos: visto que, dado que, posto que, sem que, até que, antes que, já que, desde que, ainda que, por mais que, à medida que, à proporção que, logo que, a fim de que, se bem que, contanto que,…

Classificação das conjunções

Por estabelecerem relações de coordenação ou subordinação, as conjunções são classificadas como coordenativas e subordinativas. Veja os exemplos abaixo:

Conjunções coordenativas

Orações independentes entre si recebem o nome de orações coordenadas, e a conjunção que as relaciona classifica-se como conjunção coordenativa. Observe:

  • Conjunções coordenativas aditivas: Transmitem uma ideia de adição.

São: e, nem, também, bem como, não só, mas também.

Exemplos: Eu vou para Porto Alegre e Karine vai comigo.

Ele também pretende viajar conosco.

  • Conjunções coordenativas adversativas: Transmitem uma ideia de oposição.

São: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, não obstante,…

Exemplos: Eu estudei muito para a prova, mas não me saí bem.

Eles querem passar de ano, porém, não querem estudar.

  • Conjunções coordenativas alternativas: Transmitem uma ideia de alternância.

São: ou, ou…ou, já…já, ora…ora, quer…quer, seja…seja,…

Exemplos: Ou você faz a tarefa de casa ou vai dormir agora.

Você vai para a escola, quer você queira, quer você não queira.

  • Conjunções coordenativas conclusivas: Transmitem uma ideia de conclusão.

São: logo, pois, portanto, assim, por isso, por consequência, por conseguinte,…

Exemplos: Eu já terminei minhas tarefas de hoje, por isso vou descansar.

Ele estudou bastante para a prova de matemática, logo se sairá bem.

  • Conjunções coordenativas explicativas: Transmitem uma ideia de explicação.

São: que, porque, porquanto, pois, isto é,…

Exemplos: Não posso brincar com você hoje porque estou de castigo.

Eu não vou brincar na sua casa hoje, pois estou doente.

Conjunções subordinativas

As conjunções são classificadas como subordinativas quando ligam orações que dependem uma da outra para ter sentido completo, não tendo existência independente. Elas podem indicar dois diferentes tipos de oração subordinada. Quando iniciam orações subordinadas substantivas, denominam-se conjunções integrantes. As demais conjunções subordinativas introduzem orações subordinadas adverbiais e classificam-se de acordo com a relação de sentido que estabelecem. Veja agora alguns exemplos de conjunções subordinativas integrantes e conjunções subordinativas adverbiais:

  • Conjunções subordinativas integrantes: Introduzem uma oração que atua como sujeito, objeto direto, objeto indireto e predicativo, entre outros, e que completa o sentido da oração principal.

São: que, se.

Exemplos: Espero que você não demore muito a chegar em casa.

Ligue avisando se você for demorar.

  • Conjunções subordinativas adverbiais causais: Introduzem uma oração que apresenta a causa do acontecimento da oração principal.

São: porque, que, porquanto, visto que, uma vez que, já que, pois que, como,…

Exemplos: Ela não pôde ficar mais tempo porque suas férias acabaram ontem.

Viajou às pressas, visto que seu pai ficara doente em Minas Gerais.

  • Conjunções subordinativas adverbiais consecutivas: Introduzem uma oração que apresenta a consequência do acontecimento da oração principal.

São: que, tanto que, tão que, tal que, tamanho que, de forma que, de modo que, de sorte que, de tal forma que,…

Exemplo: Minha filha brincou tanto que acabou dormindo assim que deitou na cama.

Ela é tão chata, que eu não a tolero.

  • Conjunções subordinativas adverbiais finais: Introduzem uma oração que apresenta o fim ou finalidade do acontecimento da oração principal.

São: a fim de que, para que, que,…

Exemplo: Li muitas vezes a matéria para que eu não erre as questões da prova.

Eu vou à casa dela a fim de que me conte as novidades!

  • Conjunções subordinativas adverbiais temporais: Introduzem uma oração que apresenta uma circunstância de tempo ao acontecimento da oração principal.

São: quando, enquanto, agora que, logo que, desde que, assim que, tanto que, apenas,…

Exemplo: Assim que coloquei os pés na rua uma forte chuva desabou em São Paulo.

Agora que você está trabalhando, não precisará de mesada.

  • Conjunções subordinativas adverbiais condicionais: Introduzem uma oração que apresenta uma condição para a realização ou não do acontecimento da oração principal.

São: se, caso, desde, salvo se, desde que, exceto se, contando que,…

Exemplo: Caso você mude de ideia, me avise.

Se você se esforçar, prometo lhe dar um brinquedo novo no próximo mês.

  • Conjunções subordinativas adverbiais concessivas: Introduzem uma oração que apresenta uma ideia de contraste e contradição do acontecimento da oração principal.

São: embora, conquanto, ainda que, mesmo que, se bem que, posto que, …

Exemplo: Embora não concorde com você, defendo o seu direito de opinar sobre o assunto.

Ficarei ao seu lado mesmo que você não precise mais de mim.

  • Conjunções subordinativas adverbiais comparativas: Introduzem uma oração que apresenta uma comparação com o acontecimento da oração principal.

São: como, assim como, tal, qual, tanto como,…

Exemplo: Já não quero estudar inglês, como já não quero estudar espanhol.

Corria pelas ruas, como um louco.

  • Conjunções subordinativas adverbiais conformativas: Introduzem uma oração que apresenta uma ideia de conformidade em relação ao acontecimento da oração principal.

São: conforme, como, consoante, segundo,…

Exemplo: Fiz a tarefa, conforme o professor me pediu.

Os planos foram sendo alterados consoante os resultados foram aparecendo.

  • Conjunções subordinativas adverbiais proporcionais: Introduzem uma oração que apresenta uma ideia de proporcionalidade com o acontecimento da oração principal.

São: à proporção que, à medida que, ao passo que, quanto mais… mais,…

Exemplo: À medida que o tempo ia passando, seus cabelos iam embranquecendo.

Quanto mais eles brincavam, mais queriam brincar.


Luana Alves
Graduada em Letras

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.