Reino Animalia: Invertebrados e Cordados

1

Muitas vezes a vida nos grandes centros urbanos nos distancia da variedade de espécies animais existentes no nosso planeta. Há alguns anos estimava-se que o Reino Animalia teria entre 2 a 8 milhões de espécies, o que já seria um número extremamente significativo. Entretanto, hoje em dia os estudos indicam que esse número passa dos 50 milhões e dentre estas espécies, a ciência conhece pouco mais de 1,5 milhão. Vale lembrar que dificilmente conheceremos todas as espécies algum dia, a interferência antrópica faz com que muitas espécies sejam extintas antes mesmo de serem descobertas pela ciência.

Os integrantes do Reino Animalia são estudados de acordo com suas características dentro da Zoologia. Podemos dividir esses indivíduos em invertebrados, grupo que contém oito filos principais, e em cordados, que pode ser dividido nos subfilos protocordados e vertebrados.

Invertebrados

O grupo dos invertebrados é muito diversificado e tem como característica principal a ausência da espinha dorsal. Esses indivíduos também apresentam: formação multicelular; são eucariontes; com exceção das esponjas, eles possuem organização tecidual, ou seja, células organizadas de modo a formar tecidos; são aeróbios (retiram oxigênio do ar ou da água); possui simetria bilateral, ou seja, duas metades iguais do corpo; e seu modo de reprodução geralmente é sexuado (com troca de gametas). Normalmente, apresentam corpo mole, mas em alguns grupos como os artrópodes, esses animais apresentam um exoesqueleto de calcário que possui o objetivo de auxiliar na sustentação, na locomoção e na proteção desse animal.

A maior parte desses indivíduos é capaz de se locomover, porém as esponjas só conseguem tal fato quando ainda são muito jovens, na fase adulta elas são sésseis. Os invertebrados precisam de outros seres vivos para obterem energia através da alimentação, ou seja, são heterótrofos e podem se alimentar tanto de indivíduos autótrofos quanto de outros heterótrofos.

Os principais filos de animais invertebrados são: artrópodes, moluscos, celenterados, poríferos, equinodermos, platelmintos e anelídeos. São exemplos de animais desses grupos: aranhas, lacraias, centopeias, polvos, estrelas-do-mar, vermes, insetos (moscas, mosquitos, baratas, besouros, borboletas, etc.), esponjas-do-mar, mariscos, entre outros. Os invertebrados podem ser terrestres, aquáticos ou ainda parasitas do corpo humano e de outros animais.

Animais invertebrados
Animais invertebrados

Cordados

Os indivíduos do Filo Chordata ou Filo Cordados possuem como característica comum a presença da notocorda em alguma fase de suas vidas, isso indica a existência de um ancestral comum para esses indivíduos. A notocorda fica localizada entre o tubo neural e o tubo digestório em uma posição dorsal e longitudinal, ela é a primeira estrutura de sustentação do corpo de um cordado e tem formato de bastonete maciço e flexível. Em alguns animais a notocorda permanece na fase adulta como nos protocordados, já em outros animais ela é substituída pela coluna vertebral, como no caso dos seres humanos. Esses animais possuem três folhetos germinativos, ou seja, são triblásticos, são deuterostômios, ou seja, o blastopóro (estrutura semelhante a uma boca) dá origem ao ânus e, são animais celomados.

Estrutura do corpo dos cordados
Estrutura do corpo dos cordados

Os cordados possuem outras estruturas embrionárias, além da notocorda, que podem desaparecer ou não na fase adulta do indivíduo. Uma dessas estruturas são as fendas branquiais na faringe, nos indivíduos de hábito aquático essas fendas branquiais permanecem na fase adulta e assumem função respiratória. Nos cordados de hábito terrestre, essas estruturas desaparecem para que na faringe possa surgir a traqueia que é a estrutura com função respiratória desses animais.

Esse grupo também tem como característica a presença de um sistema nervoso dorsal que fica localizado acima da notocorda. Esse sistema nervoso dorsal se origina a partir da ectoderme dorsal do embrião e é bem desenvolvido nos indivíduos adultos, com exceção de alguns protocordados que mesmo na fase adulta não possui o tubo nervoso dorsal bem desenvolvido. O sistema nervoso dos animais que não são cordados é muito mais simples, ocupa a posição ventral e pode ser do tipo ganglionar.

Simetria e locomoção no Reino Animalia

No Reino Animalia podemos encontrar desde animais muito simples que possuem formas irregulares e são chamados de assimétricos, como as esponjas, até animais de morfologia muito mais complexa e com simetrias cheias de particularidades, como os seres humanos. Nesses indivíduos complexos, podemos traçar planos verticais de simetria que admitem a separação do animal em metades isomorfas, dizemos que esses animais são simétricos radiais, em geral isso ocorre em animais cilíndricos ou em formato de sino. Os animais simétricos radiais, normalmente, possuem hábito de vida fixos ao substrato (polípos de cnidários ou esponjas adultas) ou se movem com lentidão (medusas, estrelas-do-mar, etc).

Mesmo com a presença de animais assimétricos e de simetria radial, o tipo de simetria que realmente é predominante no Reino Animalia é a bilateral. Nesses animais, há a presença de um lado esquerdo e o direito, das faces ventral e dorsal, e das extremidades anterior (onde fica localizada a cabeça) e posterior (na maioria das vezes abriga o ânus e os orifícios reprodutores). No modelo de simetria bilateral existe apenas um plano sagital que parte o animal em duas metades equivalentes. Muitos animais com esse tipo de simetria atuam no ecossistema como predadores, acredita-se que essa simetria esteja relacionada ao modo de vida desses indivíduos.

Denisele Neuza Aline Flores Borges
Bióloga e Mestre em Botânica

PUBLICIDADE

você pode gostar também

  1. Fernanda Lima Diz

    Seu post é simplesmente sensacional!! Já vi vários sites, mas nenhum é tão completo quanto o seu. AMEI!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.