Escola em que Crianças Pagam Mensalidade Com Plástico. Entenda!

Com o propósito de ajudar o meio ambiente, os alunos pagam mensalidade com plástico, de modo que levam ao menos 25 itens descartáveis de plástico à escola.

0

Com o objetivo de ensinar sobre sustentabilidade e noções comunitárias básicas, na Índia, toda semana os alunos trazem pelo menos 25 itens de plástico descartável à instituição. Ao invés de destinarem as embalagens dos produtos para o lixo, os estudantes levam os recipientes e outros itens feitos do material para o colégio, evitando a queima e descarte irregular.

A escola Akshar Foundation School foi criada por um casal, que vive no Estado de Assam, nos pés da cordilheira do Himalaia. A instituição é mantida por uma fundação, que, por sua vez, vive de doações.

O casal tem expectativas de replicar este modelo em toda a Índia tendo em vista a importância social e ecológica do projeto.

Segundo a fundação, “mensalidades” pagas com plástico é uma forma de estimular um senso comunitário entre alunos, pais e escola. E ajudam também a conscientizar sobre o perigo da queima de plásticos.

“Decidimos coletar plástico de nossos alunos porque tínhamos um problema. Ouvimos relatos deles de que queimavam plástico quase todos os dias nos meses de inverno. Os estudantes faziam isso para se aquecer. Então, tornamos [a coleta] obrigatória”, diz Parmita Sharma, cofundadora da Akshar Forum.

Os alunos aprendem sobre reutilização e reciclagem com o processo. Com os materiais já foram criados “tijolos ecológicos” a partir de garrafas plásticas. Além disso, almejam construir caminhos ligando as diferentes partes da escola.

Os donos da escola ressaltam sobre a conscientização dos alunos com o projeto “Os alunos também estão ficando mais conscientes – agora eles sabem que o plástico é ruim para a saúde; queimar plástico é ruim. Eles estão conversando com seus pais sobre os efeitos nocivos, conscientizando-os”, ressalta.

Depois da China, a Índia é o segundo país mais populoso do mundo, mas sofre com a extrema pobreza. Um em cada cinco indianos vive abaixo da linha da pobreza (menos de US$ 1,25 por dia ou R$ 5).

Dentro dessa perspectiva, muitas crianças desprivilegiadas tinham deixado a escola para ganhar dinheiro, mas nessa escola encontraram uma maneira de ajudar no orçamento de casa enquanto aprendem. A escola paga as crianças mais velhas por hora para ensinar as mais novas. À medida que avançam academicamente, seu salário aumenta.

“Esperamos que eles obtenham habilidades suficientes para que possam se tornar independentes”, diz Parmita.

“Estamos tentando desenvolver um modelo pelo qual proporcionamos desde escolarização até emprego”, acrescenta.

A escola que começou com 20 alunos, hoje, conta com mais de 100 estudantes aprendendo em cabanas de bambu.

Veja também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.